Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Foram os anjos que construíram estas igrejas incríveis?

Compartilhar

As 11 igrejas, na Etiópia, foram esculpidas com o mesmo formato em um monobloco de pedra

Clique aqui para abrir a galeria de fotos

Nas montanhas da Etiópia, existem 11 igrejas de formatos idênticos, cada uma esculpida em um único e enorme bloco de pedra. Essas estruturas da era medieval são atribuídas ao rei Lalibela, um governante do século XII que ordenou sua construção depois que ele fez uma viagem a Jerusalém apenas para descobrir que a cidade havia sido conquistada por forças muçulmanas, que interromperam as peregrinações cristãs à cidade.

As 11 igrejas, que ficaram conhecidas pelo nome de Lalibela, pretendiam formar uma nova capital para a peregrinação e adoração cristã, ou uma “Nova Jerusalém”. Até hoje, esses impressionantes edifícios monolíticos atraem peregrinos ortodoxos de todo o país nos dias sagrados. Alguns deles viajam a pé por meses para chegar a Lalibela, que é protegida como Patrimônio Mundial da UNESCO desde 1978.

Pouco se sabe sobre as pessoas que construíram as igrejas de Lalibela, e uma crença popular entre os fiéis da região é que elas tiveram a ajuda de anjos. Acredita-se que a construção dessas igrejas tenha sido realizada apenas com martelos e cinzéis para esculpir portas, janelas, pisos e paredes em rocha sólida.

Infelizmente, esses impressionantes testemunhos da ingenuidade do povo etíope medieval caíram em ruínas após vários séculos de negligência. As igrejas continuam funcionando, e os reparos e a manutenção são rigorosamente regulamentados, pois a pedra é considerada sagrada pelos ortodoxos etíopes. Todo o trabalho de preservação é considerado e debatido antes do início e, mesmo assim, qualquer poeira do trabalho é coletada e salva pelos padres.

Para proteger as estruturas de arenito da chuva, que deteriora lentamente a pedra, as comunidades ergueram grandes telhados acima de cada igreja. A proteção contra a chuva, no entanto, criou mais problemas, pois a pedra seca ameaça desmoronar. Embora a ameaça seja real, os locais não correm risco de destruição iminente e devem permanecer por mais um milênio, se tratados adequadamente.

Boletim
Receba Aleteia todo dia