Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Solidariedade: os 34 repatriados de Wuhan já estão no Brasil

Captura de Tela Youtube / Ministério da Defesa
Compartilhar

Entre eles, os pequenos Matheus e Isabela ganharam berços personalizados: bem-vindos de volta!

Pousaram pouco após as 6 horas da manhã deste domingo, 9 de fevereiro, na Base Aérea de Anápolis, em Goiás, as 34 pessoas trazidas pela Força Área Brasileira da cidade chinesa de Wuhan, epicentro do surto do coronavírus. Entre brasileiros e seus cônjuges chineses, todos eles ficarão alojados no local, em isolamento e observação, durante 18 dias.

Uma das repatriadas é a pequena Isabela, de 1 ano e meio, que chegou com a mãe, a chinesa Hui Zhang. Elas haviam viajado à China para que a família materna pudesse conhecer a menina. O retorno estava marcado para 25 de janeiro, mas, dois dias antes, o aeroporto foi fechado por causa do surto. O pai é o argentino Luís Pablo Lassale, que chorou, emocionado, quando viu a foto do berço com o nome de Isabela preparado pela FAB na base aérea.

As fotos divulgadas pelo Ministério da Defesa na última sexta-feira, 7, mostram ainda um segundo berço, com o nome de Matheus.

No hotel da base foram preparadas 38 suítes com TV, internet, frigobar, telefone e ar condicionado, além de aréa externa de lazer adulto e infantil. Os repatriados terão direito a 6 refeições diárias e deverão usar máscaras quando estiverem nas áreas comuns.

O Ministério da Saúde avaliará o quadro de cada integrante da equipe de apoio para saber se o grupo de suporte também precisará ficar isolado. Cinquenta militares fizeram a desinfecção dos equipamentos e veículos usados no transporte dos passageiros após o pouso.

A repatriação demandou 95 horas de voo desde que as equipes partiram de Brasília, na quarta-feira, 5, rumo à China. O retorno começou na sexta, 7, com a decolagem de Wuhan e paradas técnicas em Urumqi, na China, Varsóvia, na Polônia, Las Palmas, nas ilhas Canárias, pertencentes à Espanha, e em Fortaleza, já no Brasil. Cada trecho da viagem de ida e volta foi de cerca de 18,3 mil quilômetros.

Boletim
Receba Aleteia todo dia