Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 29 Outubro |
São Colmano
home iconEstilo de vida
line break icon

Como vencer uma discussão nas redes sociais

ANGRY

Pathdoc - Shutterstock

Michael Rennier - publicado em 15/06/20

Antes de emitir sua opinião em temas controversos avalie estas três questões

Talvez eu seja uma pessoa excepcionalmente teimosa, mas meus comentários em publicações na internet jamais foram agressivos, pressionaram colegas ou me envergonharam, a ponto de mudar de ideia sobre qualquer coisa.

Isso não quer dizer que eu nunca mude de ideia – quem está errado com tanta frequência quanto eu não pode deixar de aprender a engolir seu orgulho. Quando mudo de rumo, é sempre por causa de um exemplo gentil, uma explicação paciente ou um apelo à empatia. Esse é o tipo de argumento que funciona. Esse é o tipo de interação que pode fazer alguém mudar de ideia e exercer influência.

Se você está nas mídias sociais conhece bem com que rapidez os argumentos on-line se transformam em xingamentos, envergonham e questionam a integridade de pessoas que têm opiniões diferentes. Esse é o tipo de argumento que nunca tem uma resolução satisfatória. Se o objetivo de uma discussão é descobrir a verdade juntos, essas disputas para ver quem está certo e declarar vitória são uma perda de tempo. Eles são estressantes e contraditórios, com o único objetivo de cada pessoa ser apenas vencer, independentemente do custo humano.

Caí nessa armadilha muitas vezes. Como escritor e padre, estou constantemente me comunicando on-line. Publico sobre questões difíceis e navego por uma vasta gama de opiniões. Tento evitar controvérsias desnecessárias, mas muitas vezes fico surpreso ao descobrir que o que eu pensava ser uma declaração inofensiva gerou uma reação forte. As pessoas discutirão sobre essas declarações, apontando-me o motivo de eu estar errado. Às vezes, essas críticas são totalmente corretas e, muitas vezes, são apresentadas com cortesia. Eu tento ouvir com a mente aberta. Algumas respostas, no entanto, aumentam imediatamente minha pressão sanguínea. No passado, eu responderia a essas perguntas com uma boa dose de orgulho pessoal envolvido. Porém, com a experiência, aprendi a permitir que as pessoas tenham voz, e resisto ao desejo de responder de volta. Não há problema em deixar que outra pessoa tenha a última palavra.

A internet está repleta de opiniões controversas. É natural. Queremos nos comunicar sobre o que é importante para nós, como nos sentimos em relação aos acontecimentos atuais. Existe um desejo de convencer os outros a ver o mundo como nós, ou provocar uma conversa racional sobre os problemas. Mas não importa quão nobre seja a intenção, os debates on-line raramente progridem como pretendido.

Isso não significa que uma discussão boa e saudável não possa ter espaço. Ao me referir a um debate construtivo, não me refiro à retórica acalorada, acusações inteligentes, uma pessoa orgulhosamente tentando informar e educar outra. E não quero imaginar duas pessoas tentando se convencer de como o outro está errado. Refiro-me a um cenário em que duas pessoas tentam mutuamente chegar à verdade juntas.

Antes de envolver alguém em um tópico substancial, faço algumas perguntas a mim mesmo: isso se transformará em algo prejudicial? Se eu compartilhar minha opinião, estou disposto a ouvir honestamente uma resposta? Compartilhar minha perspectiva vale a pena nesse cenário em particular? Se não posso responder satisfatoriamente, mantenho minha opinião e continuo. Ao longo dos anos, fiquei grato em muitas ocasiões em que me limitei a “cuidar do meu próprio negócio”. Por outro lado, ao longo dos anos, também fui grato pelos muitos amigos que me ensinaram tanto por meio de argumentação saudável e positiva.

Para mim, qualquer discussão bem-sucedida tem alguns componentes-chave:

1Confiança mútua

Devemos saber se a pessoa com quem estamos nos comunicando é sincera, que ela está discutindo de maneira justa e tem a mente aberta. Se não confio em uma pessoa, nunca poderei ouvir o que ela está dizendo e ficarei frustrado por ela não me ouvir. Se for esse o caso, por que estamos conversando?

2Entendimento mútuo

Uma discussão saudável produz dois vencedores, não um vencedor e um perdedor. Se estou apenas conversando com uma pessoa para provar como ela está errada, meus motivos precisam de um ajuste sério. Se eu tiver a sensação de que alguém está me entendendo mal intencionalmente, me definindo como um inimigo ou interpretando minhas palavras de uma maneira negativa, em vez de me dar o benefício da dúvida, não conversarei. Por outro lado, se tiver a sensação de que uma pessoa está buscando um entendimento mútuo, conversarei o dia todo.

3 Conhecer a pessoa NVR (Na Vida Real)

Uma das falhas de comunicação on-line é a ausência de pistas de contexto. A pessoa está falando com delicadeza ou a última frase foi sarcástica? Minhas palavras magoaram os sentimentos de alguém? Essa outra pessoa está gostando da discussão ou está se sentindo presa e procurando escapar? Essas são dicas que só são encontradas na presença física de outra pessoa. Sempre guardo a discussão de assuntos sérios para fazê-la pessoalmente, mas se discuto algo sério on-line, é sempre com alguém que conheço na vida real. É muito mais provável que me lembre de que estou falando com um ser humano real, um amigo que não quero ofender .

Então, como podemos ganhar debates na internet? Nós não podemos! Não podemos vencer se isso significar que alguém vai perder. A amizade, gentileza e empatia são as coisas mais persuasivas em um debate. Nesse contexto, os argumentos devem ser divertidos e benéficos, proporcionar chances de aprendizado e ser desafiados por novas perspectivas de crescimento pessoal.




Leia também:
Quando uma discussão é construtiva?

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
InternetRedes sociaisRelacionamento
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia