Aleteia

Lembrete para as mães: a gravidez também exige esforço mental e espiritual

PREGNANT
Pikselstock - Shutterstock
Compartilhar

A gestação também envolve trabalho interior muito importante!

No cansaço da gravidez, eu me pego fazendo constantes recapitulações do meu dia, tentando justificar por que meus membros parecem um espaguete. Meu marido estava vasculhando o quintal; se eu tentasse isso por 15 minutos apenas, precisaria de uma soneca de uma hora para compensar. Então, faço listas mentais, tentando justificar o que fiz para esgotar a cota de energia do meu dia inteiro já no início da tarde.

Isso é bobagem, é claro, e não está me ajudando a me sentir melhor com todos os cochilos que tiro. Mas tenho pensado: trabalho é trabalho, seja energia física, mental ou emocional que estamos gastando. E a gravidez é um momento único da vida. Há tanta coisa acontecendo dentro de nós que é difícil de explicar – ou mesmo entender.

Parte disso é trabalho físico, meu corpo enviando recursos incalculáveis ​ para meu filho, que ainda tem o tamanho de um abacate. Mas é bom reconhecer também o trabalho mental e emocional que vem com a gravidez.

Quando me lembro de que essas coisas também exigem esforço, fico menos surpresa e menos envergonhada de minha própria exaustão e tenho mais um motivo para ser gentil comigo mesma. Isso também me ajuda a concentrar minha atenção nesse trabalho oculto, para que eu possa fazê-lo com mais amor e mais intenção.

O trabalho interior da gravidez inclui:

1
Rezar

Rezar pelo bebê, por uma rápida recuperação, para que a família se adapte às novas rotinas, rezar por um bom parto e uma boa vida. Há muito o que pedir e agradecer  quando você é mãe de uma criança que ainda é tão desconhecida…

2
Preocupar-se

Preocupar-se não é nada divertido, e quando isso toma conta da sua vida, não é sinal de que você está fazendo algo “certo”. Porém, em certa medida, preocupar-se é um trabalho real que uma grávida faz. Preocupamo-nos para proteger a nós mesmos e a nossos filhos. Preocupamos-nos para nos preparar para o que está por vir. Se ninguém se preocupasse, quem garantiria que as necessidades de todos fossem atendidas? Sim, mães se preocupam – e esse é um trabalho árduo.

3
Manter a esperança

Nem sempre conseguimos o que esperamos, é claro. Mas as mães grávidas gastam energia esperando o bem, como Deus nos pede. E apenas o esforço necessário, em alguns dias, para lembrar que Deus é bom, e podemos confiar nele. Esse é um esforço real.

4
Entrega total

Todo mundo precisa ter um senso de algum controle sobre sua própria vida, mas na gravidez, a ilusão de controle que nos conforta tende a desaparecer. As mães, em particular, são especialmente chamadas para colocar o futuro nas mãos de Deus, e é incrivelmente difícil conciliar essa rendição autêntica com nossos instintos amorosos de controlar, planejar e garantir que tudo dê certo. Nosso chamado para nos render pode ser invisível, mas é absolutamente real e ainda mais difícil por causa da responsabilidade que temos com nossas famílias.

5
Manter a paciência

Paciência é outra daquelas coisas que não muda nada – mas nos muda. Não posso acelerar a data do parto, mas posso tornar minha vida e a de minha família muito mais fáceis e felizes, aprendendo a esperar esse bebê com paz e paciência.

6
Fazer repouso

As pessoas pensam que descansar é o oposto do trabalho, mas ir devagar não é natural para todos nós.  O mundo pode vê-la dormir cedo, mas você e Deus são os únicos que sabem o quanto você trabalhou para se ensinar que não há problema em descansar e que o seu corpo precisa disso.

Se você está exausta, é porque está trabalhando mais do que imagina. Mas, sinceramente, mesmo que o mundo exterior não possa entender o que significa fazer o trabalho mental único e exigente que as mulheres grávidas são especialmente chamadas a fazer, pelo menos você pode se lembrar e descansar, pois sabe que Deus também vê seus esforços.

 

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia