Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Terça-feira 27 Julho |
São Galactório
home iconReligião
line break icon

O Papa Francisco e o capitalismo

pixabay

Vanderlei de Lima - publicado em 25/11/19

A Doutrina Social da Igreja ensina que o comunismo – em qualquer modalidade ou matiz que se apresente é sempre mau em si mesmo

Em 11 de novembro último, o Papa Francisco recebeu os membros do Conselho para um Capitalismo Inclusivo, iniciativa do Fórum Global Fortune, e teceu elogios a esse tipo de capitalismo. Daí a questão que desejamos responder: que pensar a respeito?

Logo de início, devemos deixar clara a posição da Doutrina Social da Igreja, que é um conjunto de verdades deduzidas da Lei Natural moral, conhecida também pela razão, e da Revelação divina, objeto da fé, para ajudar na construção de um mundo segundo os desígnios de Deus. É claro que com isso a Igreja “não propõe sistemas ou programas econômicos e políticos, nem manifesta preferências por uns ou por outros, contanto que a dignidade do homem seja devidamente respeitada e promovida e a ela própria [à Igreja – nota nossa] seja deixado o espaço necessário para desempenhar o seu ministério no mundo” (João Paulo II. Sollicitudo rei socialis, 1987, n. 41).

Ora, a Doutrina Social da Igreja ensina, em suma, que o comunismo – em qualquer modalidade ou matiz que se apresente (cf. Pio XI. Quadragesimo anno, 1931, n. 111-125) – é sempre mau em si mesmo, “intrinsecamente perverso” (Pio XI. Divini redemptoris, 1937, n. 58). O capitalismo, ao contrário do comunismo, “de per si não é condenável. E, realmente, de sua natureza não é viciosa. Só, então, viola a reta ordem, quando o capital escraviza aos operários ou à classe proletária com o fim e condição de que os negócios e todo o andamento econômico estejam nas suas mãos e revertam em sua vantagem, desprezando a dignidade humana dos operários, a função social da economia e a própria justiça social e o bem comum” (Pio XI. Quadragesimo anno, n. 101).

Daí a fala do Santo Padre não tratar, sem mais, de qualquer capitalismo, mas apenas do inclusivo. Eis trechos de seu pronunciamento que despertaram atenção: “Um capitalismo inclusivo, que não deixa ninguém para trás, que não descarta nenhum dos nossos irmãos e irmãs, é uma nobre aspiração, digna de seus melhores esforços”. Mais: “É necessário e urgente um sistema econômico justo, confiável e capaz de responder aos desafios mais radicais que a humanidade e o planeta estão enfrentando. Encorajo vocês a perseverarem no caminho da solidariedade generosa e a trabalharem para que as economias e as finanças retomem uma abordagem ética favorável aos seres humanos” […] “Queridos amigos, vocês estabeleceram o objetivo de estender as oportunidades e os benefícios do nosso sistema econômico a todos. O seu esforço nos lembra que as pessoas que se dedicam à vida econômica e comercial são chamadas a servir ao bem comum, tentando aumentar os bens deste mundo e torná-los mais acessíveis a todos”.

Repitamos: a Igreja não se opõe ao capitalismo em si, mas, sim, aos seus abusos, conforme expressou São João Paulo II ao jornal La Stampa e que o L’Osservatore Romano reproduziu, na íntegra, em sua edição de 14/11/1993, do seguinte modo: “De um lado, temos o comunismo, uma utopia que, posta em prática, se demonstrou tragicamente desastrosa. De outro lado, há o capitalismo que, na sua dimensão prática, ao nível dos seus princípios basilares, seria aceitável sob o ponto de vista da Doutrina Social da Igreja, estando, sob vários aspectos, conforme à lei natural. É a tese já expressa por Leão XIII. Infelizmente, surgem abusos – várias formas de injustiça, de exploração, de violência e de prepotência – que alguns fazem dessa prática, em si aceitável, e então chegamos às formas de um capitalismo selvagem. São os abusos do capitalismo que devem ser condenados” (Pe. Paschoal Rangel, SDN. Teologia de jornal: uma interpretação teológica dos fatos. Belo Horizonte: O Lutador, 1996, p. 122).

Em conclusão, perguntado se o capitalismo seria modelo aos países pobres, João Paulo II, fazendo eco à doutrina da Igreja, respondeu que, se tal sistema “reconhece o papel fundamental e positivo da empresa, do mercado, da propriedade privada e da consequente responsabilidade sobre os meios de produção, da livre criatividade humana no setor da economia, a resposta é certamente positiva” (idem, p. 118).

Queiramos, pois, refletir sobre as palavras do Papa Francisco a respeito do “capitalismo inclusivo”, aceito, sem maiores hesitações, pela Igreja!

Tags:
EconomiaPapa FranciscoPolítica
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Reportagem local
A arrepiante oração de uma mulher no corredor da morte por ser ca...
2
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Charbel disse?
3
Aleteia Brasil
Sorrisão e joelhos: 2 pais brasileiros e seus bebês que emocionar...
4
CROSS;
Reportagem local
O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e ...
5
JENNIFER CHRISTIE
Jeff Christie
Minha mulher engravidou de um estuprador – e eu acolhi o bebê nas...
6
CONFESSION, PRIEST, WOMAN
Julio De la Vega Hazas
Por que não posso me confessar diretamente com Deus?
7
Anna Gębalska-Berekets
O que falar (e o que não falar) a um ente querido com câncer
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia