Aleteia
Terça-feira 27 Outubro |
São Fulco
Estilo de vida

O amor que nos faz cuidar

Public Domain

A12 - publicado em 14/04/20

Mesmo quem nunca amou deseja ser profundamente amado, e a falta do amor é capaz de fazer alguém assumir as atitudes mais desumanas

Em uma de suas belas páginas na Primeira Carta aos Coríntios 13,1-13, São Paulo escreve o hino ao amor, cuja mensagem é “sem amor nada somos”. Em Cânticos, encontramos “o amor é tão forte quanto a morte” (Ct 8,6).

Em breves palavras, o autor condensa a força arrebatadora do amor como aquela da morte, a que reduz o ser humano à sua finitude física. Portanto, aí está a intensidade de algo tão humano e imprescindível à vida, cuja ausência é capaz de deixar sequelas profundas no percurso existencial de uma pessoa.

Na absurdidade do mistério humano, mesmo quem nunca amou deseja ser profundamente amado e essa falta é capaz de fazer alguém assumir as atitudes mais desumanas. E quem o rejeita é porque sente-se ameaçado em próprio narcisismo e insegurança.

Quem não ama, não se deixa amar e não compartilha o amor em atitudes de vida em relação aos outros experimenta solidão e infelicidade em seus dias. Quem ama vive e dá vida aos demais! Não o foi assim com Jesus de Nazaré e tantos homens e mulheres ao longo da história, continuando até os dias hodiernos? Enquanto houver amor a humanidade, com suas luzes e sombras, avançará. Se perdê-lo, entrará em colapso

Nos momentos mais obscuros da humanidade sempre surgem pessoas que, por sua capacidade de amar, transformam a realidade. Isso se faz visível nos últimos tempos, quando milhares de pessoas, homens, mulheres, idosos, crianças, ricos, pobres encontram formas criativas de solidariedade para aliviar a dor de quem sofre. Essas nobres atitudes transformam o mundo, geram humanidade e nos fazem acreditar que há uma esperança para o mundo, um futuro no qual o ser humano possa recuperar a sua capacidade de cuidar do seu próximo e do mundo onde vive.

O que dizer de tantos pais e mães que dão a vida para os seus filhos? De pessoas simples que doam o pouco que tem em favor de outras? De indivíduos que, em seus trabalhos, entregam a vida para a transformação do semelhante e do mundo? De quem dá a própria vida pelo outro? De desconhecidos que fazem o bem sem nenhum interesse? A história está cheia desses exemplos, mas que passam anônimos, pois o amor e o bem não figuram nas estatísticas da sociedade de consumo, do bem-estar e do lucro, pois é pura gratuidade e transcende condição social, cultura, sexualidade, religião, etc.

O amor nos coloca na pele do outro e desperta a compaixão, algo presente nas entranhas, nas vísceras, nas profundezas de nossa alma, permeia nosso corpo e nos faz correr riscos. Quem ama deixa as suas seguranças, seus interesses e se coloca a caminho do encontro do outro, mesmo desconhecido. É esse encontro que se materializa em forma de reconhecimento, acolhida, bondade, generosidade, gratuidade cuidado e salvação. Quem ama salva e se salva!

Paulo conclui seu hino afirmando: “agora, portanto, permanecem fé, esperança, amor, essas três coisas; mas a maior delas é o amor” (1Cor 13,13). Em seu sentido profundo, o amor comporta um ato de fé e a paciência esperançosa, e isso faz mover o coração e atitudes humanas em relação ao semelhante. Será que não é isso que nos falta nesta era da História: recuperar a dimensão da fé como horizonte antropológico e transcendental e a paciência esperançosa, enquanto possibilidade de sentido do que realizamos e podemos realizar, enquanto seres criativos e capazes de amar?

Qual o aprendizado das experiências concretas, significativas e cotidianas do amor para nós enquanto pessoa e sociedade? Talvez neste arco da História, estamos experimentando o autoabandono de si e do outro sem nos darmos conta que que estamos fazendo mal a nós mesmos, descuidando-nos. E só o amor é capaz de nos resgatar dessa condição e resgatar o que há de mais belo no humano: doar-se ao outro, cuidar dele. Sem o amor nada somos!

Por Padre Rogério Gomes, via A12 

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
AmorBíblia
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
São Padre Pio de Pietrelcina
Oração de cura e libertação indicada pelo exo...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia