Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Papa: o corrupto se coloca no lugar de Deus

Compartilhar

“O corrupto é incapaz de pedir perdão”, disse o Papa Francisco

O Papa Francisco fez hoje, em sua homilia da Missa na Casa Santa Marta, uma dura advertência contra a corrupção.

O Papa comentava as leituras do dia, extraídas do Livro do profeta Daniel (13,1-9.15-17.19-30.33-62) e do Evangelho de João (Jo 8,1-11), que falam de duas mulheres que alguns homens querem condenar à morte: a inocente Susana e uma adúltera pega em flagrante.

Ambas as mulheres estavam desesperadas, humanamente desesperadas. Mas Susana confia em Deus.

Francisco continuou explicando que também aparecem nas leituras dois grupos de pessoas, de homens; ambos encarregados a serviço da Igreja: os juízes e os mestres da Lei.

O juiz corrupto que não acreditava em Deus e não lhe importava nada dos outros. Os corruptos. Os doutores da Lei não eram corruptos, mas hipócritas.

O que o Senhor faz com essas pessoas? – perguntou o Papa Francisco.

À mulher inocente, a salva, lhe faz justiça. À mulher pecadora, a perdoa.

Já aos juízes corruptos, os condena; aos hipócritas, os ajuda a converter-se.

Não perdoa os corruptos, simplesmente porque o corrupto é incapaz de pedir perdão, foi além. Cansou-se… não, não se cansou: não é capaz.

A corrupção tirou-lhe também aquela capacidade que todos temos de envergonhar-nos, de pedir perdão.

Não, o corrupto é seguro, segue adiante, destrói, explora o povo, como esta mulher, tudo, tudo… segue adiante. Colocou-se no lugar de Deus.

O Papa Francisco prosseguiu sua reflexão:

Cada um de nós tem as próprias histórias. Cada um de nós os próprios pecados. E se não se recorda, pense um pouco: os encontrará. Agradeça a Deus se os encontra, porque se não os encontra, você é um corrupto.

Cada um de nós tem os próprios pecados. Olhemos para o Senhor que faz justiça, mas que é tão misericordioso. Não nos envergonhemos de estar na Igreja: envergonhemo-nos de ser pecadores. A Igreja é mãe de todos. Agradeçamos a Deus por não sermos corruptos, por ser pecadores.

E cada um de nós, olhando como Jesus age nestes casos, confie na misericórdia de Deus. E reze, confiante na misericórdia de Deus, reze (pelo) perdão.

Coronavírus

Na introdução da Missa, o Papa afirmou que rezaria hoje na intenção daqueles que estão paralisados pelo medo neste momento de pandemia.

Rezemos hoje pelas muitas pessoas que não conseguem reagir: permanecem amedrontadas com esta epidemia. Que o Senhor as ajude a reerguer-se, a reagir para o bem de toda a sociedade, de toda a comunidade.

(Com Vatican News)

Boletim
Receba Aleteia todo dia