Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 19 Abril |
Aleteia logo
Histórias Inspiradoras
separateurCreated with Sketch.

O trabalho oculto da Igreja Católica com milhares de “crianças-soldado”

acn-20190910-91399_1.jpg

© ACN

Dolors Massot - publicado em 02/12/19

Elas fugiram da guerra civil no Sudão do Sul e vivem como refugiados em Uganda. A descoberta do amor de Deus lhes deu esperança

Existem feridas de guerra que não sangram, mas causam um sofrimento maior do que se possa imaginar. Cada “criança-soldado” guarda em si a memória de um inferno. Elas são usadas como combatentes, como escudos humanos, como fantoches drogados e alcoolizados para cometer os crimes mais horríveis. E são obrigadas a isso.

No Sudão do Sul, a guerra civil atinge a população desde 2013. Desde 2017, o país está no topo da lista do Ranking dos Estados falidos​​no mundo. Ele ocupa esse lugar porque o caos é a regra, os alimentos básicos não chegam a seus habitantes e a violência é incontrolável.

Dois milhões de pessoas decidiram fugir do país rumo ao sul e agora vivem como refugiados em Uganda. Eles perderam seus parentes e deixaram para trás suas casas e terras, com o único objetivo de permanecer vivos. Um desses refugiados é Santos.

“Nós nunca conhecemos a paz”

“Muitos de nós nunca conheceram a paz. Somos chamados de ‘geração perdida'”, diz Santos. Ele é testemunha de quantas pessoas nessa situação “caem em desespero e perdem o sentido da vida”.

Mas Santos testemunha que, em meio a tanta desgraça, milhares de “crianças-soldado” estão sendo resgatadas. Agora, elas já não precisam mais matar, mas a lembrança do que viveram as assombra. “Não é só alimentá-las. É preciso reintroduzi-las em uma vida normal.”

Um motivo de esperança na vida dessas crianças

Qual é a fórmula para uma criança-soldado recuperar a dignidade e a esperança? “Isso só é possível trazendo Jesus para a vida delas”, diz Santos. Ele constata isso diariamente naqueles meninos que descobriram a misericórdia e o amor de Deus.

“Ensinamos catecismo e oferecemos a Eucaristia”, explica Santos. E pouco a pouco, as crianças recuperam a alegria e começam a pensar no futuro. Suas feridas internas curam.

É a Igreja Católica que torna esse serviço possível

Este trabalho de atenção às crianças-soldado e aos 300.000 refugiados que vivem no assentamento onde Santos trabalha é coordenado pelo Centro Emaus, instalado a 50 quilômetros da capital, Kampala, pela Fundação Ajuda à Igreja Necessitada, também conhecida como Ajuda à Igreja que Sofre (ACN).

Um Presente de Fé

Este serviço só é possível graças a muitas pessoas de todas as partes do mundo que colaboram economicamente. Neste Natal, é possível contribuir oferecendo um Presente de Fé, que consiste em transformar um presente material em uma doação. É simples e pode ser feito em seu próprio nome ou oferecendo o presente em nome de um familiar ou outra pessoa.

Com a pequena contribuição de muitos, podemos ajudar na regeneração de “crianças-soldado” e de tantas pessoas que sofrem no mundo. Podemos ajudar a Igreja Católica a levar Jesus aos territórios mais abandonados. Que a boa notícia também chegue a eles: o nascimento de Deus em nossos corações.

Você pode oferecer o seu Presente de Fé neste Natal fazendo uma doação para a Fundação ACN:

Se você está oferecendo seu Presente de Fédo Brasil, use este link:

https://bit.ly/2Qm0HW4

Se você está oferecendo seu Presente de Féde Portugal, use este link:

https://bit.ly/37hg2gW

Tags:
CaridadeIgrejaPobreza
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia