Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 29 Outubro |
São Colmano
home iconEstilo de vida
line break icon

Quem disse que a ciência não se aproxima de Deus?

CLEANING

Shutterstock | Alexander Raths

Octavio Messias - publicado em 13/04/20

Método científico é dotado de virtudes divinas

Isaías, capítulo 45, versículo 15: “De fato, ó Deus de Israel, ó Salvador, o Senhor cumpre os seus planos de maneiras misteriosas”. Ou seja, Deus pode agir das mais diferentes formas, a mão Dele pode estar onde menos se espera. Deus pode derrubar uma árvore na sua rua para que você fique em casa e não se envolva em um acidente, assim como Ele pode fazer com que um irmão atravesse o seu caminho e salve a sua vida sem você saber. Deus tudo pode.

E pelo que podemos observar pela evolução da humanidade através da história, devemos muitas de nossas conquistas e da nossa sobrevivência à ciência. Quem disse que ela não pode ser uma das muitas maneiras que Deus encontrou de entrar no nosso caminho e promover o nosso bem? 

Por exemplo, em 1847, quando ainda se pensava que as doenças eram transmitidas apenas pelo contato da pele, muito antes da descoberta de vírus e bactérias, o médico húngaro Ignaz Semmelweis (1818-1865) teve uma observação revolucionária. Uma visão divina, pode-se dizer.

Ele trabalhava na maternidade do Hospital Geral de Viena, onde à época vinha tendo uma incidência muito alta de mortes por febre puerperal entre as mães prestes a dar à luz. Os partos, todos ainda ao método natural, eram conduzidos por estudantes de medicina ou pelas parteiras. 

Semmelweis notou que os óbitos eram quatro vezes maiores entre as mulheres atendidas pelos estudantes. Percebeu, ainda, que antes de fazer partos os alunos passavam pelo necrotério, onde se aproximavam de cadáveres. O médico veterano então instituiu como regra que todos deveriam lavar as mãos antes de irem para a maternidade. Em apenas um mês, o número de mortes caiu para 1%.

Uma coisa tão simples, lavar as mãos, precisou ser descoberta por um cientista para então passar a salvar vidas. À época ele foi ridicularizado, a própria classe científica duvidava, mas com o tempo, e com o avanço da ciência, pode-se comprovar que ele tinha razão desde o princípio. E ajudou a salvar um número incontável de vidas.    

O cientista pode muito bem ser um instrumento para Deus cumprir seus propósitos, agindo como um anjo em toda a sua graça. 

Ao meu ver, a prática científica incorpora as três virtudes divinas:

Fé – um dos princípios básicos da evolução da ciência. Mesmo com todas as variáveis a favor de uma hipótese, o cientista precisa acreditar que aquela somatória de fatores dará certo. Como bem ilustra o exemplo do astuto Dr. Semmelweis, um cientista precisa ter fé em sua visão. 

Esperança – além de foco e disciplina, um cientista precisa ter a esperança de que a sua hipótese vá funcionar, que o seu experimento trará benefícios à sociedade, que a sua criação ou suas habilidades podem contribuir com que uma vida seja salva. O que me parece a definição de esperança. 

Caridade – vamos pensar no exemplo de médicos. O que pode ser mais caridoso do que doar anos da sua vida ao estudo pesado, depois anos de residência, com plantões de até três dias seguidos, e agora estarem lá, na linha de frente, combatendo a doença e arriscando a própria vida? Bons médicos trabalham com a empatia, com querer bem ao próximo, o que é o princípio da caridade. 

Além de tudo isso, cientistas são metódicos, analisam dados complexos e estão sempre em busca da precisão, pois sabem que um pequeno deslize pode custar vidas. Cientistas comprometidos estão sempre em busca de conhecimento, que é o que Deus espera de todos nós. Colocam muita energia e, portanto, muito amor naquilo que fazem. Talvez até por isso tenham o poder de salvar um irmão. 

Lembre-se: Deus está tanto nos detalhes quanto nas virtudes. E, como bem diria o bom Dr. Semmelweis, não se esqueça de lavar as mãos.   

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
CoronavírusSaúde
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia