Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

México oferece oportunidades a migrantes que cruzarem fronteira em ordem

Facebook BRED Banco de Ropa, calzado y Enseres Domésticos de Querétaro, I.A.P
Compartilhar

Os anúncios apontam que os programas de emprego serão postos em marcha em oito departamentos (estados) de Honduras e em 14 departamentos de El Salvador

Autoridades mexicanas pediram neste sábado (18) a migrantes centro-americanos que tentaram entrar à força pela fronteira com a Guatemala a manter “ordem e respeito”, assegurando-lhes que “há oportunidades para todos” os que entrarem no país seguindo o procedimento regular.

Mais cedo, membros da chamada caravana 2020, formada por milhares de migrantes, a maioria hondurenhos e salvadorenhos, entraram rapidamente em confronto com efetivos da Guarda Nacional, que resguardavam a ponte internacional Rodolfo Robles, uma das passagens formais entre o México e a Guatemala, mas acabaram sendo contidos.

O general Vicente Hernández, coordenador de operações da Guarda Nacional no rio Suchiate, fronteira natural entre os dois países, se aproximou da grade divisória sobre a ponte fronteiriça para se dirigir aos migrantes e garantir que haverá uma “recepção humanitária” mediante um “ingresso controlado”.

“Com ordem e respeito, todos seremos atendidos. Há oportunidades para todos. Entendemos a situação, vocês são nossos irmãos de Honduras, El Salvador, Guatemala”, disse Hernández aos centro-americanos, que responderam com atenção e aplausos à mensagem.

Alguns aceitaram imediatamente as condições das autoridades e começaram a entrar no recinto migratório em grupos de 20 pessoas.

Após a tensão da manhã, poucas pessoas permaneceram nas grades, enquanto o restante dispersou do lado guatemalteco na cidade de Tecún Umán. Alguns desceram para se refrescar nas águas do Suchiate e outros preferiram descansar em um abrigo na cidade.

“Peço às autoridades mexicanas que por favor nos deem uma oportunidade para poder empreender um bom trabalho e chegar a nos superar”, disse à AFP Edith Maya, de 40 anos, que deixou Puerto Cortés, ao norte de Honduras, acompanhada dos filhos de 9 e 13 anos.

Maya espera prosseguir até os Estados Unidos ou encontrar trabalho no México.

O general Hernández informou que, ante a chegada da caravana, foi reforçada a vigilância na fronteira sul, sem detalhar o número de agentes deslocados.

Detalhou que em El Ceibo, outra cidade fronteiriça, 200 pessoas também tentaram entrar irregularmente, mas foram contidas e, embora tenham sido convidadas a se registrar, optaram por voltar ao lado guatemalteco, onde se estima que haja mil migrantes.

Funcionários da Migração mexicana colaram cartolinas na zona fronteiriça com informação do Programa de Emergência Social, lançado pelo governo para atender o êxodo.

Os anúncios apontam que os programas de emprego serão postos em marcha em oito departamentos (estados) de Honduras e em 14 departamentos de El Salvador.

Boletim
Receba Aleteia todo dia