Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Por que todas as quartas-feiras eram dias de jejum para os católicos

Judas' betrayal
Compartilhar

A tradição do jejum às quartas-feiras tem a ver com a traição de Judas, prevaleceu por vários séculos e não acontecia só na Quarta-feira de Cinzas

Na Igreja Católica Romana, a Quaresma começa na “Quarta-feira de Cinzas” e é marcada pelo jejum e pela abstinência. O que é interessante notar é que, durante séculos, as quartas e sextas-feiras eram dias de jejum durante todo o ano civil.

Até que faz sentido jejuar nas sextas-feiras, pois esse dia lembra a Sexta-feira Santa, quando Jesus morreu na cruz.

No entanto, por que a Igreja escolheu as quartas-feiras para recomendar o jejum?

De acordo com o livro A Pulpit Commentary on Catholic Teaching, uma das razões pelas quais as quartas e sextas-feiras foram escolhidas como dias de jejum em Roma era para combater o comportamento pecaminoso que prevalecia entre os pagãos naqueles dias específicos. Abaixo, um trecho do livro:

“Na Igreja primitiva, quartas e sextas-feiras eram apontadas como dias de jejum. A escolha desses dias foi a mais apropriada, pois a quarta-feira era dedicada pelos pagãos a Mercúrio, o deus do roubo e da injustiça, e a sexta-feira era consagrada a Vênus, a deusa do amor carnal e da devassidão; portanto, o jejum naqueles dias era bem calculado para expiar os inúmeros pecados de injustiça e impureza cometidos em todos os lugares quase sem restrições, e para impedir que os cristãos se entregassem a eles.”

Embora essa possa ter sido uma das primeiras razões pelas quais esses dias foram escolhidos, a principal razão de a quarta-feira ter virado um dia de jejum foi em memória da traição de Judas, que, segundo a tradição, traiu Jesus na quarta-feira.

O jejum de quarta-feira tem ligação direta com a Paixão de Jesus e relembra um evento triste na vida de Cristo. O jejum tornou-se uma maneira de retratar essa traição, bem como um lembrete de quantas vezes traímos Jesus através das más escolhas que fazemos diariamente.

Embora quarta-feira não seja mais um dia de jejum durante todo o ano, um remanescente dessa tradição é encontrado na Quarta-feira de Cinzas, quando a Igreja começa seu jejum quaresmal.

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia