Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 08 Maio |
Bem-aventurado Antonio Bajewski
home iconReligião
line break icon

Hoje é dia do Papa São Paulo VI, que disse: “A fumaça de Satanás entrou na Igreja”

lobo cordeiro fumaça

CC

Reportagem local - publicado em 29/05/20

O que este Papa quis dizer com isso em meio às agitações que marcaram a década de 1970 e que permearam a cultura até a nossa época?

O dia 29 de maio é o da festa litúrgica do Papa São Paulo VI, canonizado por Francisco em 14 de outubro de 2018. A data foi escolhida por ser o dia da sua ordenação sacerdotal.

Seu nome de batismo é Giovanni Battista Montini. Ele nasceu na Lombardia em 26 de setembro de 1897 e partiu desta vida em Castel Gandolfo no dia 6 de agosto de 1978, após 15 anos de pontificado.

São Paulo VI é particularmente recordado como o autor da importantíssima encíclica Humanae Vitae, que defende enfaticamente a sacralidade da vida e da família. Ele também é o pontífice que encerrou o Concílio Vaticano II, aberto em 1962 por seu predecessor, o Papa São João XXIII.

Vaticano - Domínio Público

Fumaça na Igreja

É no contexto das intensas transformações culturais relacionadas com a época do concílio e do pós-concílio que São Paulo VI faz uma das declarações mais retumbantes de um Papa em todos os tempos:

“A fumaça de Satanás entrou no templo de Deus”.

O começo da década de 1970 foi um tempo de grande agitação no mundo e na Igreja, com consequências culturais que se prologam até hoje. Nessa imediata época pós-Concílio Vaticano II, o Papa Paulo VI escreveu uma carta que permaneceria inédita até 2018, quando o conteúdo foi revelado no livro “La barca di Paolo” (“A barca de Paulo“), do pe. Leonardo Sapienza, regente da Casa Pontifícia.

A carta é de 29 de junho de 1972. Paulo VI tem cada vez mais nítida a impressão de que existe algo de profundo e negativo que aflige a Igreja de modo crescente. O caminho da secularização e a falta de unidade interna estão se tornando dois grandes problemas para a Igreja no mundo inteiro.

Inquieto, o Papa escreve:

“…Diríamos que, por alguma fresta misteriosa – não, não é misteriosa; por alguma fresta, a fumaça de Satanás entrou no templo de Deus. Há dúvida, há incerteza, há problemática, há inquietação, há insatisfação, há confronto”.“Não se confia mais na Igreja. Confia-se no primeiro profeta profano que vem nos falar em algum jornal, para correr atrás dele e lhe perguntar se tem a fórmula para a vida verdadeira. Entrou, repito, a dúvida em nossa consciência. E entrou por janelas que deviam estar abertas à luz: a ciência!”

Nuvens de tempestade

“…Acreditava-se que, depois do Concílio, viriam dias ensolarados para a história da Igreja. Advieram, porém, jornadas de nuvens, de tempestade, de escuridão, de busca, de incerteza… Tentamos cavar abismos em vez de preenchê-los…”.

Terror e êxtase

Que o Papa não estava tranquilo, percebe-se ainda por outro pensamento que ele tinha escrito oito dias antes, em 21 de junho de 1972. O título, por si, já é perturbador: “O terror e o êxtase“.

Talvez o Senhorme tenha chamado a este serviçonão já para que eu tome nele alguma atitude,ou para que eu governe e salve a Igreja das suas dificuldades,mas para que eu sofra algo pela Igrejae seja claro que é Ele, e ninguém mais,quem a guia e quem a salva.

21 de junho de 1963: exatos nove anos antes de escrever esse pensamento, Giovanni Montini era eleito Papa. E, a respeito, tinha escrito:

“…Espero que todos acreditem quando digo que não apenas nunca aspirei como sequer formulei a hipótese de ser eleito para este formidável ofício…”.

Anos depois, em conversa no turbulento 1968 com o escritor francês Jean Guitton, seu amigo, o Papa confidenciava:

“…Eu tive o terror e o êxtase de ser eleito…”.

Uma vez aceito o peso do pontificado, porém, Paulo VI lhe consagrou todas as forças, em meio aos incontáveis obstáculos que, a ele e a qualquer outro pontífice, teriam feito, certamente, pensar na renúncia.

É gravemente pesado o fardo do Vigário de Cristo, porque é o fardo do pastor chamado a dar a vida pelas ovelhas.

Oremos sempre pelo Papa e pela Igreja, sob as nuvens de tempestade.

Tags:
DemônioIgreja CatólicaPapa
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Sangue de São Januário ou San Gennaro
Francisco Vêneto
Milagre do sangue de São Januário volta a ocorrer em Nápoles
2
Creche
Reportagem local
URGENTE – Jovem com facão invade creche e mata crianças e p...
3
Bebê anjo
Reportagem local
“Tchau, papai”: as últimas palavras que Maurício ouvi...
4
Mãe de Toda a Ásia, no Monte Maria, é a maior estátua de Maria do mundo
Reportagem local
Maior estátua de Maria do mundo é inaugurada e marca sinal de esp...
5
Monsenhor Jonas Abib, fundador da Canção Nova
Reportagem local
Fundador da Canção Nova, monsenhor Jonas Abib é diagnosticado com...
6
ARGENTINA
Esteban Pittaro
Polícia interrompe missa de Primeira Comunhão ao ar livre
7
CANDLELIGHT PROCESSION AND ROSARY
Elizabeth Zuranski
A oração escondida no fim da Ave-Maria
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia