Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 02 Agosto |
Santo Eusébio de Vercelli
home iconEstilo de vida
line break icon

Um truque para desacelerar no dia de Natal

CHRISTMAS BAKING

Shutterstock

Calah Alexander - publicado em 23/12/19

Crianças e adultos experimentam o tempo de maneira diferente - veja como recuperar o ritmo mais lento da infância

Quando eu era criança, o dia de Natal parecia durar uma eternidade. Só o tempo entre meus pais acordarem, irem aos nossos quartos e nos dar permissão para correr para a sala e ver o que Papai Noel havia deixado parecia um dia inteiro.

E depois disso ainda havia presentes para desembrulhar, café da manhã para comer, papel de embrulho para limpar e brinquedos para montar e testar, tudo antes das 10 da manhã.

Depois, nos vestíamos e íamos para a casa da minha avó para o almoço de Natal, onde minha avó fingia não perceber que nós comíamos doces guardados na lata. Depois do almoço, costumávamos dar uma longa caminhada pelos arredores.

E ainda assim, estávamos apenas no meio da tarde! Quando chegávamos em casa, meus pais às vezes tiravam uma soneca enquanto brincávamos com nossos brinquedos ou líamos nossos novos livros, e geralmente assistíamos a um filme da noite de Natal e íamos para a cama felizes e exaustos.

Quando adultos, no entanto, o dia de Natal parece cada vez passar mais rápido. Por anos, eu tenho tentado descobrir como desacelerar as coisas, para que o dia seja mais parecido com o Natal da minha infância. Mas, como se vê, isso pode até não ser possível. Não é o Natal que mudou, sou eu – de acordo com a NBC News. É que crianças e adultos experimentam o tempo de maneira diferente:

“A memória de trabalho, atenção e função executiva das crianças estão em desenvolvimento no nível do circuito neural”, diz Patricia Costello, PhD, neurocientista e diretora de programas da Walden University. “A transmissão neural deles é efetivamente mais lenta do que nos adultos. Por sua vez, isso afeta como eles percebem a passagem do tempo. Quando somos adultos, nossos circuitos de tempo consolidam as conexões e assim aprendemos a decodificar corretamente a passagem do tempo.”

Como podemos parar com esse sentimento de que as coisas estão indo muito rápido, de perder nossas próprias vidas? Aprendendo coisas novas. Você está aprendendo uma nova habilidade? Você está cozinhando algo diferente? Introduzir novidade em sua vida, quando você puder, fará com que as memórias se destaquem e aumentem a sensação de duração do tempo.

O que é interessante nisso é que eu realmente não percebi o dia de Natal acelerar até depois que meus primeiros filhos nasceram e estabelecemos uma rotina familiar de Natal. Demorou vários anos para acontecer isso, já que eu não sou naturalmente orientada para a rotina. Mas uma vez que comecei a fazer a mesma coisa todos os anos (desde fazer as mesmas comidas até tocar a mesmas músicas de Natal), o dia parecia escorrer pelos dedos.

É o mesmo com o meu senso geral de tempo passando. Não notei a passagem do tempo parecer mais rápida até depois da faculdade, quando eu estava em casa com meus filhos pequenos. Paradoxalmente, os dias pareciam eternos, enquanto os anos pareciam passar muito rápido – isto é, até este ano.

Este ano foi diferente. Mudamos e eu comecei um novo trabalho – um que exigia (e ainda exige) uma enorme quantidade de aprendizado. Ainda estou aprendendo coisas todos os dias sobre o meu trabalho, e não apenas minha memória está melhorando, mas o tempo parece literalmente estar mais devagar. Este ano pareceu genuinamente o ano mais longo da minha vida. Não de uma maneira ruim, apenas no sentido de que realmente sinto ter vivido cada um desses 365 dias.

Então, neste Natal, vou aplicar esta lição. Algumas coisas serão como sempre, mas outras não. Vou experimentar uma nova receita, encontrar novas músicas de Natal e talvez apresentar a meus filhos um novo filme de Natal.

Ou talvez eu traga de volta uma tradição de minha própria infância e os leve para passear pelos arredores. Eu vou adorar. E tenho certeza que eles também. Feliz Natal!

Tags:
FamíliaNataltempo
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
SIMONE BILES
Cerith Gardiner
Simone Biles deixa as Olimpíadas com uma lição importante para to...
2
Batizado de Davi Henrique, 6 anos
Reportagem local
Davi, de 6 anos, reclama do padre no batizado: “Tá sabendo ...
3
HIDILYN DIAZ
Cerith Gardiner
Olimpíadas: depois de ganhar o ouro, atleta exibe outra medalha e...
4
David Arias
Reportagem local
Ex-satanista mexicano retorna à Igreja e testemunha: “O ter...
5
Philip Kosloski
Mesmo com ouro e glória, Michael Phelps foi ao fundo do poço – ma...
6
Pessoa idosa rezando o terço
Reportagem local
Brasil: carta de despedida de bisavó de 96 anos comove as redes s...
7
Claudio de Castro
Como salvar nossas almas nos últimos minutos antes da morte
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia