Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Bispo italiano com coronavírus: “oportunidade para a conversão quaresmal”

Dom Antonio Napolioni
Compartilhar

Ele cita aspectos positivos que poderão ser aprendidos com a dura experiência desta quaresma em quarentena

Dom Antonio Napolioni, bispo de Cremona, Itália, foi contaminado pela Covid-19, a doença causada pelo coronavírus. Ele está internado há 8 dias, e, agora em situação estável, deu declarações ao Vatican News, agência informativa do Vaticano.

Dom Antonio declarou seu pesar pelo falecimento do monsenhor Vincenzo Rini, de 75 anos, que era o presidente da Federação Italiana de Semanários Católicos. Mons. Rini morreu neste domingo, 15, no mesmo hospital.

Alguns destaques da fala de dom Antonio:

“[Esta doença] ajudou a tomar consciência da nossa fragilidade. Com relação a isso, a prudência nunca é excessiva. Se esta situação nos obrigar a dar um passo atrás no ativismo e na agitação, esse aspecto terá sido providencial. Não devemos ter medo. Eu contraí o vírus em plena visita pastoral, na missão no meio do povo. Provavelmente vamos ter que recalibrar as modalidades de nos relacionarmos, para não nos impedirem de estar com as pessoas e entre as pessoas, mas com a inteligência que isso exige”.

“Vamos redescobrir a presença do Senhor de um jeito bem mais poderoso, fiel e abrangente do que as formas a que já estamos acostumados”.

“Para além da diversidade regional, das sensibilidades políticas e de interpretação, estamos verdadeiramente num momento de unidade do qual temos absoluta necessidade para entender como continuar a construir, neste momento que nos coube viver, os caminhos para o futuro das nossas gerações”.

“Saber quanta gente está em oração e quantos se entregam aos outros enche o coração de consolo e de paz”.

“É uma grande oportunidade para a conversão. Não poderia imaginar uma Quaresma mais completa, de certos pontos de vista: dramaticamente dura, mas, precisamente por isso, perfeita”.

Boletim
Receba Aleteia todo dia