Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Será que um dia voltaremos a ser exemplares como os primeiros cristãos?

CATHOLIC,MASS
Creative Touch Imaging Ltd | NurPhoto
Compartilhar

Uma pergunta desafiadora, respondida pelo pe. Cido Pereira

Em sua coluna no jornal arquidiocesano O São Paulo, o pe. Cido Pereira respondeu à seguinte e complexa pergunta:

O Henrique Pio de Faria, de Alfenas (MG), faz uma reflexão após ler esta passagem dos Atos dos Apóstolos, capítulo 2, versículos 45-46: “Vendiam as suas propriedades e os seus bens, e dividiam-nos por todos, segundo a necessidade de cada um. Unidos de coração, frequentavam todos os dias o templo. Partiam o pão nas casas e tomavam a comida com alegria e singeleza de coração”. E pergunta: “Padre Cido, algum dia chegaremos ao ápice da história humana como nessas primeiras comunidades?”.

Pois é, meu irmão Henrique. Quando lemos essas palavras dos Atos dos Apóstolos, ficamos imaginando se não foi para isso que Deus nos criou, não é mesmo? Deus criou este mundo tão grande e bonito e nos colocou nele para que vivêssemos como irmãos, ninguém considerando exclusivamente seus os bens deste mundo, todos partilhando tudo, ninguém passando necessidade. Sob o olhar amoroso de Deus, a humanidade seria uma grande família.

Sabe, Henrique, os pagãos se espantavam com o amor vivido pelos primeiros cristãos e comentavam entre si: “Vejam como eles se amam!” Chegaremos a viver esta realidade. Será difícil, é claro, mas podemos começar a transformar a sociedade por nós, por nossas famílias, por nossas comunidades cristãs. Existem experiências lindas neste sentido.

O certo é que Jesus veio consertar o estrago que o pecado fez no mundo, na sociedade dos homens, na vida pessoal, familiar e comunitária de todos. E, quanto mais nos aproximarmos daquele amor querido por Jesus e vivido pelos primeiros cristãos, mais iremos concretizar o projeto de Deus para a humanidade.

Somos discípulos de Jesus. Somos seguidores de um mestre divino que foi puro amor e ensinou a amar com palavras, com gestos e com o ato supremo de dar a vida por nós. Por isso mesmo, devemos nos deixar incomodar pela vida fraterna dos primeiros cristãos e imitá-los.

Um abraço, meu irmão. Fique com Deus e que Ele abençoe você e sua família.

Boletim
Receba Aleteia todo dia