Aleteia

Quem está rezando pelos “anônimos” falecidos nesta pandemia?

PRAYER
Tinnakorn Jorruang | Shutterstock
Compartilhar

O Papa Francisco nos pediu hoje que nos lembremos deles – e há católicos que transformam esta obra de misericórdia em verdadeiro apostolado

Ao dar início à Santa Missa desta manhã de 30 de abril, na capela da Casa Santa Marta, o Papa Francisco propôs um oferecimento desta Eucaristia pelas almas dos recentes falecidos, em especial pelos “anônimos” que partiram desta vida em decorrência da pandemia de covid-19.

“Rezemos hoje pelos falecidos, por aqueles que morreram devido à pandemia, e também, de modo especial, pelos falecidos, digamos assim, ‘anônimos’: vimos fotografias das valas comuns. Muitos ali…”.

Na homilia, Francisco observou sobre as palavras de Jesus no Evangelho do dia:

“‘Ninguém pode vir a mim se o Pai que me enviou não o atrai’. É Deus quem atrai para o conhecimento do Filho. Sem isso, não podemos conhecer Jesus. Sim, podemos estudar, inclusive estudar a Bíblia, saber como Ele nasceu, o que Ele fez: sim, mas conhecer o mistério de Cristo é somente para aqueles que foram atraídos pelo Pai”.

A honra de acompanhar o funeral de quem não tem ninguém

A propósito da oração pelos falecidos, é importante recordar que se trata de uma das obras de misericórdia.

Há católicos que se empenham de modo impactantemente iluminador nesse apostolado de misericórdia, que envolve tanta certeza da ressurreição e da eternidade. É o caso da Irmandade de São Roque e da Misericórdia, de Lisboa, que, na capital de Portugal, fornece funeral e sepultamento a homens, mulheres e crianças cujos corpos não são reclamados por ninguém.

Recomendamos, na matéria abaixo, a leitura do testemunho da professora Ana Cristina Frias, que se tornou voluntária na obra desenvolvida pela irmandade após participar de uma celebração eucarística pelas almas de pessoas que haviam morrido no abandono.

Devido às atuais restrições de movimento e aglomeração, este apostolado pode ser feito por cada um de nós ao menos à distância, na oração em família ou pessoal, pelo eterno descanso daqueles cuja vida não passará em branco para Deus, mas foi esquecida pelo resto da humanidade.

Boletim
Receba Aleteia todo dia