Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Papa reza por quem está passando dificuldades econômicas

Compartilhar

Em sua homilia de hoje, o Papa falou ainda sobre as 3 condições necessárias para uma verdadeira oração

O Papa Francisco rezou sua Missa de hoje na capela Santa Marta por todas as pessoas que começam a enfrentar problemas econômicos por causa da pandemia do coronavírus.

No início de sua celebração, ele disse:

Rezemos hoje pelas pessoas que por causa da pandemia estão começando a ter problemas econômicos, porque não podem trabalhar e tudo isso recai sobre a família. Rezemos pelas pessoas que têm esse problema.

Já em sua homilia, o Papa comentou a episódio evangélico da cura do filho do funcionário do rei (Jo 4,43-54).

O papa explicou que este pai pede a saúde para o filho. O Senhor repreende todos um pouco, também ele: “Se não virdes sinais e prodígios, não acreditais”. O funcionário, ao invés de se calar e ficar quieto, insiste e lhe diz: “Senhor, desce, antes que meu filho morra!” E Jesus lhe responde: “Podes ir, teu filho está vivo”.

3 condições necessárias para uma verdadeira oração

Em seguida, o Papa Francisco explicou quais são as três coisas  necessárias para se fazer uma verdadeira oração.

A primeira é a: “se não tiverdes fé… E muitas vezes, a oração é somente oral, da boca… mas não vem da fé do coração, ou uma fé fraca…”

É preciso “rezar com fé, quer quando rezamos fora, quer quando vimos aqui e o Senhor está ali: mas tenho fé ou é um costume?”

Estejamos atentos na oração: não cair no costume sem a consciência de que o Senhor está presente, que estou falando com o Senhor e que Ele é capaz de resolver o problema. A primeira condição para uma verdadeira oração é a fé.

A segunda condição é a perseverança.

Alguns pedem mas a graça não vem: “não têm essa perseverança, porque no fundo não precisam dela, ou não têm fé”.

E Jesus mesmo nos ensina a parábola daquele senhor que vai até o vizinho pedir pão à meia-noite: a perseverança de bater à porta… Ou a viúva, com o juiz iníquo: e insiste e insiste e insiste: é a perseverança.

Segundo o Papa, fé e perseverança “caminham juntas, porque se você tem fé você tem certeza de que o Senhor lhe dará aquilo que pede. E se o Senhor faz você esperar, bater, bater, no final o Senhor concede a graça”.

Mas o Senhor não faz isso para tornar-se interessante ou porque diga “melhor que espere”: não. Ele o faz para o nosso bem, para que levemos a coisa a sério. Levar a oração a sério, não como os papagaios: blá blá blá e nada mais… O próprio Jesus nos repreende: “Não sede como pagãos que creem na eficácia da oração e nas palavras, muitas palavras”. Não. É a perseverança, ali. É a fé.

A terceira condição é a coragem.

É preciso coragem para rezar e para se colocar diante do Senhor. “A coragem de ficar ali pedindo e seguindo adiante, aliás, quase – quase, não quero dizer uma heresia –, mas quase como ameaçando o Senhor”.

A coragem de Moisés diante de Deus quando queria destruir o povo e fazê-lo líder de outro povo. Diz: “Não. Eu com o povo”. Coragem. A coragem de Abraão, quando negocia  salvação de Sodoma: “E se fossem 30, e se fossem 25, e se fossem 20…”: ali, a coragem. Essa virtude da coragem, é muito necessária. Não somente para as ações apostólicas, mas também para a oração.

Fé, perseverança e coragem. “Nestes dias em que é necessário rezar, rezar mais, pensemos se nós rezamos assim: com fé que o Senhor pode intervir, com perseverança e com coragem. O Senhor não decepciona: não decepciona. Faz-nos esperar, toma o seu tempo, mas não decepciona. Fé, perseverança e coragem.”

(Com Vatican News)

Boletim
Receba Aleteia todo dia