Aleteia

Orações do dia: segunda-feira, 23 de março

EUCHARIST
Compartilhar

Para o Senhor, um dia é como mil anos, e mil anos como um dia (2Pd 3,8)

SEGUNDA-FEIRA, 23 DE MARÇO

Oração da manhã

 

Hoje não fecheis o vosso coração, mas ouvi a voz do Senhor!

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,

como era no princípio, agora e sempre.

Amém

Hino

Ó Cristo, sol de justiça,
brilhai nas trevas da mente. 
Com força e luz, reparai
a criação novamente.

 

 Dai-nos, no tempo aceitável, 
um coração penitente,
que se converta e acolha
o vosso amor paciente.

 

 A penitência transforme 
tudo o que em nós há de mal. 
É bem maior que o pecado
o vosso dom sem igual.

 

 Um dia vem, vosso dia, 
e tudo então refloresce.
Nós, renascidos na graça, 
exultaremos em prece.

 

A vós, Trindade clemente,
com toda a terra adoramos,
e no perdão renovados
um canto novo cantamos.

 

Salmo 89(90) 

Para o Senhor, um dia é como mil anos, e mil anos como um dia (2Pd 3,8). 

Vós fostes um refúgio para nós,
ó Senhor, de geração em geração. 
Já bem antes que as montanhas fossem feitas 
ou a terra e o mundo se formassem,
desde sempre e para sempre vós sois Deus. 

Vós fazeis voltar ao pó todo mortal, 
quando dizeis: ‘Voltai ao pó, filhos de Adão!’ 
Pois mil anos para vós são como ontem, 
qual vigília de uma noite que passou. 

Eles passam como o sono da manhã,
são iguais à erva verde pelos campos: 
De manhã ela floresce vicejante, 
mas à tarde é cortada e logo seca. 

Por vossa ira perecemos realmente,
vosso furor nos apavora e faz tremer; 
pusestes nossa culpa à nossa frente,
nossos segredos ao clarão de vossa face. 

Em vossa ira se consomem nossos dias, 
como um sopro se acabam nossos anos. 
Pode durar setenta anos nossa vida,
os mais fortes talvez cheguem a oitenta; 
a maior parte é ilusão e sofrimento:
passam depressa e também nós assim passamos. 

Quem avalia o poder de vossa ira,
o respeito e o temor que mereceis? 
Ensinai-nos a contar os nossos dias, 
e dai ao nosso coração sabedoria! 

Senhor, voltai-vos! Até quando tardareis?
Tende piedade e compaixão de vossos servos! 
Saciai-nos de manhã com vosso amor,
e exultaremos de alegria todo o dia! 

Alegrai-nos pelos dias que sofremos,
pelos anos que passamos na desgraça! 
Manifestai a vossa obra a vossos servos, 
e a seus filhos revelai a vossa glória! 

Que a bondade do Senhor e nosso Deus 
repouse sobre nós e nos conduza! 
Tornai fecundo, ó Senhor, nosso trabalho, 
fazei dar frutos o labor de nossas mãos!

 

Glória ao Pai…

 

Leitura breve Ex 19,4-6a

Vós vistes o que fiz aos egípcios, e como vos levei sobre asas de águia e vos trouxe a mim. Portanto, se ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, sereis para mim a porção escolhida dentre todos os povos, porque minha é toda a terra. E vós sereis para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa. 

 

Feliz o povo cujo Deus é o Senhor!

Caminhemos olhos fixos em Jesus. Deus ama o direito e a justiça.

 

BENEDICTUS

Suplicava ao Senhor o oficial: Vinde logo curar meu filho enfermo.

 

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

 
e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos, 


para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam. 

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança 

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo, 


a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino, 
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos, 


anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,


para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados 


e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz. 

Glória ao Pai…

 

Preces

Bendigamos a Deus Pai, que nos concede a graça de oferecer-lhe o sacrifício de louvor neste dia quaresmal; e o invoquemos: 

c Iluminai-nos, Senhor, com a vossa Palavra! 

Deus todo-poderoso e cheio de misericórdia, concedei-nos o espírito de oração e penitência, 
– e acendei em nossos corações a chama do amor por vós e por nossos irmãos e irmãs. R. 


Ensinai-nos a cooperar convosco, para restaurar todas as coisas em Cristo, 
– a fim de que na terra reinem a justiça e a paz. R. 


Revelai-nos a íntima natureza e o valor de todas as criaturas, 
– para que nos associemos a elas no cântico de louvor à vossa glória. R. 

 
Perdoai-nos por termos ignorado muitas vezes a presença de Cristo nos pobres, nos infelizes e nos marginalizados, 
– e porque não respeitamos vosso Filho nestes nossos irmãos e irmãs. R. 


(Intenções livres)

 

Pai nosso …

 

Oração

Ó Deus, que renovais o mundo com admiráveis sacramentos, fazei a vossa Igreja caminhar segundo a vossa vontade sem que jamais lhe faltem neste mundo os auxílios de que necessita. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

MEDITAÇÃO DO DIA

 

Se não veres sinais e prodígios, sois incapaz de acreditar

 

Não é pelo que elas me dão, que persevero nas minhas súplicas, mas porque são a Vida verdadeira e é nela que respiro; sem Ela não há movimento, nem progresso.

Não é tanto pelos laços de esperança que sou atraído, mas pelos laços de Amor.

Não é dos dons, mas do Doador que sempre tenho nostalgia.

Não aspiro à glória, mas desejo abraçar o meu Senhor da Glória.

Não é a sede da vida que sempre me consome, mas a lembrança daquele que dá a vida.

Na espera certa de seu poder, apesar do peso de meus pecados, creio com uma esperança inquebrantável e ponho-me confiantemente nas mãos do Todo Poderoso, de quem não somente obterei o perdão, mas verei, pessoalmente, graças à Sua misericórdia e compaixão. E, ainda que mereça indubitavelmente ser proscrito, herdarei o céu.

 

São Gregório de Narek

Livro de Orações

Monge e poeta armênio, aclamado Doutor da Igreja pelo Papa Francisco(† c.1005). 

 

Oração da tarde

 

Vinde e adoremos o Senhor que se entregou por nós! 

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,

como era no princípio, agora e sempre.

Amém.

 

Hino

A abstinência quaresmal
vós consagrastes, ó Jesus;
pelo jejum e pela prece,
nos conduzis da treva à luz.

 

Ficai presente agora à Igreja,
ficai presente à penitência,
pela qual vos suplicamos
para os pecados indulgência.

 

Por vossa graça, perdoai
as nossas culpas do passado;
contra as futuras protegei-nos,
manso Jesus, Pastor amado,

 

Para que nós, purificados
por esses ritos anuais,
nos preparemos, reverentes,
para gozar os dons pascais.

 

Todo o universo vos adore,
Trindade Santa, Sumo Bem.
Novos, por graça, vos cantemos
um canto novo e belo. Amém.

 

Salmo 135(136) 
Anunciar as maravilhas de Deus é louvá-lo (Cassiodoro). 

Demos graças ao Senhor, porque ele é bom:  
Porque eterno é seu amor! 
Demos graças ao Senhor, Deus dos deuses:  
Porque eterno é seu amor! 


Demos graças ao Senhor dos senhores:  
Porque eterno é seu amor! 
Somente ele é que fez grandes maravilhas:  
Porque eterno é seu amor! 


Ele criou o firmamento com saber:
Porque eterno é seu amor! 
Estendeu a terra firme sobre as águas:
Porque eterno é seu amor! 

Ele criou os luminares mais brilhantes:
Porque eterno é seu amor! 
Criou o sol para o dia presidir:
Porque eterno é seu amor!

 
Criou a lua e as estrelas para a noite:
Porque eterno é seu amor!

 

Glória ao Pai…

 

Leitura breve Rm 12,1-2 

Pela misericórdia de Deus, eu vos exorto, irmãos, a vos oferecerdes em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus: este é o vosso culto espiritual. Não vos conformeis com o mundo, mas transformai-vos, renovando vossa maneira de pensar e de julgar, para que possais distinguir o que é da vontade de Deus, isto é, o que é bom, o que lhe agrada, o que é perfeito. 

 

Clamo de todo coração: Respondei-me, ó Senhor! 
Hei de fazer vossa vontade.

 

MAGNIFICAT

O pai reconhecera que fora àquela hora em que Jesus havia dito: Vai em paz, teu filho vive! Ele, então, acreditou com toda a sua casa.

 

A minha alma engrandece ao Senhor

e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;

pois ele viu a pequenez de sua serva, 

desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita. 

O Poderoso fez por mim maravilhas

e Santo é o seu nome! 
Seu amor, de geração em geração, 

chega a todos que o respeitam; 

demonstrou o poder de seu braço,

dispersou os orgulhosos;

derrubou os poderosos de seus tronos 

e os humildes exaltou;

 

De bens saciou os famintos,

e despediu, sem nada, os ricos.

Acolheu Israel, seu servidor,

fiel ao seu amor,

 

como havia prometido aos nossos pais,

em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre. 


Glória ao Pai…

 

Preces
Demos glória a Deus nosso Pai, que pela palavra de seu Filho Jesus Cristo prometeu ouvir a oração daqueles que se reúnem para orar em seu nome. Confiantes na sua promessa, digamos: 

R. Escutai, Senhor, a oração do vosso povo! 

Senhor, que levastes à perfeição por meio de Cristo a lei dada a Moisés no monte Sinai, 
– fazei que a reconheçamos gravada em nossos corações e pratiquemos fielmente a aliança que fizestes conosco. R. 


Concedei aos superiores a solicitude fraterna para com aqueles que lhes foram confiados, 
– e despertai nos súditos o espírito de colaboração e obediência. R. 


Fortalecei com a vossa assistência o espírito e o coração dos missionários 
– e multiplicai, em toda a Igreja, os seus companheiros de evangelização. R. 


Fazei que as crianças cresçam em idade e em graça, 
– e os jovens progridam no amor de Cristo e na santidade de vida. R. 


(Intenções livres) 


Lembrai-vos dos nossos irmãos e irmãs que adormeceram na fé em Cristo, 
– e acolhei-os na alegria da vida eterna. R.

 

Pai nosso…

 

ANTÍFONA MARIANA

Ave Maria, gratia plena; Dominus tecum: benedicta tu in mulieribus, et benedictus fructus ventris tui Iesus. Sancta Maria, Mater Dei ora pro nobis peccatoribus, nunc et in hora mortis nostrae. Amen.

(Tradução)

Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco, Bendita sois Vós entre as mulheres, e Bendito é o fruto de vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém

 

SEJAM SANTOS!

Na escola da santidade.

 

São José Oriol

Presbítero espanhol (†1702) Comemoração: 23 de março

 

José Oriol Boguna nasceu no dia 23 de novembro de 1650, em Barcelona, Espanha. Sua família era de condição modesta. Seu pai era tecelão e morreu seis meses após seu nascimento. Dois anos depois, sua mãe contraiu novas núpcias e o padrasto se apegou ao menino como a um filho. Confiou a educação de José ao pároco de Santa Maria del Mare para que recebesse educação musical e religiosa, além da educação primária para dar continuidade à sua futura formação. Desempenhando o papel de sacristão junto ao pároco, desenvolveu grande sensibilidade pela presença real de Cristo na Eucaristia. Após um período de dificuldades econômicas, por parte de sua família, recebeu ajuda de alguns benfeitores e conseguiu concluir os estudos universitários. Aos 23 anos obteve o grau de Doutor em Teologia, pela Universidade de Barcelona, mas continuou a estudar teologia moral e judaica. 

Foi ordenado, em 1676, e para atender às necessidades da mãe, tornou-se tutor dos filhos da rica família Gasnieri, indo morar com eles. No ano seguinte, um misterioso evento marcou sua vida: enquanto estava sentado à mesa, diante de deliciosas comidas, repetidamente sentiu sua mão sendo contida por uma força invencível. Interpretou, então, aquele tipo de paralisia como que uma advertência divina contra os confortos que a ele estavam sendo concedidos e, assim, iniciou um jejum que continuou pelo resto de sua vida. Seu único sustento era composto de pão e água, com adição de ervas silvestres nos feriados, e sardinha, apenas no Natal e Páscoa. Na Quaresma, ele comia e bebia apenas aos domingos. Permaneceu naquela família até a morte de sua mãe, em 1686. Três semanas após a morte dela, José foi em peregrinação à Roma, onde o Papa Inocêncio XI lhe atribuiu o cuidado pastoral da igreja de Nossa Senhora del Pino, em Barcelona. 

Ao se estabelecer na igreja indicada pelo Papa ele exerceu fielmente seu ministério por quinze anos, até sua morte. Em todos os aspectos, foi um precursor digno do famoso santo Cura d’Ars, São João Maria Vianney, que viveu na França um século depois. Na verdade, ambos exerceram um rígido ascetismo, foram cheios de uma graça particular e consumidos pela orientação do rebanho que lhes foi confiado, passando um tempo interminável no confessionário.

Alugou um pequeno quarto silencioso e isolado, onde procurava a solidão tão necessária aos seus longos períodos de oração e penitência. Os habitantes da casa, no entanto, não podiam deixar de notar as flagelações às quais submetia seu corpo todas as noites. No quarto, ele não tinha nada além de uma mesa, um banco, um crucifixo e alguns livros. Não tinha qualquer tipo de leito ou aquecimento. Todo o dinheiro que ganhava por celebrar missas de sufrágio era inteiramente destinados aos mais pobres. O único objetivo de sua vida era distanciar-se completamente de tudo o que não fosse de Deus e apegar-se a ele, com todas as suas forças. Sua popularidade cresceu como diretor espiritual e pela capacidade de curar enfermos. Apesar desta crescente popularidade, José Oriol foi capaz de guardar sua profunda humildade e ficou surpreso que Deus o tivesse escolhido como seu instrumento particular, convencido de que qualquer sacerdote poderia ter feito o mesmo, se tirasse benefícios dos dons concedidos por Cristo. 

Sabendo do dia de sua morte, mudou-se para um outro quarto e pediu a um amigo que providenciasse para que recebesse a extrema unção e o viático. Nos últimos três dias de vida, ele ainda recebeu o viático, sem se alimentar de mais nada. Em 23 de março de 1702, diante da comoção geral dos mais próximos, anunciou que seu fim havia chegado, pediu que fosse recitado o Stabat Mater, e durante a execução deste canto deu seu último suspiro, mantendo o olhar fixo no crucifixo. 

Foi beatificado por Pio VII, no dia 15 de maio de 1806 e canonizado pelo Papa Pio X em 20 de maio de 1909.  

Boletim
Receba Aleteia todo dia