Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

E o coronavírus chega ao Haiti

HAITI
Compartilhar

O tamanho da tragédia pode ser brutal no país mais pobre das Américas, que ainda não se levantou do terremoto devastador de 2010

O Haiti era o único país do continente americano que ainda não tinha reportado casos de coronavírus. Não é mais. A confirmação, praticamente inevitável, chegou.

Além do histórico terremoto de 2010, que deixou mais de 200.000 mortos e do qual o país nunca mais se reergueu, o Haiti também foi açoitado ao longo da última década por surtos de cólera e dengue, pela piora da já crônica falta de água e de condições sanitárias elementares, por gangues que espalham a violência gratuita e, como se não bastasse, por furacões como o Matthew, em 2016.

A lista das tragédias haitianas cresce agora com o imponderável do coronavírus.

Entre as inúmeras perguntas que acompanham esta notícia, esta é uma das imprescindíveis: o mundo vai se lembrar do Haiti, hoje inteiramente dependente de socorro externo e já preponderantemente esquecido?

HAITI
Shutterstock-naTsumi
POVERTY
Alex Proimos-(CC BY-NC 2.0)
Village tente à Haiti
© G Allen Penton - Shutterstock
HAITI
Francisco Proner-Farpa-CIDH-(CC BY 2.0)

Boletim
Receba Aleteia todo dia