Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O Papa recebeu o frei Peter Tabichi, eleito o melhor professor do mundo em 2019

Compartilhar

O franciscano é professor de ciências na zona rural do Quênia e doa 80% da sua renda mensal para ajudar os alunos mais pobres a comprar uniformes e material escolar

O Papa Francisco recebeu na Casa Santa Marta, nesta quarta-feira, o frei Peter Tabichi, religioso franciscano e professor de Ciências que foi eleito “o melhor professor do mundo” graças ao seu trabalho educativo em uma região de pobreza extrema do Quênia. O frade foi premiado com o Global Teacher Prize 2019, considerado o “Prêmio Nobel de Educação”. Trata-se de um reconhecimento oferecido pela Fundação Varkey, entidade que se dedica à melhoria da educação para crianças carentes.

Em sua conta no Twitter, o frade se declarou “inspirado pela grande humildade do Papa” e contou que, quando Francisco lhe fez o seu costumeiro pedido de orações, ele devolveu o pedido:

“Reze por nós e por todos os professores”.

franciscan, prize, teacher,
Youtube - Khaleej Times

Missionário e professor entre os mais pobres

O franciscano é professor de ciências na Escola Secundária Keriko Mixed Day, localizada em uma zona rural do Quênia, e doa 80% de sua renda mensal para ajudar aos alunos mais pobres a comprar uniformes e materiais escolares.

Muitos desses estudantes percorrem mais de 6 quilômetros diariamente para chegar até a escola. Além disso, 95% dos alunos são provenientes de famílias pobres, quase um terço são órfãos ou têm apenas um dos pais e muitos não têm comida em casa.

As classes, que deveriam ter entre 35 e 40 alunos, chegam a ter o dobro de estudantes. Além disso, por lecionar em uma escola onde há apenas um computador e uma conexão precária de internet, o irmão Peter Tabichi é obrigado a ir até um café para baixar os materiais necessários para suas aulas.

Segundo dados oficiais, o trabalho do professor Tabichi fez, em três anos, a quantidade de matrículas dobrar e os casos de indisciplina caírem de 30 por semana para apenas três. Em 2017, apenas 16 dos 59 alunos ingressaram na faculdade, enquanto em 2018, 26 alunos foram para a universidade.

PETER MOKAYA TABICHI
TONY KARUMBA | AFP

A premiação e o discurso

A cerimônia de premiação aconteceu em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. Durante o evento, o frade fez questão de usar o hábito da ordem franciscana, cujo cordão de três nós simboliza a pobreza, a castidade e a obediência.

O religioso franciscano concorreu com outros dez mil indicados de 179 países e, além do troféu, recebeu 1 milhão de dólares que resolveu destinar a atividades educacionais. Em seu discurso, o frei Peter afirmou:

“Todos os dias, na África, viramos uma página e começamos um novo capítulo. Hoje é outro dia. Este prêmio não é um reconhecimento a mim, mas aos jovens deste grande continente. Estou aqui somente por causa do que os meus alunos alcançaram. Este prêmio dá a eles uma oportunidade, diz ao mundo que tudo é possível. A África produzirá cientistas, engenheiros, empresários cujos nomes serão, um dia, conhecidos em todos os cantos do mundo”.

Boletim
Receba Aleteia todo dia