Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Médico consegue ajuda para alugar quartos e abrigar os sem-teto durante a pandemia

Photo courtesy of Dr. Thomas Huggett
Compartilhar

Inspirados por Madre Teresa, o médico e sua equipe estão garantindo assistência 24 horas à população de risco

O Dr. Thomas Huggett, especialista em medicina familiar em Chicago, Estados Unidos, passou anos cuidando de pessoas em grupos de risco. Quando o vírus chegou à cidade, ele e seus colegas do Lawndale Christian Health Center sabiam que precisavam fazer algo para proteger essas pessoas vulneráveis, principalmente os sem-teto.

A solução? Trabalhar junto à população local para conseguir alugar centenas de quartos em dois hotéis no centro da cidade e, assim, criar um local para servir de isolamento social para os sem-teto.

“Trabalho há décadas com pessoas sem abrigo e, durante esse período, estamos recebendo os que não têm casa para protegê-los do coronavírus”, disse Huggett em entrevista à Aleteia. Ele explicou por que decidiu desenvolver esse trabalho:

“Por segurança, as pessoas estão praticando o distanciamento social e ficando em casa. Mas e as pessoas que não têm uma casa? Muitos estão em albergues muito grandes, o que chamamos de ambientes de congregação, com 200 ou 300 pessoas em um quarto. Essa pode ser uma situação muito perigosa para a propagação de um vírus… 

Tínhamos medo de que o vírus pudesse se espalhar rapidamente nesse cenário e, além disso, muitas pessoas que permanecem nesses ambientes são de alto risco médico: têm mais de 55 ou 60 anos, com diabetes, problemas cardíacos ou outras complicações de saúde. Isso significa que eles correm um risco maior de morrer, então sentimos que nosso papel era proteger as pessoas de alto risco que viviam em situação de rua.”

Huggett é o principal médico do programa e se mudou para um dos hotéis, a fim de fornecer assistência 24 horas por dia para os hóspedes do programa. “Eu fico aqui a maioria das noites”, disse ele, “mas vou para casa uma vez por semana para lavar roupas, pegar correspondência e regar minhas rosas”.

O trabalho de Huggett é extraordinário, mas não é novo; pelo contrário, é uma continuação de décadas de trabalho com uma grande equipe. Huggett faz parte de uma organização, o Centro de Saúde Cristo de Lawndale, cuja missão é  compartilhar o amor de Jesus, promovendo o bem-estar e fornecendo assistência médica de qualidade e acessível para Lawndale e as comunidades vizinhas.

Os prestadores de serviços médicos da organização cuidam da saúde mental, corporal e espiritual de seus pacientes. O trabalho deles é necessário e não é de admirar que a cidade de Chicago tenha recorrido à instituição para ajudar os sem-teto durante esta crise de saúde.

Huggett não é o único profissional de saúde que fica no hotel, que também conta com voluntários de outras áreas. “Em qualquer dia, temos cerca de 35 pessoas trabalhando aqui no hotel. Só para organizar as refeições é uma operação bastante difícil, e 10 médicos estão aqui todos os dias visitando os hóspedes em seus quartos”, explica.

Nos hotéis, cada hóspede tem seu próprio quarto, com banheiro e chuveiro. Eles recebem 3 refeições todos os dias e passam por consulta médica diariamente.

Os hotéis abrigaram 240 pessoas até agora. “Fomos inspirados por pessoas como Madre Teresa”, disse ele, “e outras que trabalharam pelos pobres. Vemos os santos como exemplos. ”

Durante esse trabalho, Huggett conta que se sentiu preocupado e ansioso, mas encontrou encorajamento ao ler as obras do Pe. Walter Ciszek, um sacerdote que passou décadas em confinamento e trabalhando duro na União Soviética entre 1939 e 1963.

“Todo mundo é diferente, e nem todos podem ser Madre Teresa ou Pe. Walter Ciszek”, disse Huggett. “Mas podemos responder ao que Deus está nos chamando a fazer”, conclui.

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia