Aleteia

O Papa chega à Tailândia: mas como é esse país no tocante à fé católica?

Compartilhar

Pequena em quantidade, a Igreja Católica na Tailândia é grande nas áreas de educação, saúde e ação social

O Papa Francisco chegou nesta manhã a Bangkok, a capital da Tailândia, dando início à primeira etapa desta sua nova viagem apostólica internacional: de 20 a 26 de novembro, além da Tailândia, ele visitará também o Japão.

Francisco foi recebido por autoridades civis e bispos tailandeses, bem como por onze crianças em trajes tradicionais que o saudaram e receberam a sua bênção. Um destaque entre as pessoas que deram as boas-vindas ao Papa ainda no aeroporto foi a irmã Ana Rosa Sivori, religiosa das Filhas de Maria Auxiliadora, que é prima do Papa. A freira de 77 anos de idade é missionária na Tailândia há mais de 50 anos e será a tradutora do Papa no país.

Irmã Ana Rosa Sivori, prima do Papa Francisco, missionária na Tailândia há 50 anos

E que país é esse no tocante à fé católica?

O cristianismo chegou à Tailândia entre os séculos XVI e XVII, quando o território ainda era chamado de Reino de Siam (ou Sião, numa transliteração ao português que não deve ser confundida com o Monte Sião, em Jerusalém).

Os primeiros missionários foram os dominicanos portugueses Jerônimo Cruz e Sebastião da Canto, martirizados em 1569. Depois chegaram os franciscanos, os jesuítas e as Missões Estrangeiras de Paris.

Ente 1688 e 1782, a Igreja sofreu praticamente um século de ferozes perseguições. A chegada do rei Rama I ao trono abrandou a situação, já que o monarca pretendia fortalecer laços políticos, econômicos e culturais com o mundo ocidental.

Durante o século seguinte, a presença da Igreja Católica foi se consolidando mais pacificamente na Tailândia, mas sem atingir um grande número de conversões: mesmo hoje, os católicos são apenas 0,59% da população total.

Os muçulmanos são 4% da população.

A quase absoluta maioria dos 65,5 milhões de habitantes da Tailândia são budistas: cerca de 95%. Embora não seja religião de Estado, já que a liberdade religiosa é garantida pela constituição, o budismo tem status especial no país, com o Estado promovendo a sua corrente theravada.

Números da Igreja Católica na Tailândia de hoje

A Igreja tem 11 circunscrições eclesiásticas, 502 paróquias e 566 centros pastorais no país atualmente. São 16 bispos, 523 sacerdotes diocesanos, 312 sacerdotes religiosos, 123 religiosos não sacerdotes, 1.461 religiosas, 57 membros de institutos seculares, 221 missionários leigos, 1.901 catequistas e 306 seminaristas.

Apesar de pequena em quantidade, a Igreja Católica na Tailândia é muito reconhecida pelo grande papel que desempenha nas áreas de educação, saúde e ação social. As escolas católicas são 426, somando mais de 450 mil alunos, a maioria dos quais não são cristãos. As iniciativas sociais da Igreja no país priorizam ações em favor dos mais pobres, dos migrantes e dos refugiados.

Relações com a Santa Sé

A Tailândia mantém plenas relações diplomáticas com a Santa Sé desde 1968. As relações são hoje sólidas e pacíficas, apesar de momentos tensos vividos na década de 1980 por causa de temores de monges budistas diante das atividades missionárias da Igreja no país.

O Papa Francisco é o segundo pontífice a visitar a Tailândia: São João Paulo II esteve no país em maio de 1984.

Boletim
Receba Aleteia todo dia