Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 22 Abril |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Imaginar seu futuro pós-pandemia é uma forma de torná-lo presente

shutterstock_1183089466.jpg

fizkes - Shutterstock

Mathilde de Robien - publicado em 12/05/20

Comece se perguntando: quem vou visitar quando tudo isso acabar? Qual será minha primeira viagem?

O distanciamento físico causado pela pandemia de COVID-19 faz com que muitos sintam que suas vidas estão em modo de espera. O tempo parece suspenso no espaço estreito de nossas casas e na incerteza do que virá depois disso, como se estivéssemos vivendo uma pausa no desenrolar de nossas vidas.

Assim como quase não há movimento nas ruas, a imobilidade passou a residir em nossas vidas e, às vezes, até em nossas emoções: nossos projetos são cancelados ou adiados e nossos objetivos e desejos são entorpecidos por ansiedade ou melancolia.

O psicanalista francês Jean-Guilhem Xerri explica: “Diversas manifestações estão começando a aparecer, variando da inquietação que evolui para a ansiedade, da irritabilidade à agressividade e violência, sentimentos de depressão e, por último, comportamentos viciantes que aparecem ou ressurgem”.

Com base nessa observação, ele nos convida a redescobrir a nossa “mobilidade interior”, a fim de estabelecer um novo equilíbrio.

Imaginar o futuro para viver melhor o presente

Como podemos recuperar a “mobilidade interior”? Para Jean-Guilhem Xerri, isso envolve duas práticas: lembrar o passado e projetar o futuro.

Lembrar as dificuldades que já superamos nos ajuda a conquistar as do presente, enquanto “projetar-nos para o futuro nos ajuda a viver melhor no momento presente com todos os seus desafios”, explica o psicanalista.

“Imaginar o futuro tem um grande valor”, diz ele, “o de nos colocar de volta em movimento, para recuperar o impulso, a criatividade e o desejo.” Vamos simplesmente nos perguntar: “Quem irei visitar quando o período de isolamento terminar? Qual será minha primeira viagem? O que eu quero experimentar depois que isso acabar?”. Nossa imaginação pode fornecer uma ampla gama de opções.

Não importa se os desejos que fazemos flutuam de um dia para o outro ou nunca se realizam. O objetivo não é fazer compromissos esculpidos em pedra, mas reviver nossos desejos, expressar nossos sonhos e encontrar a “mobilidade interior” tão em falta neste momento. Tudo isso tem um efeito benéfico no presente.

“Imaginar o período pós-confinamento é uma maneira de fazê-lo existir no presente”, diz Xerri. Então, vamos dar liberdade às nossas imaginações!

Tags:
CovidDepressãoPsicologia
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia