Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Como era o rosto de Jesus? O que sabemos é isto

JESUS
Compartilhar

Nós nos acostumamos a vê-lo como um homem de barba e cabelos compridos, mas os Evangelhos não dizem nada sobre sua aparência física

Clique aqui para abrir a galeria de fotos

O que sabemos sobre a aparência física de Jesus? Na Bíblia, afirma-se que ele é “o mais belo dos filhos dos homens”. Mas o que se sabe dos Evangelhos? O rosto ao qual a arte nos acostumou (alto, moreno, barbudo) tem uma base histórica?

Quem responde é Filippo Belli, professor de Escrituras Sagradas.

A resposta para a pergunta poderia ser muito simples: não sabemos nada, isto é, os Evangelhos não nos dizem nada sobre o aspecto físico de Jesus.

Temos várias informações sobre o seu jeito de ser e observamos nas histórias dos Evangelhos alguns momentos sublimes de choque, vergonha, alegria e até angústia: nós o vemos chorar, sofrer, alegrar-se, até brincar, dormir e comer, além de andar e cansar. Mas, em relação a sua aparência física, nada.

O único ponto é durante a transfiguração, quando Mateus nos diz que “seu rosto brilhava como o sol” (Mt 17, 2) e Lucas diz que “a aparência de seu rosto transfigurou-se” (Lc 9,29).

Mas, além do fato de que essas citações não nos permitem capturar mais do que a luminosidade de seu rosto, é um momento muito particular, uma mudança de aspecto (transfiguração) que não nos permite reconhecer a aparência real de seu rosto terreno.

Portanto, os Evangelhos não nos dizem muita coisa, praticamente nada: a única coisa, sua relativa juventude (Lc 3,23 nos diz que “Jesus tinha cerca de trinta anos quando começou seu ministério”).

Hoje, porém, estamos acostumados a uma certa imagem de Jesus, que se tornou padrão: um jovem bonito, com feições doces e masculinas ao mesmo tempo, cabelos compridos, barba jovem, rosto comprido, olhos brilhantes e penetrantes. De onde vem essa imagem de Jesus, que se tornou clássica?

É surpreendente que a representação visual de Jesus ao longo dos séculos tenha sido tão coerente e tão clara, a ponto de que se alguém tentar pintar Jesus de outra maneira, a única coisa que conseguirá é não identificá-lo. Por trás disso, há uma longa história ligada a duas antigas tradições.

Uma delas afirma que São Lucas, que teria ouvido da própria Virgem Maria o relato da vida de Jesus, conseguiu obter dela uma descrição física e pintar um primeiro retrato, de onde viria toda a iconografia bizantina do rosto de Cristo, já que os artistas bizantinos confiaram nesse primeiro retrato para suas representações posteriores.

A arte bizantina foi gradualmente tornando-se referência para toda cristandade. E mesmo que as representações mais antigas de Jesus encontradas nas catacumbas pintam Jesus como um jovem romano sem outras características distintivas, existe uma certa unanimidade em representar Jesus como o reconhecemos hoje.

A segunda tradição tem a ver com duas relíquias famosas do próprio Jesus: o Véu de Verônica (o nome é significativo: verdadeiro ícone) e o Santo Sudário. Ambas relíquias têm uma longa história (seria impossível resumir aqui) e estão envoltas em muitos mistérios (como a imagem foi impressa, sua idade, sua proveniência).

Mas o extraordinariamente surpreendente é que elas se sobrepõem quase perfeitamente e revelam uma única face, e que não por acaso é exatamente a mesma da iconografia bizantina.

O que podemos dizer? Seriam essas as características físicas de Jesus? Não podemos ter certeza, mas é muito provável que sim.

Boletim
Receba Aleteia todo dia