Aleteia

Por que Santa Madre Teresa de Calcutá recusou grandes e importantes doações

EAST NEWS
Compartilhar

Um cardeal amigo dela resume: “Ela sabia que essas doações não iriam respeitar a dignidade dos pobres”

Em 2016, quando a Santa Madre Teresa de Calcutá ainda estava prestes a ser canonizada, foi divulgado um belo depoimento do cardeal italiano Angelo Comastri, vigário geral do Papa para a Cidade do Vaticano e grande amigo da fundadora das Missionárias da Caridade.

Um dos casos relatados pelo cardeal aconteceu durante uma visita da Madre Teresa, em 1988, à localidade italiana de Porto Santo Stefano, onde Comastri era pároco na época.

Em razão daquela visita, um rico industrial tinha manifestado a intenção de presentear à Madre Teresa a sua villa para acolher doentes de aids. Ele até tinha as chaves na mão para entregá-las à madre.

O pe. Comastri transmitiu a proposta à Madre Teresa, que prontamente respondeu:

“Eu preciso rezar, tenho que pensar sobre isso. Não sei se é bom trazer os doentes de aids a um lugar de grande turismo. E se eles fossem rejeitados? Sofreriam duas vezes!”

Comastri comentaria sobre o caso:

“Para todos nós, homens de pouca fé, parecia que a Madre Teresa estava prestes a perder uma ótima e rara oportunidade. Um distinto cavalheiro, que tinha assistido ao diálogo, sentiu-se compelido a aconselhar: ‘Madre, aceite a chave por enquanto e depois veremos’”.

Sem qualquer hesitação, porém, e talvez sentindo-se ferida no que lhe era mais querido e mais precioso, a Madre Teresa fechou a questão dizendo com firmeza:

“Não, caro senhor. Porque aquilo que não me é necessário me pesa”.

De fato, a Missionária da Caridade chegou a recusar grandes doações em diversas ocasiões. O cardeal Comastri resume o porquê:

“Na realização da sua obra, a Madre Teresa de Calcutá não hesitou em recusar importantes doações porque sabia que elas não iriam respeitar a dignidade dos pobres”.

Boletim
Receba Aleteia todo dia