Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 02 Agosto |
home iconEstilo de vida
line break icon

Por que às vezes vale a pena dar um passo atrás?

KROK

pixpoetry/Unsplash | CC0

Dawid Feliszek - publicado em 02/03/20

Às vezes você precisa abrir mão da sua opinião, porque o relacionamento com os outros é mais importante do que muitos interesses particulares

“Mãe, você pode me dar 50 dólares para sair com os amigos?” – perguntou o filho.

“Mas por que você precisa de 50 dólares? É muito dinheiro. Não posso te dar tanto assim” – respondeu a mãe, surpresa.

“Então me dê pelo menos 20 dólares” – pediu o filho.

“Bem, 20 dólares eu posso dar”, disse a mãe, entregando o dinheiro ao filho.

Essa situação é um exemplo típico de um princípio cuja aplicação adequada torna possível atingir uma meta que seria mais difícil de alcançar de maneira direta.

Juanito esperava 20 dólares desde o início. Se tivesse pedido por eles no começo, talvez não conseguisse. No entanto, pedindo uma quantia maior e desistindo dela, ela mostrou à mãe que havia feito uma concessão, o que também criou a necessidade da mãe fazer uma concessão e atender o desejo de seu filho.

Você pode desaprovar esse comportamento como uma pequena forma de manipulação. No entanto, podemos nos perguntar se não o usamos muito pouco em nossas vidas.

Às vezes vale a pena deixar passar

Todos nós lidamos com alguma forma de disputa e negociação. Seja em conversas de negócios ou em assuntos familiares comuns, sempre há a necessidade de encontrar uma solução comum.

Às vezes isso leva ao abandono das expectativas originais e força à renúncia, para que o acordo alcançado seja satisfatório para ambas as partes. No entanto, as pessoas têm uma tendência natural a querer inclinar a balança a seu favor e não abrir mão de nada, mesmo nos assuntos mais insignificantes.

Isso é particularmente evidente no contexto de relacionamentos verticais, quando uma pessoa tem a capacidade de influenciar outra pessoa.

Assim, os responsáveis que exercem qualquer autoridade (incluindo a responsabilidade como pai/mãe) devem se lembrar disso especialmente. É muito fácil sentir-se tentado a tomar todas as decisões independentemente e influenciar os outros. Isso, no entanto, pode levar a consequências fatais.

Nesse caso, como em qualquer outra faceta da vida humana, é necessário lembrar as próprias imperfeições e a possibilidade de inclusive cometer erros.

Um passo atrás

Como isso pode ser corrigido quando uma pessoa buscar atingir as metas quase “pisando nos outros”, forçando a resolução? Além disso, muitas vezes, o apego à própria opinião é tão grande que a pessoa não cede, mesmo vendo um erro em sua abordagem. Ela não inclina a cabeça para admitir a derrota.

A velha verdade deve ser lembrada: embora as pessoas possam ver facilmente seus erros, é extremamente difícil admiti-los.

A capacidade de recuar resolveria muitos problemas em nossas vidas

Isso se aplica não apenas às pessoas, mas também a vários grupos e comunidades. Você pode observar constantemente como pessoas específicas se reúnem em torno de certas ideias e criam raízes, apenas para passar a vida toda com suas próprias ideias. Elas não são afetadas por argumentos vindos do exterior. E mesmo que, por sua teimosia, não consigam nada.

O princípio que mencionamos acima com a história da mãe e do filho (princípio da negação-retirada) ensina que certos benefícios só podem ser obtidos se alguém retroceder um passo. Você precisa deixar espaço para o outro. Um dos fundamentos da ação humana é a reciprocidade. Vale a pena usá-la com sabedoria.

No entanto, isso não significa a renúncia completa dos próprios valores ou razões. No entanto, nem todos os assuntos valem a pena ser defendidos a ferro e fogo.

Não é de surpreender que geralmente pensemos da mesma forma sobre questões fundamentais. É nas questões menores que não chegamos a um acordo. E, ainda mais surpreendente, é nelas que estamos menos dispostos a dar um passo atrás. Pode valer a pena mudar isso em sua vida, família e, finalmente, em toda a sociedade.

Tags:
AmizadeRelacionamentoTrabalhoVirtudes
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
SIMONE BILES
Cerith Gardiner
Simone Biles deixa as Olimpíadas com uma lição importante para to...
2
Batizado de Davi Henrique, 6 anos
Reportagem local
Davi, de 6 anos, reclama do padre no batizado: “Tá sabendo ...
3
HIDILYN DIAZ
Cerith Gardiner
Olimpíadas: depois de ganhar o ouro, atleta exibe outra medalha e...
4
David Arias
Reportagem local
Ex-satanista mexicano retorna à Igreja e testemunha: “O ter...
5
Philip Kosloski
Mesmo com ouro e glória, Michael Phelps foi ao fundo do poço – ma...
6
Pessoa idosa rezando o terço
Reportagem local
Brasil: carta de despedida de bisavó de 96 anos comove as redes s...
7
Claudio de Castro
Como salvar nossas almas nos últimos minutos antes da morte
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia