Aleteia
Terça-feira 29 Setembro |
Beato João de Montmirail
Religião

Tesouros do magistério de Francisco na Laudato si’

POPE AUDIENCE

Antoine Mekary | ALETEIA

Francisco Borba Ribeiro Neto | Sun May 31 2020

Um dos aspectos mais admiráveis do texto é seu insistente convite a um diálogo entre saberes e entre o conhecimento científico, a beleza, a arte e a sabedoria

Na comemoração de seu quinto aniversário (24 de maio), a encíclica Laudato si’ (LS), do Papa Francisco, mantém seu impacto e sua atualidade. Com a pandemia mundial e o Sínodo para a Amazônia, mostra-se cada vez mais relevante. Ela nos alerta para os perigos crescentes de um trato irresponsável com a natureza e nos convida a nos encantarmos e cuidarmos dela e de nossos irmãos numa postura verdadeiramente cristã. Enfatiza a interdependência entre todas as coisas (ver, por exemplo, LS 86, 164), a relação entre a degradação ambiental e o sofrimento dos mais pobres (LS 2, 162), a ecologia integral (LS 10-11, 225,230) e o convite ao compromisso socioambiental de todos os cristãos (LS 15, 64-65, 231, 246). Gostaria de salientar aqui cinco aspectos particularmente importantes da encíclica.1. O convite à comunhão de saberes e ao diálogo entre a beleza e ciênciaUm dos aspectos mais admiráveis do texto é seu insistente convite a um diálogo entre saberes e entre o conhecimento científico, a beleza, a arte e a sabedoria, vinda da filosofia, da cultura popular e da fé (LS 63, 199-201, 223). A ciência, bem praticada, analisa os processos, identifica suas relações, causas e consequências. No mundo de hoje, seria impensável e irresponsável uma relação com a natureza que negasse o conhecimento científico.Contudo, a ciência não nos dá o discernimento necessário às decisões éticas e políticas, não permite – por si só – aquela elevação do humano que coincide com a experiência do amor e do reconhecimento da beleza. Para enfrentarmos as ameaças ao meio ambiente, ao bem estar dessa e das futuras gerações, precisamos dessa sabedoria, que contempla a beleza, reconhece o amor e, a partir daí, toma decisões amparadas no conhecimento científico e no entendimento entre as pessoas.2. Uma postura humana de cuidado para com a CriaçãoO verbo que melhor exprime o resultado desse discernimento é “cuidar”, ao qual a encíclica se refere continuamente (ver, por exemplo, LS 10-11, 19, 64, 67, 70, 78-79, 116, 124, 139, 201, 231). Francisco, comentando os primeiros capítulos do Genesis, lembra que Deus a criação para que o ser humano a administrasse, mas não com o exercício de dominação irresponsável, mas como cuidado amoroso e atento (LS 66-67).A importância do cuidado é gigantesca, reflete-se em toda a nossa experiência existencial, em nossas relações com qualquer coisa que existe. Aquele que procura cuidar adquire um comportamento cheio de carinho e ternura, aprende a se alegrar com as pequenas coisas, a fazer o bem com prazer e sem moralismo, a enfrentar os sofrimentos e desafios da vida com desprendimento. Aquele que ama e cuida aprende a ser feliz com muito mais facilidade do que aquele que domina e explora.3. Entre o amor e a dominaçãoPor isso, podemos entender a Laudato si’ a partir da dialética entre poder (dominação) e amor. Ao longo de todo texto, as relações de cuidado, iluminadas pelo amor, são indicadas como o caminho para conservar a natureza, construir o bem comum, descobrir a beleza, viver bem consigo mesmo e com Deus. Em contraposição, onde o poder se exerce como dominação, acontece a degradação ambiental, a exploração de uns pelos outros, a injustiça social, o individualismo, a solidão, o sofrimento humano e o distanciamento de Deus.O núcleo do juízo de Francisco sobre nossa condição socioambiental aparece nessa passagem: “A tecnociência, bem orientada, pode produzir coisas realmente valiosas para melhorar a qualidade de vida do ser humano […] nos dão um poder tremendo. Ou melhor: dão, àqueles que detêm o conhecimento e sobretudo o poder económico para o desfrutar, um domínio impressionante sobre o conjunto do género humano e do mundo inteiro. Nunca a humanidade teve tanto poder sobre si mesma, e nada garante que o utilizará bem […] A verdade é que ‘o homem moderno não foi educado para o reto uso do poder’ […] A sua liberdade adoece, quando se entrega às forças cegas do inconsciente, das necessidades imediatas, do egoísmo, da violência brutal […] carece de uma ética sólida, uma cultura e uma espiritualidade que lhe ponham realmente um limite e o contenham dentro dum lúcido domínio de si” (LS 103-105).4. Iluminados pela ternura de DeusMas de onde pode, então, nascer uma postura de cuidado que saiba usar bem o poder da ciência e da técnica? Não de um esforço humano voluntarista, mas da constatação do amor de Deus, como diz o Papa: “Na tradição judaico-cristã, dizer «criação» é mais do que dizer natureza, porque tem a ver com um projeto do amor de Deus […] A natureza entende-se habitualmente como um sistema que se analisa, compreende e gere, mas a criação só se pode conceber como um dom que vem das mãos abertas do Pai de todos, como uma realidade iluminada pelo amor que nos chama a uma comunhão universal […] A criação pertence à ordem do amor […] cada criatura é objeto da ternura do Pai que lhe atribui um lugar no mundo. Até a vida efêmera do ser mais insignificante é objeto do seu amor e, naqueles poucos segundos de existência, Ele envolve-o com o seu carinho.” (LS 76-77).Somente alguém que se sabe profundamente amado por Deus poderia perceber e nos comunicar essa ternura indizível do Todo Poderoso. O Papa Francisco respondeu à pergunta “quem é Jorge Mario Bergoglio?” dizendo: “Sou um pecador para quem o Senhor olhou”. A consciência de um homem que conhece os seus limites, mas sabe que foi olhado, amado, de um modo que o supera e o envolve totalmente… Essa é a origem de Laudato si’.5. A luta necessária, que não tira a beleza da esperançaEssa postura humana é capaz de viver na consciência da necessidade de agir enquanto contempla a beleza da esperança cristã. Como diz Francisco, no término da encíclica: “No fim, encontrar-nos-emos face a face com a beleza infinita de Deus (cf.1 Cor13, 12) e poderemos ler, com jubilosa admiração, o mistério do universo, o qual terá parte conosco na plenitude sem fim […] A vida eterna será uma maravilha compartilhada, onde cada criatura, esplendorosamente transformada, ocupará o seu lugar e terá algo para oferecer aos pobres definitivamente libertados […] Caminhemos cantando; que as nossas lutas e a nossa preocupação por este planeta não nos tirem a alegria da esperança” (LS 243-244).
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
DoutrinaDoutrina Social da IgrejaIgreja CatólicaMeio ambientePapa
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
ROSARY
Redação da Aleteia
Exorcista alerta sobre os perigos de "falar" ...
Aleteia Brasil
Com afastamento do pe. Robson, o Santuário de...
Redação da Aleteia
Papa Francisco: "Não usem o nome de Deus para...
HOLY COMMUNION
Redação da Aleteia
A Santa Missa não pode ser trocada por oraçõe...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Gaudium Press
Sabia que a aliança de casamento pode ter a f...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia