Aleteia
Terça-feira 27 Outubro |
São Fulco
Espiritualidade

Como celebrar a Vigília Pascal do Sábado Santo em casa

Resurrección de Cristo y las mujeres en la tumba, Fra Angélico (1440-1442, convento di San Marcos, Florencia).

Reportagem local - publicado em 10/04/20

O roteiro completo para você fazer em sua casa a Celebração da Palavra da Vigília Pascal do Sábado Santo

A Aleteia, em colaboração com a revista Magnificat, oferece esta Celebração da Palavra de Deus para você fazer em sua casa para santificar a Vigília Pascal neste Sábado Santo.

GUIA ESPECÍFICO PARA A CELEBRAÇÃO DA LITURGIA DA LUZ

  • Será conveniente dedicar parte do sábado à preparação de uma celebração verdadeiramente inesquecível. Vale a pena.
  • Seria ideal fazer uma refeição leve antes de começar a celebração, meia hora antes do pôr do sol.
  • Após a celebração, um momento festivo pode ser organizado: é a maior festa do ano, aleluia!
  • Esse ou outro gesto festivo nos ajuda a celebrar a vitória definitiva de Cristo, nosso irmão e nosso Deus, sobre os poderes do mal e da morte.

DISPOSIÇÕES PRÁTICAS

  • Se possível, coloque em uma sala diferente daquela onde será realizada a Celebração,  uma caixa de fósforos ou um isqueiro, uma vela grande e uma vela para cada participante.
  • Será conveniente ter pelo menos uma vela que possa durar o tempo todo da Celebração: servirá como uma “vela pascal”.
  • Os participantes que não podem contar com velas podem usar a luz do seu celular no modo avião, como lanterna.
  • A lanterna do celular pode ser usada para ler textos com a luminosidade reduzida.
  • Durante o Sábado Santo, deixaremos o canto de oração sem decoração. A cruz será suficiente, como na sexta-feira. Deixaremos de lado todos os ornamentos que colocaremos durante a vigília pascal: estátuas, imagens, ícones, velas, flores… Para aumentar o espírito festivo, as crianças podem preparar desenhos, flores de papel, ovos decorados etc. Por que não? Até bonitas guirlandas de Natal.
  • A pessoa designada para conduzir a celebração pode prepará-la levando em consideração os conselhos práticos oferecidos ao longo deste roteiro. Isso ajudará muito a evitar momentos de dúvida e improvisação no desenvolvimento da celebração.
  • Vamos tentar encontrar um sino para tocar durante a recitação do hino “Glória a Deus”. Se não conseguirmos encontrá-lo, procuraremos no telefone celular o som dos sinos e faremos com que todos os celulares disponíveis toquem esse som antes e depois do Glória.

PARA QUEM TEM ÁREA EXTERNA

  • Em um local onde o fogo não possa se espalhar, prepararemos um recipiente de metal (tacho, panela grande…) dentro do qual colocaremos papel, gravetos e pequenos fragmentos de madeira seca.
  • É recomendado fazer um fogo bem pequeno e simbólico. Se no momento estiver ventando, é melhor evitar fazer o fogo.
  • Como medida de precaução, será conveniente ter água disponível para apagar o fogo, se necessário.

ROTEIRO DA CELEBRAÇÃO:

  • Se você está sozinho, é preferível ler as leituras e orações da missa deste domingo ou acompanhar a missa pela televisão.
  • Esta celebração requer ao menos a participação de duas pessoas.
  • Pode ser celebrada na noite de sábado (vigília do domingo) e na tarde do domingo. No entanto, a manhã de domingo é o momento mais apropriado.
  • Esta celebração se adapta particularmente ao contexto familiar.
  • Deve-se colocar o número de cadeiras necessário diante de um espaço de oração, respeitando a distância de um metro entre cada cadeira.
  • Deve-se colocar uma cruz ou o crucifixo.
  • Acende-se uma ou várias velas, que devem ser colocadas em um suporte seguro. Ao final da celebração, elas devem ser apagadas.
  • Se você tem flores no jardim, colha algumas para colocá-las no ambiente de oração, pois sua presença é particularmente indicada neste domingo Laetare, em previsão da alegria da Páscoa. 
  • Designa-se uma pessoa para dirigir a oração (em ordem de prioridade: um diácono, um leigo que tenha recebido o ministério de leitor ou acolitado, o pai ou a mãe de família.
  • A pessoa encarregada de dirigir a oração estabelecerá a duração dos momentos de silêncio.
  • Serão designados leitores para as leituras.
  • Preparar-se-á com antecedência a oração universal (que aparece neste guia) e se designará uma pessoa para sua leitura.
  • Podem-se preparar os cantos apropriados.

VIGÍLIA PASCAL

Celebração da Palavra

 “Eu sou a ressurreição e a vida. Crês nisto?”

Apagam-se todas as luzes da casa. Reunimo-nos ao redor do fogo, que acabamos de acender (caso haja um jardim externo na residência). Ou estamos reunidos na sala onde colocamos as velas. O condutor da celebração toma a palavra:

Sentados. O condutor da celebração toma a palavra: 

Irmãos e irmãs:

Nesta Noite Santa,

em que Nosso Senhor Jesus Cristo passou da morte à vida,

a Igreja convida os seus filhos, dispersos pelo mundo, a

reunirem-se em vigília e oração.

Infelizmente, neste dia,

não podemos nos reunir em assembleia

para participar da ceia,

que constitui o sacramento de Seu amor.

No entanto, sabemos que quando

nos reunimos para rezar em seu nome,

Cristo está presente entre nós.

E acreditamos firmemente que,

quando lemos Sua Palavra na Igreja,

é o próprio Verbo de Deus que nos fala.

Sua Palavra converte-se para nós

em autêntico alimento para nossa vida.

Por esse motivo, vamos comemorar a Páscoa do Senhor,

ouvindo a sua Palavra de Vida.

E o fazemos na esperança

de participar no seu triunfo sobre a morte

e de viver com Ele para sempre junto de Deus.

Pausa

Em comunhão de coração e espírito com toda a Igreja,

celebremos a Luz de Cristo

e nos coloquemos à escuta da Palavra que salva.

Depois de um verdadeiro momento de silêncio, todos se levantam e fazem o sinal da cruz dizendo:

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

LITURGIA DA LUZ

Se na sua casa não foi possível acender um fogo, o condutor da celebração acende agora a maior vela, que será utilizada como “círio pascal”. Ele segura a vela na mão. Caso não haja nenhuma vela, pode-se acender agora a lanterna do celular ou uma lanterna comum.

Para os que tiveram a possibilidade de fazer um pequeno fogo dentro de um recipiente de metal na área externa da casa, esses devem esperar o final da oração de bênção do fogo para acender a vela ou círio.

ORAÇÃO DE BÊNÇÃO

O condutor da celebração, com as mãos juntas, pronuncia a seguinte oração:

Senhor nosso Deus,

que por meio do vosso Filho

destes aos vossos fiéis a claridade da vossa luz,

santificai este fogo

e concedei-nos

que a celebração das festas pascais

acenda em nós o desejo do Céu,

para merecermos chegar com a alma purificada

às festas da luz eterna.

Por Jesus Cristo, nosso Senhor.
R/. Amém

Se se fez o fogo, se acenderá nele a vela (círio pascal) com o fogo novo. Em seguida, mantendo levantado o “círio pascal”, o condutor da celebração diz:

A luz de Cristo, que ressuscita glorioso,

dissipe as trevas do coração e do espírito.

Todos juntos repetem:

A luz de Cristo, que ressuscita glorioso,

dissipe as trevas do coração e do espírito.

ACLAMAÇÃO E PROCISSÃO

A boa nova da ressurreição de Cristo resplandecerá na noite: “Luz de Cristo!”. Mantendo levantada a vela (círio pascal), a pessoa que conduz a celebração diz com voz firme:

Luz de Cristo.

E todos respondem:

Demos graças a Deus.

A pessoa que orienta a celebração acende as velas dos outros participantes com a sua vela. Se não houver velas, todos poderão acender a lanterna ou a lâmpada do celular, unindo as mãos na altura do peito. Na medida do possível, a procissão prosseguirá do local onde o fogo foi aceso ou da sala onde as velas foram acesas até o espaço de oração. Na chegada, esta aclamação será repetida duas vezes:

Luz de Cristo.

E todos respondem:

Demos graças a Deus.

PRECÔNIO PASCAL

Uma pessoa declamará com forte firme e clara:

Exulte de alegria a multidão dos Anjos,

exultem as assembleias celestes,

ressoem hinos de glória,

para anunciar o triunfo de tão grande Rei.

Rejubile também a terra,

inundada por tão grande claridade,

porque a luz de Cristo, o Rei eterno,

dissipa as trevas de todo o mundo.

Alegre-se a Igreja, nossa mãe,

adornada com os fulgores de tão grande luz,

e ressoem neste templo as aclamações do povo de Deus.

[Leitor] O Senhor esteja convosco.
[Todos] Ele está no meio de nós.
[Leitor] Corações ao alto.
[Todos] O nosso coração está em Deus.
[Leitor] Dêmos graças ao Senhor nosso Deus.
[Todos]É nosso dever, é nossa salvação.

É verdadeiramente nosso dever, é nossa salvação

proclamar com todo o fervor da alma e toda a nossa voz

os louvores de Deus invisível, Pai omnipotente,

e do seu Filho Unigénito, Jesus Cristo, nosso Senhor.

Ele pagou por nós ao eterno Pai a dívida por Adão contraída

e com seu Sangue precioso

apagou a condenação do antigo pecado.

Celebramos hoje as festas da Páscoa,

em que é imolado o verdadeiro Cordeiro,

cujo Sangue consagra as portas dos fiéis.

Esta é a noite,

em que libertastes do cativeiro do Egito

os filhos de Israel, nossos pais,

e os fizestes atravessar a pé enxuto o Mar Vermelho.

Esta é a noite,

em que a coluna de fogo dissipou as trevas do pecado.

Esta é a noite,

que liberta das trevas do pecado e da corrupção do mundo

aqueles que hoje por toda a terra crêem em Cristo,

noite que os restitui à graça

e os reúne na comunhão dos Santos.

Esta é a noite,

em que Cristo, quebrando as cadeias da morte,

Se levanta glorioso do túmulo.

Oh admirável condescendência da vossa graça!

Oh incomparável predilecção do vosso amor!

Para resgatar o escravo entregastes o Filho.

Oh necessário pecado de Adão,

que foi destruído pela morte de Cristo!

Oh ditosa culpa,

que nos mereceu tão grande Redentor!

Esta noite santa afugenta os crimes, lava as culpas;

restitui a inocência aos pecadores, dá alegria aos tristes.

Oh noite ditosa,

em que o céu se une à terra,

em que o homem se encontra com Deus!

Nesta noite de graça,

aceitai, Pai santo, este sacrifício vespertino de louvor,

que, na oblação deste círio,

pelas mãos dos seus ministros Vos apresenta a santa Igreja.

Nós Vos pedimos, Senhor,

que este círio, consagrado ao vosso nome,

arda incessantemente para dissipar as trevas da noite;

e, subindo para Vós como suave perfume,

junte a sua claridade à das estrelas do céu.

Que ele brilhe ainda quando se levantar o astro da manhã,

aquele astro que não tem ocaso,

Jesus Cristo vosso Filho,

que, ressuscitando de entre os mortos,

iluminou o género humano com a sua luz e a sua paz

e vive glorioso pelos séculos dos séculos.

R/. Amém

Colocamos o círio pascal aceso no espaço de oração, de um modo apropriado e seguro. Os presentes apagam a luz (vela, celular ou lanterna) que têm nas mãos e se sentam.

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURA DO ANTIGO TESTAMENTO

Leitura do Livro do Êxodo (14,15-15,1)

Naqueles dias:

O Senhor disse a Moisés:

‘Por que clamas a mim por socorro?

Dize aos filhos de Israel que se ponham em marcha.

Quanto a ti, ergue a vara,

estende o braço sobre o mar e divide-o,

para que os filhos de Israel caminhem

em seco pelo meio do mar.

De minha parte, endurecerei o coração dos egípcios,

para que sigam atrás deles,

e eu seja glorificado às custas do Faraó,

e de todo o seu exército,

dos seus carros e cavaleiros.

E os egípcios saberão que eu sou o Senhor,

quando eu for glorificado às custas do Faraó,

dos seus carros e cavaleiros’.

Então, o anjo do Senhor, que caminhava

à frente do acampamento dos filhos de Israel,

mudou de posição e foi para trás deles;

e com ele, ao mesmo tempo, a coluna de nuvem,

que estava na frente, colocou-se atrás,

inserindo-se entre o acampamento dos egípcios

e o acampamento dos filhos de Israel.

Para aqueles a nuvem era tenebrosa,

para estes, iluminava a noite.

Assim, durante a noite inteira,

uns não puderam aproximar-se dos outros.

Moisés estendeu a mão sobre o mar,

e durante toda a noite o Senhor fez soprar sobre o mar

um vento leste muito forte; e as águas se dividiram.

Então, os filhos de Israel entraram

pelo meio do mar a pé enxuto,

enquanto as águas formavam como que uma muralha

à direita e à esquerda.

Os egípcios puseram-se a perseguí-los,

e todos os cavalos do Faraó,

carros e cavaleiros os seguiram mar adentro.

Ora, de madrugada,

o Senhor lançou um olhar, desde a coluna de fogo e da

nuvem, sobre as tropas egípcias e as pôs em pânico.

Bloqueou as rodas dos seus carros,

de modo que só a muito custo podiam avançar.

Disseram, então, os egípcios: ‘Fujamos de Israel!

Pois o Senhor combate a favor deles, contra nós’.

O Senhor disse a Moisés: ‘Estende a mão sobre o mar,

para que as águas se voltem contra os egípcios,

seus carros e cavaleiros’.

Moisés estendeu a mão sobre o mar

e, ao romper da manhã, o mar voltou ao seu leito

normal, enquanto os egípcios, em fuga,

corriam ao encontro das águas,

e o Senhor os mergulhou no meio das ondas.

As águas voltaram e cobriram carros,

cavaleiros e todo o exército do Faraó,

que tinha entrado no mar em perseguição de Israel.

Não escapou um só.

Os filhos de Israel, ao contrário,

tinham passado a pé enxuto pelo meio do mar,

cujas águas lhes formavam uma muralha

à direita e à esquerda.

Naquele dia,

o Senhor livrou Israel da mão dos egípcios,

e Israel viu os egípcios mortos nas praias do mar,

e a mão poderosa do Senhor agir contra eles.

O povo temeu o Senhor, e teve fé no Senhor

e em Moisés, seu servo.

Então, Moisés e os filhos de Israel

cantaram ao Senhor este cântico.

O leitor não diz “Palavra de Deus”. Todos lêem o cântico

R/. Cantemos ao Senhor que fez brilhar a sua glória!

Ao Senhor quero cantar, pois fez brilhar a sua glória:

precipitou no Mar Vermelho o Cavalo e o cavaleiro!

O Senhor é minha força, é a razão do meu cantar,

pois foi ele neste dia para mim libertação!

Ele é meu Deus e o louvarei,Deus de meu pai e o honrarei.

R/. Cantemos ao Senhor que fez brilhar a sua glória!

O Senhor é um Deus guerreiro;

o seu nome é ‘Onipotente’.

Os soldados e os carros do Faraó jogou no mar;

afogou no mar Vermelho a elite das tropas.

R/. Cantemos ao Senhor que fez brilhar a sua glória!

E as ondas os cobriram,

como pedra eles afundaram.

Vossa direita, ó Senhor, é terrível em poder.

Vossa direita, ó Senhor, aniquila o inimigo!

R/. Cantemos ao Senhor que fez brilhar a sua glória!

Vosso povo levareis e o plantareis em vosso Monte,

no lugar que preparastes para a vossa habitação,

no Santuário construído pelas vossas próprias mãos.

O Senhor há de reinar eternamente, pelos séculos!

R/. Cantemos ao Senhor que fez brilhar a sua glória!

ORAÇÃO

Senhor nosso Deus, que iluminastes com a luz do Novo Testamento as maravilhas operadas nos tempos antigos, revelando no Mar Vermelho a imagem da fonte baptismal e no povo libertado da escravidão do Egipto os mistérios do povo cristão, fazei que todos os homens, elevados pela fé à dignidade de povo escolhido, se tornem em Cristo nova criação pela graça do vosso Espírito. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Para indicar, na celebração, a passagem do Antigo para o Novo Testamento, cantamos ou recitamos o hino “Glória a Deus”. Se tivermos um sino, podemos tocá-lo durante todo o Glória. Caso contrário, poderemos ativar o som de sinos de nossos telefones celulares antes e depois do hino “Glória a Deus”.

Glória a Deus nos altos céus, paz na terra a seus amados. A vós louvam, Rei celeste, os que foram libertados! Glória a Deus lá nos céus e paz aos seus, amém!

Deus e Pai nós vos louvamos, adoramos, bendizemos. Damos glória ao vosso nome, vossos dons agradecemos!

Senhor nosso Jesus Cristo, Unigênito do Pai. Vós, de Deus Cordeiro santo, nossas culpas perdoai!

Vós que estais junto do Pai, como nosso intercessor. Acolhei nossos pedidos, atendei nosso clamor!

Vós somente sois o Santo, o Altíssimo Senhor. Com o Espírito Divino, de Deus Pai no esplendor!

Amém

[Glória in excélsis Deo et in terra pax homínibus bonæ voluntátis. Laudámus te, benedícimus te,adorámus te,glorificámus te,grátias ágimus tibi propter magnam glóriam tuam,Dómine Deus, Rex cæléstis,Deus Pater omnípotens.Dómine Fili Unigénite, Jesu Christe,Dómine Deus, Agnus Dei, Fílius Patris,qui tollis peccáta mundi, miserére nobis;qui tollis peccáta mundi, súscipe deprecatiónem nostram.Qui sedes ad déxteram Patris, miserére nobis.Quóniam tu solus Sanctus, tu solus Dóminus,tu solus Altíssimus,Jesu Christe, cum Sancto Spíritu: in glória Dei Patris.Amen.]

Sentamo-nos

EPÍSTOLA

Leitura da Epístola do apóstolo S. Paulo aos Romanos:

Irmãos: Todos nós que fomos baptizados em Jesus Cristo fomos baptizados na sua morte. Fomos sepultados com Ele pelo Baptismo na sua morte, para que, assim como Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, também nós vivamos uma vida nova.

Se, na verdade, estamos totalmente unidos a Cristo pela semelhança da sua morte, também o estaremos pela semelhança da sua ressurreição. Bem sabemos que o nosso homem velho foi crucificado com Cristo, para que fosse destruído o corpo do pecado e não mais fôssemos escravos dele. Quem morreu está livre do pecado.

Se morremos com Cristo, acreditamos que também com Ele viveremos, sabendo que, uma vez ressuscitado dos mortos, Cristo já não pode morrer; a morte já não tem domínio sobre Ele. Porque na morte que sofreu, Cristo morreu para o pecado de uma vez para sempre; Mas a sua vida é uma vida para Deus. Assim vós também, considerai-vos mortos para o pecado e vivos para Deus, em Cristo Jesus.

Palavra do Senhor.
R/.Graças a Deus

Salmo 17

Pode-se cantar o aleluia que intercala o Salmo.

R/. Aleluia. Aleluia. Aleluia.

Dai graças ao Senhor, porque Ele é bom,

porque é eterna a Sua misericórdia.

Diga a Casa de Israel:

é eterna a Sua misericórdia.

R/. Aleluia. Aleluia. Aleluia.

A mão do Senhor fez prodígios,

a mão do Senhor foi magnífica.

Não morrerei, mas hei-de viver

para anunciar as obras do Senhor.

R/. Aleluia. Aleluia. Aleluia.

A pedra que os construtores rejeitaram

tornou-se pedra angular.

Tudo isto veio do Senhor:

é admirável aos nossos olhos.

R/. Aleluia. Aleluia. Aleluia.

EVANGELHO

O leitor encarregado do Evangelho fará a leitura de forma clara e pausada

Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus (28,1-10)

Depois do sábado,

ao amanhecer do primeiro dia da semana,

Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro.

De repente, houve um grande tremor de terra:

o anjo do Senhor desceu do céu

e, aproximando-se, retirou a pedra e sentou-se nela.

Sua aparência era como um relâmpago,

e suas vestes eram brancas como a neve.

Os guardas ficaram com tanto medo do anjo,

que tremeram, e ficaram como mortos.

Então o anjo disse às mulheres:

‘Não tenhais medo!

Sei que procurais Jesus, que foi crucificado.

Ele não está aqui!

Ressuscitou, como havia dito!

Vinde ver o lugar em que ele estava.

Ide depressa contar aos discípulos

que ele ressuscitou dos mortos,

e que vai à vossa frente para a Galiléia.

Lá vós o vereis. É o que tenho a dizer-vos.’

As mulheres partiram depressa do sepulcro.

Estavam com medo, mas correram com grande alegria,

para dar a notícia aos discípulos.

De repente, Jesus foi ao encontro delas, e disse:

‘Alegrai-vos!’ As mulheres aproximaram-se,

e prostraram-se diante de Jesus, abraçando seus pés.

Então Jesus disse a elas: ‘Não tenhais medo.

Ide anunciar aos meus irmãos

que se dirijam para a Galiléia.

Lá eles me verão.’
Palavra da Salvação.

No final do Evangelho, aclamamos novamente a Ressurreição.

R/. Aleluia. Aleluia. Aleluia.

Todos se sentam, e o condutor volta a ler lentamente, como se fosse um eco distante:

“Eu sou a ressurreição e a vida. Crês nisto?”

Permanecemos três minutos em silêncio para meditar.

RENOVAÇÃO DAS PROMESSAS DO BATISMO

A noite de Páscoa normalmente é caracterizada pelo batismo de adultos, o que este ano não ocorrerá. É também a noite da renovação de nossa profissão de fé em memória de nosso batismo. Pronunciaremos ou cantaremos a litania dos santos, estes homens e mulheres que viveram e nos transmitiram a fé que recebemos.

Senhor, tende piedade de nós.
R/. Senhor, tende piedade de nós.

Cristo, tende piedade de nós.
R/. Cristo, tende piedade de nós.

Senhor, tende piedade de nós.
R/. Senhor, tende piedade de nós.

Santa Mãe de Deus.
R/. Rogai por nós.

São Miguel.
R/. Rogai por nós.

Santos Anjos.
R/. Rogai por nós.

São João Batista.
R/. Rogai por nós.

São José.
R/. Rogai por nós.

São Pedro e São Paulo.
R/. Rogai por nós.

Santo André.
R/. Rogai por nós.

São João.
R/. Rogai por nós.

Santa Maria Madalena.
R/. Rogai por nós.

Santo Estêvão.
R/. Rogai por nós.

Santo Inácio de Antioquia.
R/. Rogai por nós.

São Lourenço.
R/. Rogai por nós.

Santas Perpétua e Felicidade.
R/. Rogai por nós.

Santa Inês.
R/. Rogai por nós.

São Gregório.
R/. Rogai por nós.

Santo Agostinho.
R/. Rogai por nós.

Santo Atanásio.
R/. Rogai por nós.

São Basílio.
R/. Rogai por nós.

São Martinho.
R/. Rogai por nós.

São Bento.
R/. Rogai por nós.

São Francisco e São Domingos.
R/. Rogai por nós.

São Francisco Xavier.
R/. Rogai por nós.

São João Maria Vianney.
R/. Rogai por nós.

Santa Catarina de Sena.
R/. Rogai por nós.

Santa Teresa de Jesus.
R/. Rogai por nós.

Podem-se acrescentar os santos padroeiros dos membros de nossa família, presentes e ausentes, a dos entes queridos que atualmente estão doentes.

Santos e Santas de Deus. 
R/. Rogai por nós.

Colocamo-nos de pé. O condutor da celebração convida a renovar as promessas do Batismo.

Irmãos:

Pelo mistério pascal

fomos sepultados com Cristo

no batismo,

para vivermos uma vida nova.

Por isso, terminado o exercício da Quaresma,

renovemos as promessas do santo batismo,

com as quais em outro tempo renunciamos a Satanás

e a suas obras e prometemos servir fielmente a Deus,

na santa Igreja Católica.

Assim pois:

Renunciais ao pecado para viver na liberdade de filhos de Deus?

R/. Sim, renuncio.

Renunciais a todas as seduções do Maligno, para que o pecado não vos escravize?

R/. Sim, renuncio.

Renunciais a Satanás, pai e príncipe do pecado?

R/. Sim, renuncio.

Credes em Deus Pai todo-poderoso, criador do céu e da terra?

R/. Sim, creio.

Credes em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor, que nasceu da Virgem Maria, padeceu e foi sepultado, ressuscitou dos mortos e subiu ao céu e está sentado à direita do Pai?

R/. Sim, creio.

Credes no Espírito Santo, na santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne e na vida eterna?

R/. Sim, creio.

Que Deus Todo-Poderoso, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo,

que nos libertou do pecado e nos fez renascer pela água

e o Espírito Santo, preserve-nos com sua graça, unidos a

Jesus Cristo, nosso Senhor, para a vida eterna.

R/. Amém

O condutor da Celebração introduz o Pai Nosso.

Unidos no Espírito e na comunhão da Igreja,

fiéis à recomendação do Salvador,

ousamos dizer:

Reza-se o Pai Nosso

Pai Nosso que estais nos Céus,
santificado seja o vosso Nome,
venha a nós o vosso Reino,
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje,
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos
a quem nos tem ofendido,
e não nos deixeis cair em tentação,
mas livrai-nos do Mal.

E imediatamente todos prosseguem proclamando: 

Teu é o reino, o poder e a glória para sempre, Senhor.

O condutor segue dizendo: 

Acabamos de juntar nossa voz

à do Senhor Jesus para rezar ao Pai.

Nós somos filhos no Filho.

Na caridade que nos une,

renovados pela Palavra de Deus,

podemos trocar um gesto de paz,

sinal de comunhão

que recebemos do Senhor.

Faz-se o gesto da paz.

Sentamo-nos.

COMUNHÃO ESPIRITUAL

O condutor diz:

Como não podemos receber a comunhão sacramental, o Papa Francisco nos convida urgentemente a realizar a comunhão espiritual, também chamada de “comunhão do desejo”. O Concílio de Trento nos lembra que “trata-se de um desejo ardente de alimentar-se deste pão celestial, unidos a uma fé viva que trabalha pela caridade, e isso nos torna participantes dos frutos e graças do Sacramento”. O valor da nossa comunhão espiritual portanto, depende da nossa fé na presença de Cristo na Eucaristia, como fonte de vida, amor e unidade, e de nosso desejo de receber a Comunhão, apesar de tudo.

Podemos agora reclinar a cabeça, fechar os olhos e recolher nosso espírito.

Pausa silenciosa

No fundo do nosso coração, deixemos crescer o desejo ardente de nos unirmos a Jesus, em comunhão sacramental, e de fazer que seu amor se faça vivo em nossas vidas, amando nossos irmãos e irmãs como Ele nos amou.

Permanecemos cinco minutos em silêncio em um diálogo de coração a coração com Jesus Cristo. Em seguida, cantamos ou recitamos o Aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

ORAÇÃO DE BÊNÇÃO

Todos juntos olhando para a cruz e a vela (círio pascal) pedem a bênção do Senhor. A pessoa que conduz a Celebração, com as mãos juntas, pronuncia, em nome de todos, a fórmula da bênção:

Senhor, nosso Deus, a ressurreição de Jesus nos resgatou da escuridão para a luz, da morte para a vida. No Batismo nos tornamos teus filhos e filhas, Templos do teu Espírito, ungidos para fazer a tua vontade. Olha por nós, e concede-nos viver segundo a graça do teu Filho amado Jesus.

R/. Amém.

E todos juntos, com as mãos unidas, dizem:

E a graça de Deus desça sobre nós e permaneça para sempre.

R/. Amém.

Todos fazem o sinal da cruz. Os pais podem fazer o sinal da cruz na testa dos filhos pequenos. É possível concluir a celebração elevando um cântico à Virgem Maria, como por exemplo o “Regina caeli”.

Regina caeli, laetare, alleluia,

quia quem meruisti portare, alleluia,

resurrexit sicut dixit, alleluia;

ora pro nobis Deum, alleluia.

Reina del cielo, alégrate, aleluya.

Porque aquel a quien mereciste llevar, aleluya,

resucitó según su palabra, aleluya.

Ruega al Señor por nosotros, aleluya.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
CoronavírusPáscoaQuaresmaRessurreiçãoSemana Santa
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
São Padre Pio de Pietrelcina
Oração de cura e libertação indicada pelo exo...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia