Aleteia

Como pedir o dom da oração mental

MODLITWA
Naassom Azevedo/Unsplash | CC0
Compartilhar

Se você quer crescer na meditação e na proximidade com Deus, reze com confiança essa oração ao Espírito Santo

O Catecismo da Igreja Católica diz que a oração “é a vida do coração novo” e é a lembrança de Deus ou seja, funciona como um relógio que nos desperta para a memória do coração; nosso com o de Deus.

“Devemos lembrar-nos de Deus com mais frequência do que respiramos”, dizia São Gregório Nazianzeno.

Ainda segundo o Catecismo existem três tipos de oração: vocal, meditação e contemplação

A  Vocal é a oração baseada em fórmulas litúrgicas, como a Ave-Maria, o Pai-Nosso, jaculatórias, etc. Meditação é também chamada de oração mental, que é quando nos posicionamos em pensamentos e palavras espontâneas diante de Deus. Contemplação é tão somente olhar para Cristo, como na Adoração Eucarística. É o olhar da fé fixo em Jesus.

É comum muitas pessoas dizerem que não sabem o que falar a Deus num momento de oração, sem as fórmulas. Por isso, neste texto vamos nos concentrar em falar da oração mental, a meditação.

Santo Afonso, como mestre da oração, pode nos ensinar como adquirir intimidade com Deus através da oração mental.

Ele entendia que a oração mental era um meio eficaz de salvação por mostrar a “disposição do coração para a oração”.

Outra frase que o santo repetia insistentemente era: “quem reza se salva, quem não reza se condena”, isso para dizer que a oração abria as portas para a cura, a libertação e a restauração almejada.

Para Santo Afonso, o Espírito Santo é um aliado nesta caminhada de fé. Para o Espírito de Deus, ele escreveu uma oração pedindo para que lhe concedesse o dom da oração mental ou de rezar bem diante de Deus.

Se você quer crescer na meditação e na proximidade com Deus, reze com confiança a oração de Santo Afonso:

“Ó Santo e Divino Espírito, não quero mais viver para mim mesmo; em Vos amar e agradar quero empregar tudo o que me resta da vida. Com este fim Vos peço que me concedais o dom da oração mental.

Vinde a meu coração, ensinai-me vós mesmo a praticá-la como se deve. Dai-me a força de não deixá-la por tédio no tempo da aridez; dai-me o espírito de oração, isto é, a graça de sempre orar e de fazer aquelas orações que sejam mais agradáveis ao vosso divino Coração.

Por meus pecados me havia perdido; mas por tantos sinais de vossa ternura, reconheço que quereis a minha salvação e santificação. Quero santificar-me para Vos agradar e amar mais a vossa infinita bondade. Amo-vos, ó meu soberano Bem, meu amor, meu tudo, e porque Vos amo, dou-me todo a Vós.

Ó Maria, minha esperança, protegei-me.

Amém!”

(via A12.com)

 

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia