Aleteia

Jardim Místico de Veneza é baseado nas visões de uma santa católica

SAINT TERESA OF AVILA
Compartilhar

Carmelitas em Veneza criaram um jardim que exibe a jornada das almas católicas descrita pela mística espanhola Santa Teresa d’Ávila em 1588

Clique aqui para abrir a galeria de fotos

Santa Teresa d’Ávila é uma das mais importantes santas do catolicismo. Nascida nobre espanhola, essa irmã carmelita fundou o mosteiro de São José em Ávila, Espanha, e compilou uma série de textos que se tornaram um item básico da literatura católica.

Seu trabalho mais importante, concluído em 1588, é intitulado O Castelo Interior e fornece ideias imaginativas sobre como levar uma vida gratificante em comunhão com Deus.

Santa Teresa de Jesus, como é frequentemente chamada, imaginou nossa alma como um diamante em forma de castelo, contendo sete casas ou moradas, cada uma representando um passo na jornada que leva à total união com Deus.

Um jardim de mosteiro baseado na visão de uma santa

Hoje, você pode visitar um lugar que realmente transformou essa alegoria literária em realidade. A Ordem dos Frades Carmelitas em Veneza, Itália, criou um “Jardim Místico” com sete canteiros de flores, cada um representando uma das mansões do Castelo Interior de Santa Teresa.

A Ordem Carmelita foi fundada em 1200 perto do Monte Carmelo, na Palestina. Os primeiros frades carmelitas escaparam da Terra Santa após uma invasão sarracena no século XIII e se estabeleceram na Europa continental.

Desde sua chegada a Veneza no século XVII, eles mantêm uma horta perto da Igreja de Santa Maria de Nazaré. Lá eles cultivaram vegetais e ervas medicinais usadas para fazer seu famoso remédio herbal chamado “Melissa”.

Em 2014, esse local foi reestruturado para reproduzir as sete moradas que Santa Teresa costumava aludir aos sete estágios que precisam ser integrados na jornada de uma alma para a total comunhão com Deus.

As sete moradas do castelo interior de Santa Teresa

A primeira morada no livro de Santa Teresa é dedicada ao “autoconhecimento” e à humildade, que podem ser alcançadas através da oração e da meditação. Os frades carmelitas em Veneza representavam essa “mansão” com um gramado simples e humilde.

A segunda morada da alma é dedicada à purificação que pode ser alcançada pela oração, conversas com boas pessoas, sermões e bons livros. No Jardim Místico de Veneza, isso é representado por ervas medicinais, que representam a purificação do corpo para alcançar a comunhão com Deus.

O terceiro canteiro de flores nos jardins abriga vegetais e representa um símbolo da capacidade desenvolvida de praticar a caridade, evitar pecados e ter cuidado com as palavras.

A quarta morada sinaliza uma mudança dos estágios ativos de oração, perseguidos nas três primeiras casas, para os estágios místicos da oração, onde os crentes podem experimentar a presença sobrenatural de Deus. Esta mudança é simbolizada por uma vinha com 17 fileiras de videiras. A maneira como as videiras podem ser transformadas em vinho é de fato uma reminiscência do poder sobrenatural da quarta morada.

O quinto canteiro de flores é dedicado às flores “antigas” e “perdidas”, uma referência aos “tesouros escondidos” que Santa Teresa descreveu na quinta morada do Castelo Interior, tesouros que podem ser alcançados pela contemplação passiva. A mística espanhola especificou que a maioria de suas irmãs carmelitas poderia alcançar este quinto estágio.

A sexta morada é, de acordo com Santa Teresa, o estágio em que os crentes passam de estágios iluminativos para estágios unitivos, os de comunhão com Deus. Aqui, os crentes podem experimentar esses episódios místicos, como visões e vozes típicas de grandes místicos, como Padre Pio e São Tomás de Aquino. No Jardim Místico, este estágio é representado por oliveiras que podem viver em condições muito duras por séculos, em comunhão com seu ambiente mais amplo.

A sétima e última morada é onde a alma finalmente se casa com Deus. Todas as três Pessoas Divinas da Trindade aparecem e falam à alma. Santa Teresa alcançou esse estado em sua vida e relata uma aparição detalhada de Jesus surgindo na sua frente. Este estágio é simbolizado por uma floresta, onde grandes árvores simbolizam a essência de Deus.

O Jardim Místico dos Carmelitas, em Veneza, fica logo atrás da principal estação ferroviária, em Cannaregio, 54 / A. Fica aberto todos os dias das 9:00 às 17:00

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia