Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Vatican Insider: Papa disse a bispos dos EUA que “não haverá padres casados”

POPE AUDIENCE
Compartilhar

E a exortação apostólica pós-sinodal “Querida Amazônia” mantém o sacerdócio tal como instituído por Cristo

Com base em informações da Catholic News Service, agência de notícias do episcopado norte-americano, o Vatican Insider, sessão sobre o Vaticano editada pelo jornal italiano La Stampa, divulgou que, no final de dezembro de 2019, o Papa Francisco teria afirmado categoricamente a um grupo de bispos dos Estados Unidos que a Igreja não permitirá o casamento de sacerdotes católicos.

A escassez de sacerdotes em regiões remotas como a Amazônia exigirá reflexões, mas o recurso a padres casados não está previsto para agora, segundo o arcebispo dom Oscar A. Solis, de Salt Lake City. Por sua vez, dom John Charles Wester, arcebispo de Santa Fe, complementa, com bom humor:

“O Papa ouviu que o Espírito Santo não está dando sinais de ‘mente aberta'”.

Exortação apostólica pós-sinodal “Querida Amazônia” e o sacerdócio

Durante o chamado Sínodo da Amazônia, houve grande polêmica em torno à suposta possibilidade de o Papa autorizar a ordenação de homens casados. Com a publicação da exortação apostólica pós-sinodal “Querida Amazônia”, Francisco recordou, porém, que o caráter exclusivo do sacramento da ordem sacerdotal capacita só o sacerdote a presidir a Eucaristia, uma função sacerdotal que é “específica, principal e não delegável”. Ele exortou, portanto, a se procurar outro modo de “assegurar este ministério sacerdotal” nos lugares mais remotos da Amazônia e observou que, para ajudar os sacerdotes, os leigos “poderão anunciar a Palavra, ensinar, organizar as suas comunidades, celebrar alguns Sacramentos, buscar várias expressões para a piedade popular e desenvolver os múltiplos dons que o Espírito derrama neles”.

Francisco deixa claro, ao mesmo tempo, que a Amazônia precisa de mais sacerdotes: “Eles precisam da celebração da Eucaristia porque ela ‘faz a Igreja’“. O Papa incentivou os bispos, em especial da América Latina, a promoverem a oração pelas vocações sacerdotais e a “ser mais generosos, levando os que demonstram vocação missionária a optarem pela Amazônia“.

A carência de sacerdotes “não exclui que ordinariamente os diáconos permanentes – deveriam ser muitos mais na Amazônia –, as religiosas e os próprios leigos assumam responsabilidades importantes visando o crescimento das comunidades“.

Mas a ordenação sacerdotal continuará sendo como foi instituída por Jesus Cristo.

Boletim
Receba Aleteia todo dia