Aleteia

8 dicas para transformar os momentos de leitura com as crianças

CZYTANIE Z DZIECKIEM
gpointstudio | Shutterstock
Compartilhar

Além de proporcionar uma aproximação natural entre pais e filhos, as horas dedicadas aos livros promovem uma conexão amorosa e enriquecedora

Vivemos uma época em que se torna cada vez mais difícil se desvencilhar dos aparatos eletrônicos. São televisores inteligentes, dispositivos de inteligência artificial que auxiliam na automação doméstica, computadores e os “indispensáveis” smartphones.

Em meio a tudo isso, os livros físicos vão se tornando algo cada vez mais escasso no ambiente doméstico – e isso, obviamente, trará consequências às gerações futuras, afinal, bisbilhotar a biblioteca dos pais sempre foi um comportamento natural de uma criança que está despertando para a leitura.

Frente a essas circunstâncias, os pais devem estar mais atentos e fazer a “lição de casa” quando o assunto é estimular o hábito de leitura entre os filhos. Para isso, além de inseri-los em ambientes como livrarias e bibliotecas, é necessário tornar a leitura algo essencial e diário dentro da rotina da casa.

Se essa é a sua intenção como pai ou mãe, as dicas abaixo ajudarão a iniciar uma jornada que irá despertar em seu filho o amor pela leitura e tornar vocês dois ainda mais próximos.

1
Crie uma rotina

As histórias de ninar são excelentes para os pais que têm alguma dificuldade para fazer o filho dormir, mas nem sempre são grandes aliadas para aqueles que querem inserir os filhos no universo da leitura.

Sendo assim, reserve um horário do dia em que seu objetivo seja de fato desfrutar de um livro ao lado de sua criança. Desligue o smartphone e a TV, escolha uma história com seu pequeno e juntos comecem a leitura. Ao fazer isso, desapegue-se das preocupações do trabalho, dos e-mails e mensagens não respondidas e entregue-se ao momento. Você nem imagina como essas horas entre vocês dois são inestimáveis e muito importantes para seu filho.

2
Comece cedo

A partir dos quatros meses de vida, os pais já podem mostrar ao bebê estímulos visuais, utilizando livros com figuras grandes e coloridas. À medida que ele cresce e passa a segurar objetos, livros especiais – feitos com materiais como plástico ou tecido, que podem ser levados à boca – podem ser apresentados a ele. No momento em que o nenê começa a falar, o livro ganhará outra importância, pois poderá ser usado para ensinar novas palavras. Conforme seu nível de compreensão avançar, ele passará a pedir que o adulto lhe conte as histórias de seus livros, e isso representa que a semente da leitura já foi germinada.

3
Escolha títulos relacionados aos interesses de seu filho

Se seu garoto gosta de dinossauros, procure por livros protagonizados por esses seres pré-históricos. O mesmo vale para as meninas, que gostam de ursinhos fofos, unicórnios e bonecas. Outra aposta são os livros licenciados, que trazem personagens já conhecidos dos programas e séries de TV. Esse tipo de associação costuma ser infalível e sempre atrair a criança para a história presente no livro.

4
Resgate os clássicos

Procure se lembrar dos títulos que fizeram parte de sua infância e os apresente ao seu filho. Conte a ele o quanto você gostava de ler aqueles livros e os detalhes mais marcantes daquelas histórias. Ao fazer isso, ele perceberá como a leitura é fascinante e também irá querer compartilhar com você os livros dos quais mais gosta.

5
Seja eclético

Não se apegue apenas aos livros mais lidos ou recomendados pelos vendedores das livrarias. Esteja aberto aos livros que seu filho escolher e não critique caso o autor seja algum youtuber famoso – antes de tudo, lembre-se que o intuito é garantir a ele algumas horas prazerosas de leitura. Apoie seus gostos e sempre peça para que ele compartilhe com você suas impressões sobre o livro, principalmente aqueles para os quais você torce o nariz.

6
Não censure os gêneros

À medida que a criança cresce, os títulos devem evoluir para histórias mais elaboradas, por isso, nunca tenha receio de apresentar novos gêneros literários a seu filho. Durante essas novas experiências de leitura, ele poderá entrar em contato com novas emoções – como medo, raiva, maldade, injustiça, amor, bondade, tolerância, superação – que lhe ajudarão no processo de amadurecimento. Se achar mais seguro, leia os livros antes e depois os apresente a seu filho, mas nunca deixe de incentivá-lo a explorar novos contextos.

7
Encare os livros como um importante pilar educativo

Embora seja um grande recurso para garantir distração e lazer à criança, não se esqueça do imensurável potencial educativo dos livros. Dessa maneira, não deixe de incluir na biblioteca de seu filho fábulas e histórias que estimulam nas crianças o bom comportamento, as boas maneiras e, até mesmo, a benevolência. Nas livrarias, principalmente nas dedicadas à literatura católica, você encontrará inúmeros títulos que serão grandes aliados na educação de seu pequeno.

8
Nunca deixe de ler com seu filho

Quando você abre um livro ao lado de seu filho, uma nova jornada se inicia. Vocês serão grandes amigos nessa viagem e juntos experimentarão novas aventuras, emoções, surpresas que aquele livro reserva.

A leitura conjunta é a grande chave para a proximidade entre pai e filho, pois os torna companheiros e donos de um imenso repertório de narrativas e histórias compartilhadas. Essa experiência é capaz de criar vínculos indestrutíveis e que sedimentarão o relacionamento de confiança e cumplicidade que vocês terão em todas as fases da vida, inclusive durante a adolescência – período em que os filhos tendem a se distanciar.

Boletim
Receba Aleteia todo dia