Aleteia

Dia das Mães: no presente, o que importa é o amor

elderly woman portrait
By Galushko Sergey/Shutterstock
Compartilhar

Haverá muitas outras ocasiões para dizer “eu te amo” e expressar gratidão pelo dom da vida

Dia das Mães. A situação de isolamento social impossibilita o encontro com nossas mães e avós, quando estas moram em outra residência.

Mas o amor é engenhoso.

Miriam mora na mesma cidade que seus pais, mas a uma boa distância.

Com o confinamento, os encontros estão proibidos. É preciso manter o distanciamento social.

Este ano, será impossível organizar uma refeição em família, com toalha de mesa de festa, aperitivo e sobremesa sem fim depois do almoço.

Miriam é independente há anos, mas um evento como o dia das mães não pode passar sem ao menos uma singela homenagem. Então, ela está organizando seu dia para tornar o dia de sua mãe especial.

Orçamento zero, mas todo o amor do mundo

Não há orçamento disponível: a crise afetou a família, que há anos – como tantas famílias no mundo – luta de mãos dadas para seguir em frente. Eles aprenderam a fazê-lo com alegria.

Mas o Dia das Mães não tem a ver com presentes caros.

Miriam prepara um vasinho de flores para deixar na varanda da casa de sua mãe. É a forma de homenageá-la sem levar riscos de infecção para uma senhora de idade.

FLOWERS
Gentileza

E, ao soar a campainha, acenará de longe para a velha senhora, enviando-lhe o afeto seguro de sua presença amorosa.

Da janela, a mãe lhe dirigirá algumas palavras e elas apaziguarão um pouco da saudade. Mas o mais forte é a certeza de tudo ficará bem e em breve todos poderão se abraçar novamente, em segurança.

E haverá muitas outras ocasiões para dizer “eu te amo” e expressar gratidão pelo dom da vida.

Boletim
Receba Aleteia todo dia