Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Futebol e fé: conheça os santos padroeiros de alguns times brasileiros

SOCCER
Shutterstock | matimix
Compartilhar

O Flamengo foi um dos primeiros times brasileiros a adotar um santo protetor

Clique aqui para abrir a galeria de fotos

A palavra “padroeiro”, segundo o site A12, vem de patronariu, patronus (latim) e significa defensor, aquele que defende. Já em algumas passagens da Sagrada Escritura esta função protetora era atribuída ao Anjos. E os primeiros cristãos tinham o costume de invocar os santos para que ajudassem em sua vida de fé diante das dificuldades que enfrentavam. Quando, em uma localidade, um santo era invocado por muitas pessoas, ele se tornava o padroeiro daquele lugar. Na história da Igreja, este fato tornou-se muito comum no século VII.

Os séculos passaram e cidades, estados, países, igrejas, catedrais, profissões e até times de futebol elegeram seus padroeiros. São santos, cujas histórias se relacionam com a identidade e a história do local ou das atividades desenvolvidas.

Futebol e fé

O blog católico Ancoradouro pesquisou sobre o assunto e revelou que um dos times de futebol mais antigos do Brasil a adotar um padroeiro foi o Flamengo, em 1950. O time estava há nove anos sem título quando Padre Goés, pároco da Igreja de São Judas Tadeu rezou uma Missa e as coisas mudaram para o time rubro-negro, que nos anos de 1953, 1954 e 1955 se consagrou tricampeão estadual. Até hoje, todos os anos, o elenco mantém a tradição de ir à  igreja do Cosme Velho ou rezar  uma Missa na Gávea em homenagem ao padroeiro do clube.

Já o Ceará adotou São João Paulo II como patrono. O santo polonês esteve em Fortaleza em 1980, no estádio Castelão, para abrir o Congresso Eucarístico. A música “A bênção João de Deus” se tornou um hino dos cearenses, uma referência para o time que sempre celebra datas como dia mães, pais e Natal com Missa.

Nossa Senhora das Graças é padroeira do Atlético Mineiro. Há histórias pitorescas envolvendo o time e sua santa. Em 2001, a imagem teve o manto azul – cor do adversário Cruzeiro – pintado de preto. Em 2005 o time despencou para a série B e, no ano seguinte, ao retornar para a Série A, a direção achou por bem trocar a imagem por uma nova com o manto original e abençoada pelo Cardeal Dom Serafim.

São Januário (ou Gennaro) foi um santo mártir do século III, patrono de Benevento na Itália. Antes de de sua morte, alguns fiéis recolheram o sangue do santo que até hoje é guardado como relíquia. Dezoito séculos depois acontece, a cada ano, um milagre com o sangue. Durante a cerimônia, quando o relicário é exposto aos fiéis, o sangue, que está sólido, passa para o estado líquido, sua cor se transforma e seu volume fica com o dobro do peso. O santo milagroso é o padroeiro do Vasco da Gama e dá nome ao estádio da agremiação. O elenco sempre participa da Missa na Igreja dedicada ao santo ao lado do clube.

Confira a lista com alguns times brasileiros e seus respectivos santos padroeiros. Clique em “Abrir a galeria de fotos” para conferir. Se o seu time do coração não estiver aqui, ajude-nos dizendo qual é o santo protetor dele!

Boletim
Receba Aleteia todo dia