Aleteia
Quarta-feira 28 Outubro |
São Fulco
Religião

Secretário do Papa: "Penso nos que abandonarão a Igreja porque a Igreja os abandonou quando precisavam"

JULIAN LOZANO

Gentileza

Reportagem local - publicado em 19/03/20

"Nós, pastores, corremos o risco de nos colocar entre os assustados e não entre os médicos, enfermeiros, voluntários, trabalhadores e pais de família que estão na linha de frente"

O pe. Yoannis Lahzi Gadi, secretário do Papa Francisco, enviou a um grupo de sacerdotes uma carta, aprovada pelo Papa, na qual apela a todos os sacerdotes para não se deixarem contaminar pela “epidemia do medo”, e sim para agirem de acordo com Deus e não com o pensamento dos homens.

Eis a tradução da carta, originalmente escrita em italiano:

Quo vadis, Domine?” (Para onde vais, Senhor?)
É um episódio atribuído ao apóstolo Pedro que, segundo a tradição, estava fugindo de Roma para escapar das perseguições de Nero quando teria encontrado Cristo, que carregava uma Cruz sobre os ombros e ia em direção a Roma. Pedro perguntou a Jesus: “Domine, quo vadis?“, ou seja, “Senhor, para onde vais?”, e, diante da resposta de Jesus, “Eo Romam iterum crucifigi“, “Vou a Roma para ser crucificado novamente”, Pedro compreendeu que tinha de voltar a Roma para enfrentar o martírio.
Humanamente falando, Pedro tinha todo o direito de fugir para salvar sua vida da perseguição e talvez fundar outras comunidades e igrejas, mas, na realidade, agia-se conforme a lógica do mundo, como Satanás, ou seja, pensando como os homens e não segundo Deus. Jesus, voltando-se, disse a Pedro: “Aparta-te de mim, Satanás, porque os teus pensamentos não são os de Deus, mas os dos homens” (Mc 8, 33). No Evangelho de João, ao falar do “Bom Pastor” e do mercenário, Cristo se apresenta como o “Bom Pastor” que não apenas toma conta das ovelhas, mas ainda as conhece pessoalmente e chega a dar vida por elas. Jesus é o “guia” seguro do povo que procura uma estrada rumo a Deus e aos irmãos. Na epidemia do medo que estamos todos vivendo por causa da pandemia do coronavírus, todos corremos o risco de nos comportarmos como mercenários e não como pastores. Não podemos nem devemos julgar, mas vem à nossa mente a imagem de Cristo que encontra Pedro assustado e em fuga, não para repreendê-lo, mas para morrer em seu lugar. Pensemos em todas as almas amedrontadas e deixadas sozinhas porque nós, pastores, seguimos as instruções civis – o que é correto e certamente necessário neste momento para evitar o contágio -, mas corremos o risco de deixar de lado as instruções divinas – o que é pecado. Pensamos como os homens e não segundo Deus. Colocamo-nos entre os assustados e não entre os médicos, enfermeiros, voluntários, trabalhadores e pais de família que estão na linha de frente. Penso nas pessoas que vivem nutrindo-se da Eucaristia, porque elas acreditam na Presença Real de Cristo que Se doa na Comunhão. Penso nas pessoas que agora têm de contentar-se com a transmissão da Missa via streaming. Penso nas almas que precisam de conforto espiritual e de confissão. Penso nas pessoas que certamente abandonarão a Igreja quando esse pesadelo acabar, porque a Igreja as abandonou quando elas precisavam.
É bom que as igrejas permaneçam abertas. Os padres devem ficar na linha de frente. Os fiéis precisam achar coragem e conforto olhando para os seus pastores. Os fiéis precisam saber que, em qualquer momento, podem correr para se refugiar nas igrejas e nas paróquias e encontrá-las abertas e prontas para os acolher. A Igreja precisa realmente estar “em saída”, inclusive disponibilizando telefones de emergência para os quais qualquer pessoa possa ligar e ser consolada, agendar uma confissão ou o recebimento da Sagrada Comunhão, para si e para seus entes queridos. Temos que aumentar as visitas às casas, casa por casa, com todas as precauções necessárias para evitar o contágio, mas nunca nos fecharmos e ficar apenas olhando. Sem isto, o que acontece é que é possível pedir a entrega de refeições, de pizzas, mas não da Comunhão para quem deseja recebê-la porque é idoso, doente ou por necessidade. O que acontece é que permanecem abertos os supermercados, as conveniências e as mercearias, mas as igrejas não. O governo tem o dever de garantir os tratamentos e os auxílios materiais às pessoas, e nós temos o dever de fazer o mesmo com as almas. Que nunca se diga: “Eu não vou a uma Igreja que não me veio visitar quando eu precisava”. Apliquemos, portanto, todas as medidas necessárias, mas não nos deixamos condicionar pelo medo. Peçamos a Graça e a coragem de nos comportarmos segundo Deus e não segundo os homens! Pe. Yoannis Lahzi Gadi
13 de março de 2020




Leia também:
Papa Francisco: “Rezem pelos idosos que enfrentam a Covid-19 em solidão e medo”

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
Coronavírussacerdotes
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Pe. Zezinho
Francisco Vêneto
Duas emissoras brasileiras deturpam fatos em ...
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia