Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

A congregação formada só por irmãs com deficiência visual

Compartilhar

Quando o Senhor chama, não há barreiras que não possam ser superadas

As Filhas de Jesus Rei é uma congregação para religiosas com deficiência visual em Turim, na Itália.

A Irmã Lorena Logrono, é superiora da congregação e explicou à ACI Digital como  nasceu a instituição, há mais de 130 anos:

“Quando o Beato Giovanni Maria Boccardo ficou doente, deixou a Congregação das Pobres Filhas de São Caetano nas mãos de seu irmão Luigi, que também foi nomeado responsável do instituto de meninas cegas em Turim. Lá, uma jovem pediu ao Beato Luigi Boccardo para ser religiosa, mas não podia porque era cega. Algum tempo depois, ele recebeu a inspiração de fundar uma congregação para pessoas cegas, que tivesse o carisma das Pobres Irmãs de São Caetano, mas dedicadas à contemplação. E lá, em 1932, nasceu o ramo contemplativo Filhas de Jesus Rei”.

Irmã Lorena enxerga e pertence à Congregação das Pobres Filhas de São Caetano. Ela diz que as religiosas precisam de uma irmã que enxerga por questões práticas, como levá-las ao médico, por exemplo. Mas dentro do convento, tudo é adaptado e elas são independentes.

Atualmente, a Congregação Filhas de Jesus Rei é composta por oito religiosas que têm entre 38 e 100 anos.

Ir. Maria Patrizia Speculato é uma das Filhas de Jesus Rei. Ela tem 69 anos e entrou na congregação com 21. “Estudei fisioterapia em Florença, no instituto para pessoas cegas e lá conheci a congregação. Eu sentia o chamado do Senhor desde pequena e, embora tenha me afastado por um tempo, quando terminei de estudar, vi que o Senhor me chamava novamente. E suscitou de novo o desejo de me consagrar a Ele. Isso me permitiu ser capaz de superar todas as dificuldades para entrar, como deixar minha família que é de Nápoles e ir morar em Turim. Quando se tem vocação, faz-se tudo que seja necessário para segui-la”, disse a religiosa à ACI Digital.

A rotina

No dia a dia, as irmãs rezam a Liturgia das Horas completa traduzida para o Braille, assim como muitos outros livros de espiritualidade. Elas também realizam uma hora de adoração por dia, meditam uma hora pela manhã e meia à tarde, rezam o Terço e participam da Santa Missa.

Elas não usam bengalas para caminhar dentro do convento, pois conhecem bem o local.

As Filhas de Jesus Rei e as Irmãs Sacramentinas de Dom Orione são as únicas duas congregações religiosas que aceitam mulheres com deficiência visual.

Mais informações sobre as Filhas de Jesus Rei AQUI.

Com informações de ACI Digital

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia