Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 24 Julho |
home iconReligião
line break icon

Por que o Papa Francisco mudou o “Pai-Nosso” em italiano, mas não em português

Lord's Prayer

James Tissot | Brooklyn Museum | Public Domain

Reportagem local - publicado em 10/02/20

A mudança foi apenas em uma frase, mas, tratando-se da oração fundamental do cristianismo, qualquer alteração tem repercussão gigantesca

Chegará a todas as paróquias da Itália até o dia 29 de novembro deste ano, primeiro domingo do Advento, a edição revista do Missal Romano em italiano: a nova edição conterá um Pai-Nosso ligeiramente diferente daquele a que os fiéis se acostumaram durante gerações.

A mudança foi proposta pelo cardeal Gualtiero Bassetti, presidente da Conferência Episcopal Italiana, e aprovada pelo Papa Francisco durante a 72ª Assembleia Geral dos bispos daquele país, em 22 de maio de 2019.

O que mudará

O trecho do Pai-Nosso que mudará em italiano é aquele que, em português, se traduz como “não nos deixeis cair em tentação“.

A redação atual em italiano diz “non ci indurre in tentazione” (que quer dizer “não nos induzais à tentação“). Ela será substituída por “non abbandonarci alla tentazione” (que quer dizer “não nos abandoneis à tentação“, uma construção muito próxima da que já é usada hoje em português).

O Papa Francisco já tinha comentado em outubro de 2017, durante entrevista ao canal italiano TV 2000, que a tradução vigente naquele idioma não era boa porque Deus não nos induz à tentação, mas apenas permite que nós a enfrentemos. Portanto, não é adequado pedir a Ele que “não nos induza à tentação”, já que Ele de fato não o faz, mas sim que “não nos deixe cair nela”, “não nos abandone a ela”, pois, neste caso, estamos na verdade pedindo a graça de ser firmes em nossa vontade de não ceder à tentação que Ele permite que enfrentemos porque respeita a liberdade com que nos criou.

Na ocasião, Francisco declarou ao apresentador do programa televisivo, o pe. Marco Pozza:

“Sou eu quem cai em tentação; não é Deus que me joga nela”.

Mudanças em outros idiomas

A versão brasileira do Pai-Nosso já respeita o sentido original da súplica: “não nos deixeis cair em tentação“. Em português e nos outros idiomas, a oração não sofrerá mudanças.

Isto não quer dizer, porém, que a Conferência Episcopal Italiana tenha sido a primeira a solicitar do Vaticano a aprovação para fazer uma mudança no missal de seu país.

Os bispos da França solicitaram em 2017 uma mudança no mesmo trecho do Pai-Nosso agora ajustado em italiano. O francês também passava a ideia de “não nos submetais à tentação” (“ne nous soumets pas à la tentation“). A frase foi substituída por “ne nous laisse pas entrer en tentation” (“não nos deixeis entrar em tentação“, muito próxima da que usamos em português).

“Vós” ou “Tu”?

A forma de dirigir-se a Deus na oração em francês também foi reajustada: em vez do plural majestático (“Vós”), passou-se a usar a segunda pessoa do singular (“Tu”).

Essa mesma mudança foi realizada em Portugal em 2019, com a opção dos bispos portugueses pelo “Tu” em vez do antigo “Vós”, ao passo que, no Brasil, optou-se por manter o “Vós” tradicional.

Outras línguas, como o espanhol, já usavam o “Tu”. O latim e o grego também empregavam o “Tu”, por não ser usual nessas línguas o plural majestático. O inglês também usa o “You”, que é a única versão possível no idioma atualmente.

Os bispos podem mudar as orações à vontade?

As conferências episcopais de cada país podem propor e conceder a aprovação preliminar a ajustes nos textos oficiais da Igreja em seus idiomas nacionais, mas todos os textos alterados precisam ser apresentados à revisão e aprovação definitiva do Vaticano, que o faz mediante a sua Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, presidida atualmente pelo cardeal Robert Sarah.

Falando grego

As antigas versões em francês e em italiano tinham sido escolhidas para traduzir a frase em latim “ne nos inducas in tentationem“. O verbo latino “inducere” (“levar rumo a”), por sua vez, reproduz a estrutura do verbo grego “eisféro” (“levar até, conduzir até”).

E foi justamente o verbo escolhido para a redação em grego o “responsável” pela versão inadequada em francês e em italiano: é que os Evangelhos, de fato, foram escritos em grego (porque esta era a língua franca da época e a proposta era que os Evangelhos fossem divulgados ao máximo possível de pessoas) – mas o grego não era a língua em que Jesus conversava no Seu cotidiano.

Ao registrarem por escrito a oração do Pai-Nosso, os evangelistas procuraram transmitir em grego aquilo que Jesus tinha dito em aramaico.

No idioma de Jesus, o verbo que Ele tinha usado possui o sentido de “permitir entrar“, “deixar entrar“: ou seja, queria dizer “não permitais que entremos na tentação“, “não nos deixeis cair em tentação“. Mas, na redação em grego, o verbo usado contém uma ideia de “fazer entrar“, “forçar a entrada“: ou seja, algo como “não nos façais entrar em tentação“, “não nos leveis até a tentação“, “não nos induzais à tentação” (como a versão anterior em italiano), “não nos submetais à tentação” (como a versão anterior em francês).

Acontece que, de fato, “não fazer entrar em tentação” é bastante diferente de “não deixar entrar em tentação“.

Deus não nos leva à tentação, mas a permite

A diferença é crucial. Todos os seres humanos podem sofrer a tentação: o próprio Jesus, aliás, foi tentado pelo diabo no deserto.

Deus o permite porque nos criou livres: se Ele não nos deixasse enfrentar a tentação, não teríamos a liberdade de rejeitá-la; ou seja, no fim das contas não seríamos de fato livres. Ser livre, afinal, é exercer a faculdade de escolher entre várias opções: inclusive entre o bem e o mal.

Por isso Deus deixa que sejamos tentados, mas não nos induz Ele próprio à tentação: Ele não nos força a escolhê-la, não a propõe forçosamente a nós.


PATH IN THE WOODS

Leia também:
Deus não manda ninguém para o inferno




Leia também:
A relação entre os 7 vícios capitais, os 7 pedidos do Pai-Nosso e os 7 dons do Espírito Santo

Tags:
LiturgiaOraçãoPapa Francisco
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
Reportagem local
A arrepiante oração de uma mulher no corredor da morte por ser ca...
2
CROSS;
Reportagem local
O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e ...
3
Aleteia Brasil
Sorrisão e joelhos: 2 pais brasileiros e seus bebês que emocionar...
4
Papa Francisco
Reportagem local
Papa: como não culpar Deus diante da morte de um ente querido
5
Atriz Claudia Rodrigues
Reportagem local
Assessora pede orações por atriz Claudia Rodrigues: “está m...
6
PADRE PIO
Philip Kosloski
A oração que Padre Pio fazia todos os dias ao Anjo da Guarda
7
Orfa Astorga
Até que idade é saudável morar na casa dos pais?
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia