Aleteia

O homem do Sudário não estava morto, segundo um estudo médico

TURIN
Shutterstock | gonewiththewind
Compartilhar

A pesquisa do Dr. Bernardo Hontanilla é baseada no fato de que a figura do Sudário de Turim apresenta “sinais de vida incompatíveis com um cadáver”

Clique aqui para abrir a galeria de fotos

A origem do Sudário e a imagem que ele mostra continuam motivando estudos da comunidade científica. Uma investigação médica recente poderia mudar as hipóteses que estavam sendo consideradas até agora.

O Dr. Bernardo Hontanilla, especialista em Cirurgia Plástica da Universidade de Navarra (Espanha), acaba de publicar um artigo na revista científica “Scientia et fides”, no qual expõe suas conclusões: a imagem do Santo Sudário “corresponde a um homem vivo”.

O Dr. Hontanilla, com 25 anos de carreira profissional e especialista em cirurgia facial, fornece os seguintes dados:

A presença de sulcos nasogenianos na face do Sudário

“Na imagem do Sudário, os sulcos nasogenianos são claramente visíveis. São essas fendas ou dobras que temos à direita e à esquerda do nariz e que descem à boca ”, explica o médico. Em um cadáver, esses sulcos não aparecem porque, com a morte, os músculos relaxam e o vinco desaparece.

Esses sulcos desaparecem apenas – no caso de uma pessoa viva – quando ocorre uma paralisia facial.

“A presença de sulcos nasogenianos é incompatível com um cadáver, excluindo o caso de espasmo facial, que não ocorre na figura”, conclui Hontanilla.

Os lábios fechados do “Homem do Sudário”

Este médico afirma que “após a morte, o corpo experimenta um ato de relaxamento e isso faz com que a boca se abra. Na imagem do Sudário, essa situação não ocorre: os lábios estão fechados.”

A presença de lábios fechados e a presença de sulcos ao mesmo tempo é novamente incompatível com um cadáver.

Posição do corpo

No Sudário, “existe uma flexão do pescoço para a frente, há uma semi-flexão assimétrica das pernas (O joelho está dobrado levemente e não da mesma forma nas duas pernas) e uma sola do pé está apoiada no solo. Ao mesmo tempo, as mãos repousam sobre os órgãos genitais e os cobrem”. Hontanilla acrescenta: “o que o Sudário mostra é o conjunto de movimentos que uma pessoa faz quando recolhe seus membros”.

“Sinais de morte e sinais de vida”

Embora até agora sempre se pensasse que o Santo Sudário ilustrava a imagem de um homem morto, o Dr. Hontanilla afirma que “ele traz sinais de morte e sinais de vida”. Entre os sinais de vida estão aqueles que manifestam um homem em uma atitude de se levantar.

Quanto aos sinais de morte apresentados pelo Sudário, haveria, por exemplo, restos de sangue: “há sangue pre-mortem no rosto e nas costas; e restos de sangue post-mortem na lateral, onde há um coágulo.”

Jesus Cristo é “o homem do Sudário”?

Para o Dr. Bernardo Hontanilla, os dados de seu estudo “falham em determinar se estamos falando sobre Jesus Cristo, porque para isso precisaríamos de prova de DNA. Mas o que esse trabalho científico pode dizer é que nada observado é incompatível com o relato evangélico tanto da morte quanto da ressurreição de Jesus.”

Hontanilla não nega que, com sua teoria, a imagem do “homem do Sudário” combine “sinais de morte e sinais de vida”.

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia