Aleteia

Como celebrar em casa este 6º Domingo da Páscoa, 17 de maio

FAMILY PRAYERS
Shutterstock
Compartilhar

Guia para você fazer a CELEBRAÇÃO DA PALAVRA deste domingo na sua casa com a sua família

A celebração da Ressurreição de Jesus continua nas próximas semanas, até culminar em Pentecostes. Até o final do período de confinamento por causa do coronavírus, a Aleteia, em colaboração com a revista Magnificat, continuará oferecendo estes guias para você realizar na sua casa a Celebração da Palavra de Deus.

ROTEIRO DA CELEBRAÇÃO:

  • Se você está sozinho, é preferível ler as leituras e orações da missa deste domingo ou acompanhar a missa pela televisão.
  • Esta celebração requer ao menos a participação de duas pessoas.
  • Pode ser celebrada na noite de sábado (vigília do domingo) e na tarde do domingo. No entanto, a manhã de domingo é o momento mais apropriado.
  • Esta celebração se adapta particularmente ao contexto familiar.
  • Deve-se colocar o número de cadeiras necessário diante de um espaço de oração, respeitando a distância de um metro entre cada cadeira.
  • Deve-se colocar uma cruz ou o crucifixo.
  • Acende-se uma ou várias velas, que devem ser colocadas em um suporte seguro. Ao final da celebração, elas devem ser apagadas.
  • Se você tem flores no jardim, colha algumas para colocá-las no ambiente de oração, pois sua presença é particularmente indicada neste domingo Laetare, em previsão da alegria da Páscoa. 
  • Designa-se uma pessoa para dirigir a oração (em ordem de prioridade: um diácono, um leigo que tenha recebido o ministério de leitor ou acolitado, o pai ou a mãe de família.
  • A pessoa encarregada de dirigir a oração estabelecerá a duração dos momentos de silêncio.
  • Serão designados leitores para as leituras.
  • Preparar-se-á com antecedência a oração universal (que aparece neste guia) e se designará uma pessoa para sua leitura.
  • Podem-se preparar os cantos apropriados.

 

SEXTO DOMINGO DA PÁSCOA

Celebração da Palavra

 “Anunciai com brados de alegria, proclamai aos confins da terra: O Senhor libertou o seu povo. Aleluia.”

 

Sentados. O condutor da celebração toma a palavra: 

Irmãos e irmãs,
No evangelho de João, Jesus nos diz neste domingo:
“Se vocês me amam, guardarão meus mandamentos.”

Amar Jesus significa
amá-lo como ele quer que nós o amemos,
não como nos apetece.

A que mandamentos Ele está se referindo?
Há um que conhecemos bem,
o “novo mandamento”,
que Ele nos deixou como testamento:
“Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei.”

Agora, para que possamos realmente amá-lo
Jesus nos pede que vivamos seus “mandamentos”, no plural…
Acaso Jesus nos deixou outro novo mandamento?

Em sua primeira carta, o apóstolo João
nos ilumina sobre o segundo mandamento de Jesus.
Na verdade, é seu primeiro mandamento.
Este primeiro mandamento novo é crer Nele,
como o Filho de Deus e como nosso Salvador.

Irmãos e irmãs,
nestes dias em que nosso amor por Jesus
não pode receber a comunhão, sua presença real,
vamos ouvir o que Ele nos diz em seu Evangelho
para que possamos ter a certeza de mostrar-lhe o nosso amor.

Pausa

Jesus, nosso Bom Pastor,
neste domingo não podemos
celebrar a Eucaristia,
mas Tu nos pedes
para atualizá-la,
amando-nos uns aos outros,
como Tu, Senhor, nos amaste.

Depois de um verdadeiro momento de silêncio, todos se levantam e fazem o sinal da cruz dizendo:

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

O condutor continua:

Para nos prepararmos para receber a Palavra de Deus
para que ela possa nos regenerar,
reconheçamos nossos pecados.

Segue o rito penitencial.

Senhor, tende piedade de nós.
Porque pecamos contra ti.
Mostrai-nos, Senhor, a vossa misericórdia.
E dai-nos a vossa salvação.

Que Deus Todo-Poderoso tenha misericórdia de nós,
perdoe os nossos pecados,
e nos conduza à vida eterna.

Amém

Recitamos ou cantamos:

Senhor, tende piedade.
Senhor, tende piedade.
Cristo, tende piedade.
Cristo, tende piedade.
Senhor, tende piedade.
Senhor, tende piedade.

Recitamos o Glória:

Glória a Deus nas alturas
e paz na terra aos homens
por Ele amados.
Senhor Deus, Rei dos céus,
Deus Pai todo-poderoso:
nós Vos louvamos,
nós Vos bendizemos,
nós Vos adoramos,
nós Vos glorificamos,
nós Vos damos graças,
por vossa imensa glória.
Senhor Jesus Cristo,
Filho Unigénito,
Senhor Deus, Cordeiro de Deus,
Filho de Deus Pai:
Vós que tirais o pecado do mundo,
tende piedade de nós;
Vós que tirais o pecado do mundo,
acolhei a nossa súplica;
Vós que estais à direita do Pai,
tende piedade de nós.
Só Vós sois o Santo;
só Vós, o Senhor;
só Vós, o Altíssimo,
Jesus Cristo;
com o Espírito Santo
na glória de Deus Pai.
Amém

Gloria in excelsis Deo,
et in terra pax hominibus bonae voluntatis.
Laudamus te,
Benedicimus te,
Adoramus te,
Glorificamus te,
Gratias agimus tibi propter magnam gloriam tuam,
Domine Deus, Rex caelestis, Deus Pater omnipotens.
Domine fili unigenite, Jesu Christe,
Domine Deus, Agnus Dei, Filius patris,
Qui tollis peccata mundi, miserere nobis.
Qui tollis peccata mundi, suscipe deprecationem nostram.
Qui sedes ad dexteram Patris, miserere nobis.
Quoniam tu solus sanctus,
Tu solus Dominus,
Tu solus Altissimus, Jesu Christe,
Cum Sancto Spiritu in gloria Dei Patris.
Amen.

 

ORAÇÃO

O condutor recita a oração:

Concedei-nos, Deus omnipotente,
a graça de viver dignamente estes dias de alegria
em honra de Cristo ressuscitado,
de modo que a nossa vida corresponda sempre
aos mistérios que celebramos.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

R/. Aleluia

A pessoa encarregada da primeira leitura permanece de pé, enquanto as outras pessoas ficam sentadas.

 

PRIMEIRA LEITURA

Leitura dos Atos dos Apóstolos (8, 5-8. 14-17)
Naqueles dias, Filipe desceu a uma cidade da Samaria e começou a pregar o Messias àquela gente. As multidões aderiam unanimemente às palavras de Filipe, ao ouvi-las e ao ver os milagres que fazia. De muitos possessos saíam espíritos impuros, soltando enormes gritos, e numerosos paralíticos e coxos foram curados. E houve muita alegria naquela cidade. Quando os Apóstolos que estavam em Jerusalém ouviram dizer que a Samaria recebera a palavra de Deus, enviaram-lhes Pedro e João. Quando chegaram lá, rezaram pelos samaritanos, para que recebessem o Espírito Santo, que ainda não tinha descido sobre eles: só estavam baptizados em nome do Senhor Jesus. Então impunham-lhes as mãos e eles recebiam o Espírito Santo.
Palavra do Senhor.

O mesmo leitor, ou outro que for designado, lê o Salmo

 

SALMO (117)

Refrão: A terra inteira aclame o Senhor. Repete-se

Aclamai a Deus, terra inteira,
cantai a glória do seu nome,
celebrai os seus louvores,
dizei a Deus: «Maravilhosas são as vossas obras». Refrão

«A terra inteira Vos adore e celebre,
entoe hinos ao vosso nome».
Vinde contemplar as obras de Deus,
admirável na sua acção pelos homens. Refrão

Todos os que temeis a Deus, vinde e ouvi,
vou narrar-vos quanto Ele fez por mim.
Bendito seja Deus que não rejeitou a minha prece,
nem me retirou a sua misericórdia. Refrão

 

SEGUNDA LEITURA
Leitura da Primeira Carta de São Pedro (4, 13-16)
Caríssimos: Venerai Cristo Senhor em vossos corações, prontos sempre a responder, a quem quer que seja, sobre a razão da vossa esperança. Mas seja com brandura e respeito, conservando uma boa consciência, para que, naquilo mesmo em que fordes caluniados, sejam confundidos os que dizem mal do vosso bom procedimento em Cristo. Mais vale padecer por fazer o bem, se for essa a vontade de Deus, do que por fazer o mal. Na verdade, Cristo morreu uma só vez pelos nossos pecados – o Justo pelos injustos – para nos conduzir a Deus. Morreu segundo a carne, mas voltou à vida pelo Espírito.
Palavra do Senhor

 

EVANGELHO

Para aclamar o Evangelho, cantamos o Aleluia triunfal.
Todos em pé.

R/ Aleluia, aleluia, aleluia.
Eu sou o Bom Pastor, diz o Senhor;
eu conheço minhas ovelhas e elas me conhecem.
R/ Aleluia, aleluia, aleluia.

Evangelho segundo São João (14, 15-21)

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Se Me amardes, guardareis os meus mandamentos. E Eu pedirei ao Pai, que vos dará outro Paráclito, para estar sempre convosco: Ele é o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não O vê nem O conhece, mas que vós conheceis, porque habita convosco e está em vós. Não vos deixarei órfãos: voltarei para junto de vós. Daqui a pouco o mundo já não Me verá, mas vós ver-Me-eis, porque Eu vivo e vós vivereis. Nesse dia reconhecereis que Eu estou no Pai e que vós estais em Mim e Eu em vós. Se alguém aceita os meus mandamentos e os cumpre, esse realmente Me ama. E quem Me ama será amado por meu Pai e Eu amá-lo-ei e manifestar-Me-ei a ele».
Palavra da Salvação.

Todos aclamam:

Aleluia, aleluia, aleluia.

Todos se sentam. O condutor volta a ler lentamente, como se fosse um eco distante:

“«Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por Mim“, diz o Senhor.

Permanecemos três minutos em silêncio para meditar. Em seguida, todos se levantam e professam a fé da Igreja, recitando o símbolo dos apóstolos.

Creio em Deus Pai Todo-Poderoso,
criador do céu e da terra.
E em Jesus Cristo, seu único Filho Nosso Senhor,
que foi concebido pelo poder do Espírito Santo,
nasceu da Virgem Maria , padeceu sob Pôncio Pilatos,
foi crucificado, morto e sepultado,
desceu a mansão dos mortos, ressuscitou ao terceiro dia,
subiu aos Céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso,
donde há de vir a julgar os vivos e mortos.
Creio no Espírito Santo. Na Santa Igreja Católica,
na comunhão dos santos, na remissão dos pecados,
na ressurreição da carne, na vida eterna.
Amém.

 

ORAÇÃO UNIVERSAL

Continuamos de pé. Os presentes podem pronunciar as intenções de oração que prepararam ou as que apresentamos aqui. Deixa-se um momento de silêncio entre cada intenção.

Irmãs e irmãos: Cheios de confiança na promessa de Jesus de enviar o Espírito Santo aos seus Apóstolos, supliquemos a Deus Pai que O envie à sua Igreja, dizendo com fé:

R. Ouvi-nos, Senhor.

1. Pelos bispos, que confirmam a fé da Igreja, pelos presbíteros, que apascentam os fiéis, e pelos diáconos, que exercem a caridade, oremos.

R. Ouvi-nos, Senhor.

2. Pelos fiéis que anunciam Jesus Cristo, pelos que foram baptizados em adultos e pelos que vão ser confirmados nestes dias, oremos.

R. Ouvi-nos, Senhor.

3. Pelos leitores, que proclamam a Palavra, pelos acólitos, que servem ao altar, e pelos salmistas, que louvam o Senhor, oremos.

R. Ouvi-nos, Senhor.

4. Por todos os que trazem Deus no coração, pelas religiosas de vida contemplativa e por aquelas que cuidam dos mais pobres, oremos.

R. Ouvi-nos, Senhor.

5. Pelos que abrem o coração ao dom do Espírito, pelos que sabem dar a razão da sua esperança e por esta comunidade (paroquial) que adora a Cristo, oremos.

(Outras intenções…)

Deus, Pai de misericórdia, que destes a estes vossos filhos a graça de reconhecerem que os amais, enviai-nos do Céu o vosso Espírito, para que seja nosso defensor e nosso guia. Por Cristo, nosso Senhor.

R/. Amém

Permanecemos alguns minutos em silêncio em meditação pessoal.

 

PAI NOSSO

O condutor da celebração introduz o Pai Nosso

Unidos no Espírito e na comunhão da Igreja,
fiéis à recomendação do Salvador,
ousamos dizer:

Reza-se o Pai Nosso

Pai Nosso que estais nos Céus,
santificado seja o vosso Nome,
venha a nós o vosso Reino,
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje,
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos
a quem nos tem ofendido,
e não nos deixeis cair em tentação,
mas livrai-nos do Mal.

E imediatamente todos prosseguem proclamando: 

Teu é o reino, o poder e a glória para sempre, Senhor.

O condutor segue dizendo: 

Acabamos de juntar nossa voz
à do Senhor Jesus para rezar ao Pai.
Nós somos filhos no Filho.
Na caridade que nos une,
renovados pela Palavra de Deus,
podemos trocar um gesto de paz,
sinal de comunhão
que recebemos do Senhor.

Faz-se o gesto da paz.

Sentamo-nos.

 

COMUNHÃO ESPIRITUAL

O condutor diz:

Como não podemos receber a comunhão sacramental, o Papa Francisco nos convida urgentemente a realizar a comunhão espiritual, também chamada de “comunhão do desejo”. O Concílio de Trento nos lembra que “trata-se de um desejo ardente de alimentar-se deste pão celestial, unidos a uma fé viva que trabalha pela caridade, e isso nos torna participantes dos frutos e graças do Sacramento”. O valor da nossa comunhão espiritual portanto, depende da nossa fé na presença de Cristo na Eucaristia, como fonte de vida, amor e unidade, e de nosso desejo de receber a Comunhão, apesar de tudo.

Com esta disposição, convido-vos a reclinar a cabeça, fechar os olhos e viver um momento de recolhimento.

Pausa em silêncio

No mais profundo de nossos corações
deixemos crescer o desejo ardente de nos unirmos a Jesus,
em comunhão sacramental,
e de fazer que seu amor se faça vivo em nossas vidas,
amando nossos irmãos e irmãs como Ele nos amou.

Permanecemos cinco minutos em silêncio em um diálogo de coração a coração com Jesus Cristo. Podemos elevar recitar o Aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

ORAÇÃO DE BÊNÇÃO

Todos juntos olhando para a cruz pedem a bênção do Senhor: o condutor da Celebração, com as mãos juntas, pronuncia a fórmula da bênção:

Que o Senhor nos abençoe e nos guarde.
R. Amém.

Que o Senhor nos olhe com agrado e nos cubra com seu amor.
R. Amém.

Que o Senhor nos mostre o seu favor e nos conceda a paz.
R. Amém.

Todos juntos, com as mãos unidas, dizem:

A graça de Deus desça sobre nós e permaneça para sempre. Amém.

Amém.

Todos fazem o sinal da cruz.
Os pais podem fazer o sinal da cruz na testa dos filhos pequenos.
É possível concluir a celebração elevando um cântico à Virgem Maria, por exemplo, o : Regina caeli”.

Regina caeli, laetare, alleluia,
quia quem meruisti portare, alleluia,
resurrexit sicut dixit, alleluia;
ora pro nobis Deum, alleluia.

Rainha do Céu, alegrai-vos, Aleluia!
Porque Aquele que merecestes trazer em Vosso ventre, Aleluia!
Ressuscitou como disse, Aleluia!
Rogai por nós a Deus, Aleluia!

Boletim
Receba Aleteia todo dia