Aleteia
Quarta-feira 28 Outubro |
São Fulco
Atualidade

China está disposta a permitir aumento do déficit por coronavírus

CHINA'S AIR POLLUTION

NASA Earth Observatory

Agências de Notícias - publicado em 29/03/20

A agência de classificação financeira Fitch prevê um crescimento de 3,7% na China este ano

A China permitirá um aumento do déficit e emitirá títulos especiais para reforçar sua economia, que foi afetada pela pandemia de COVID-19, informou a imprensa estatal, o que parece descartar a possibilidade de um grande plano de resgate.

A pandemia, que teve graves consequências para a produção e funcionamento das empresas, praticamente paralisou o país em fevereiro, quando centenas de milhões de chineses assustados pelo vírus permaneceram confinados em casa.

A atividade foi retomada graças à suspensão progressiva das medidas contra a epidemia, mas as consequências econômicas persistirão por bastante tempo.

Em uma reunião sobre a questão, o governo chinês decidiu que permitirá o aumento do déficit e vai emitir títulos especiais para apoiar a economia, informou a agência oficial Xinhua. Nenhum índice foi divulgado.

O déficit da China atingiu 2,8% do PIB em 2019, de acordo com Pequim.

Com uma economia em dificuldades, o poder aquisitivo chinês abalado e uma pandemia que agora paralisa os principais sócios comerciais do gigante asiático, a China poderia permitir o aumento do déficit a 3,5% este ano, acredita o economista Ting Lu, do banco de investimentos Nomura.

Ting descarta um grande plano de estímulo como o anunciado durante a crise financeira de 2008-2009 porque Pequim deseja sanear as finanças.

Na sexta-feira, o Banco Central chinês afirmou em um comunicado que as consequências econômicas da pandemia são, “em termos gerais, controláveis”.

“A economia mostra uma forte capacidade de recuperação, suas bases para um crescimento saudável a longo prazo permanecem inalteradas”, completou a nota.

Os analistas, no entanto, são mais cautelosos.

A agência de classificação financeira Fitch prevê um crescimento de 3,7% na China este ano (contra 6,1% em 2019).

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Pe. Zezinho
Francisco Vêneto
Duas emissoras brasileiras deturpam fatos em ...
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia