Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Que horas Jesus ressuscitou dos mortos?

CRUCIFIXION,
OSDG | Shutterstock
Compartilhar

Afinal, foi no sábado à noite ou no domingo de manhã?

Nos relatos do Evangelho, diz-se que Jesus ressuscitou dos mortos “no terceiro dia” ou “depois de três dias”. Isso pode soar contraditório, diante do fato de Jesus ter morrido numa sexta-feira.

No entanto, de acordo com o estudioso bíblico Ben Witherington, isso não deveria nos preocupar, pois os autores do Evangelho não estavam usando termos com a mesma precisão matemática que nossa linguagem moderna possui.

O problema com nossa linguagem moderna é que ela pressupõe que os autores do Evangelho tivessem sempre que escrever com precisão sobre o assunto. Mas, de fato, a frase “depois de três dias” no Novo Testamento pode significar simplesmente “depois de um tempo” ou “depois de alguns dias”, sem nenhuma especificidade rígida.

Segundo Witherington, os textos do Antigo e do Novo Testamento não foram escritos para atender a nossos exigentes padrões modernos de checagem do tempo.

Além disso, os “dias” no cálculo dos judeus não eram as 24 horas da meia-noite à meia-noite seguinte que usamos hoje. A marcação do dia para eles geralmente começava no pôr do sol de um dia e terminava no pôr do sol seguinte.

Voltando à questão principal, quando Jesus ressuscitou dos mortos?

Segundo a narrativa bíblica tradicional, Jesus morreu em uma tarde de sexta-feira, o “dia de preparação” antes do Sabbath, que para os judeus era no sábado.

O apologista Jimmy Akin reconstrói a linha do tempo da morte e ressurreição de Jesus com base nos Evangelhos e nas tradições judaicas, como se segue.

Se Jesus foi crucificado e morreu na tarde de sexta-feira, esse seria o primeiro dia. Ao pôr do sol da sexta-feira, começaria o segundo dia. Depois, ao pôr do sol do sábado, começaria o terceiro dia. Então, Jesus ressuscitou realmente “no terceiro dia” (cf. Mateus 20, 19).

Isso é consistente com o relato de Mateus sobre as mulheres que visitaram a tumba vazia no domingo de manhã:

Depois do sábado, quando amanhecia o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o túmulo. (…) Mas o anjo disse às mulheres: Não temais! Sei que procurais Jesus, que foi crucificado. Não está aqui: ressuscitou como disse. Vinde e vede o lugar em que ele repousou. (Mt 28, 1-6)

Diante disso, Jesus provavelmente ressuscitou dos mortos entre o pôr do sol de sábado e o amanhecer de domingo, antes de Maria Madalena chegar ao túmulo.

Não é de surpreender que a Igreja sempre siga essa linha do tempo, com a liturgia da Vigília Pascal no sábado à noite já celebrando a ressurreição de Jesus. Trata-se de algo que corresponde à narrativa bíblica e às práticas judaicas da época.

Embora não saibamos a hora exata em que Jesus ressuscitou dos mortos, sabemos o que é verdadeiramente importante: que Jesus ressuscitou dos mortos e abriu para nós as portas do Céu.

Boletim
Receba Aleteia todo dia