Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 15 Abril |
Aleteia logo
Histórias Inspiradoras
separateurCreated with Sketch.

Família de menino do vídeo de bullying ganha R$ 2,2 milhões e os doa à caridade

QUADEN BAYLES

@chukstagram

Reportagem local - publicado em 02/03/20

Donativos eram para presentear ao pequeno Quaden uma viagem à Disney, mas a família preferiu ajudar outras pessoas necessitadas: "Vamos focar no problema real"

Na semana passada, um vídeo chocante deu a volta ao mundo: o pequeno Quaden Bayles, de 9 anos, bradava desesperado, diante da mãe, que queria se matar porque não suportava mais ser humilhado devido ao seu nanismo.

“Me dá uma corda, eu quero me suicidar (..) Eu só quero dar uma facada no meu coração… Eu quero que alguém me mate!”

Foi a mãe dele, Yarraka Bayles, quem tomou a corajosa e delicada decisão de publicar o vídeo do filho em explosão de angústia e sofrimento.

“Acabo de buscar o meu filho na escola. Fui testemunha de um episódio de bullying, chamei o diretor e quero que as pessoas saibam que este é o efeito do bullying. É isto aqui o que o bullying faz. Este é o impacto do bullying num menino de nove anos que só quer ir à escola, receber educação e se divertir, mas todo dia acontece alguma coisa”.

Reação mundial

O impacto das palavras do menino fizeram o vídeo viralizar, gerando uma onda de choque e de solidariedade mundo afora.

O comediante norte-americano Brad Williams, que também tem nanismo, organizou uma “vaquinha” virtual para presentear ao garoto uma viagem à Disney. A iniciativa angariou cerca de 500 mil dólares, valor superior a 2,2 milhões de reais.

Decisão da família: “Vamos focar no problema real”

No entanto, a família de Quaden resolveu agradecer pela solidariedade, mas destinar o donativo não a uma viagem à Disney e sim a outras entidades australianas que ajudam pessoas necessitadas. Uma tia de Quaden, Mundanara Bayles, foi quem transmitiu a decisão ao público:

“Qual é a criança que não gostaria de ir à Disney, especialmente se ela teve a vida do Quaden? Viajar para qualquer lugar divertido ajudaria a esquecer os desafios diários. Mas a minha irmã falou: ‘Vamos focar no problema real’. Esse menino tem sido alvo de bullying. Quantos suicídios na nossa sociedade não são decorrentes de bullying? Queremos que esse dinheiro vá para organizações que realmente precisem”.

O dinheiro será dividido entre duas organizações: a Dwarfism Awareness Australia, que presta suporte a pessoas com nanismo, e a Balunu Healing Foundation, que ajuda jovens aborígenes australianos em situações precárias.

Esta família deu ao mundo duas lições extraordinárias em questão de uma semana.


DWARFISM

Leia também:
Choque mundial: por bullying, menino de 9 anos clama em vídeo que quer se matar

Tags:
CaridadeFamíliagenerosidadePecado
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia