Aleteia
Terça-feira 29 Setembro |
Beato João de Montmirail
Histórias Inspiradoras

Carta de uma afilhada ao padrinho com síndrome de Down - depois do funeral dele

Jean-Eudes Lorne

Violaine des Courières | Facebook | Fair Use

Mathilde de Robien | Wed Jan 22 2020

"Aqui na terra você foi um dos menores entre nós. No Céu, você será sempre um dos maiores. A marca que você deixa aqui na terra é o seu sorriso luminoso como o sol"

Jean-Eudes Lorne partiu desta vida no dia 2 de janeiro de 2020, na região francesa de Sarthe, aos 64 anos.
Com a trissomia 21, conhecida como síndrome de Down, ele cumpriu com excelência o seu papel de padrinho da sobrinha Violaine, filha de uma de suas irmãs. A afilhada lhe prestou uma homenagem magnífica no dia seguinte ao seu funeral, em Notre-Dame-de-Sainte-Croix, Mans, na terça-feira, 7 de janeiro. Violaine de Courières, 31 anos, é casada e mãe de dois filhos. Jornalista, teve a particular experiência de ter como padrinho um tio com a trissomia 21. O “tio Jean-Eudes”, como ela o chama carinhosamente, lhe transmitiu desde a primeira infância a capacidade de aceitar a vida em outro ritmo. Essa graça também foi testemunhada pela irmã de Jean-Eudes, Guillemette, que, durante 15 anos, o acolheu em sua casa, após a morte dos seus pais:
“Estimulei Jean-Eudes, mas foi ele quem me deu uma razão para viver. Isso me ajudou a me transformar internamente, a me deixar mais simples, a ser mais humana”.

Uma bela unidade familiar se formou ao redor de Jean-Eudes, que tinha 9 irmãos e mais de 40 sobrinhos! Mesmo mais frágil e de ritmo mais lento que os outros, ele foi um elemento central na família graças à sua bondade e devoção. Era ele quem cortava a grama, se encarregava dos pequenos recados, preparava os pratos com grande cuidado. Violaine observa:
“Na verdade, o simples fato de estarmos atento ao tio Jean-Eudes nos unia”.

Eis o tributo que ela prestou ao padrinho:
“Meu padrinho, tio Jean-Eudes, faleceu na sexta-feira passada. Seu funeral foi ontem… Ele tinha trissomia 21 e não foi nada banal ter um padrinho assim.Entrar em comunicação com ele significava aceitar entrar num mundo com menos ‘performance’; um mundo mais lento. Ele tinha dificuldades para se expressar; gaguejava. Para ouvi-lo, era preciso ter paciência. Muitas vezes, quando eu era criança, ela me pedia um ‘desenho’. Eu me apressava para fazer logo. Mas lá vinha ele pedindo algum detalhe a mais: ‘um arco-íris’, depois ‘flores’, ‘nuvens’, ‘chuva’… Eu fazia com mais pressa ainda, porque queria sair logo para brincar. Mas era preciso ter paciência.No Natal, quando ele dava um presente – preparado pela sua irmã mais velha -, ele segurava o pacote nos braços, não queria me entregar. Minha tia precisava convencê-lo. Isso também era uma cerimônia que exigia paciência.Com ele, aprendi muito jovem que a fragilidade e a vulnerabilidade fazem parte da vida. E podem se transformar em graças!Tio Jean-Eudes, muito tempo atrás, num pedaço de papel que só encontramos vários anos depois, preso num crucifixo, você escreveu com grandes letras: ‘Os outros são bonitos e eu não sou, os outros são inteligentes e eu não sou, mas no Céu será diferente’.Aqui na terra você foi um dos menores entre nós. No Céu, você será sempre um dos maiores. A marca que você deixa aqui na terra é o seu sorriso luminoso como o sol.Obrigada por tudo que você me ensinou.A sua afilhadaViolaine”
DR
Jean-Eudes Lorne
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
FamíliaSíndrome de downTestemunho
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
ROSARY
Redação da Aleteia
Exorcista alerta sobre os perigos de "falar" ...
Aleteia Brasil
Com afastamento do pe. Robson, o Santuário de...
Redação da Aleteia
Papa Francisco: "Não usem o nome de Deus para...
HOLY COMMUNION
Redação da Aleteia
A Santa Missa não pode ser trocada por oraçõe...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Gaudium Press
Sabia que a aliança de casamento pode ter a f...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia