Aleteia
Quarta-feira 21 Outubro |
São Bertoldo de Parma
Estilo de vida

O que seus ataques de raiva estão escondendo?

CLOSED FIST, ANGER

Tiko Aramyan | Shutterstock

María del Castillo - publicado em 17/06/20

É relativamente frequente encontrar crianças e adolescentes que sofreram situações dolorosas que os levaram a manifestar ataques de raiva como mecanismo de defesa

Os seres humanos tendem ao bem, à harmonia, à paz, ao equilíbrio e à estabilidade. É isso que todos buscamos desde o nascimento, porque isso garante sobrevivência e bem-estar.

No entanto, as primeiras feridas de nossa vida nos desestabilizam, nos desequilibram e nos fazem perder nossa paz, fazendo com que nossos instintos animais sintam que nossas vidas estão em perigo.

É relativamente frequente encontrar crianças e adolescentes que sofreram situações dolorosas que os levaram a expressar ataques de raiva como mecanismo de defesa.

Essas situações dolorosas podem ser de vários tipos: das mais traumáticas, como a separação dos pais, à perda de um ente querido; às situações aparentemente mais brandas, mas que afetaram nossa sensibilidade profundamente (um insulto de uma pessoa em quem você confiava profundamente, um assalto que faz sentir desamparados e desprotegidos.

Em algum momento de seu desenvolvimento psicoafetivo, essas pessoas chegaram a “comprar” a mentira: “Se eu mostrar o meu lado mais agressivo, finalmente conseguirei que o mundo seja como eu quero, e eu serei respeitado como mereço”.

No entanto, a raiz profunda de seus pensamentos esconde um único desejo: quero viver e ser feliz!

Por trás da raiva, há muitos medos: medo de não ser amado, de não ser levado em consideração, de ser rejeitado, de ser negligenciado.

Se, além de sentir esses medos, a pessoa não encontra espaço para expressá-los, a primeira emoção que aparece é o medo e, em seguida, a raiva.

Se as emoções forem suprimidas e não verbalizadas, elas acabarão vindo à tona na forma de explosões de raiva ou até, o que é ainda mais sério, na forma de doenças psicossomáticas.

A raiva, portanto, é uma resposta fisiológica que nos protege de ameaças externas e uma resposta psicológica à dor. É um mecanismo de defesa contra o que nos faz sofrer.

Se você está tendo ataques de raiva:

1Lembre-se que você não é assim

Você não é mau nem agressivo. Você simplesmente não está sabendo como detectar o que precisa, nem consegue expressá-lo adequadamente por medo da reação dos outros.

2identifique

Identifique os pensamentos intrusivos que o inundam pouco antes do momento do ataque de raiva. Pensamentos como: “essas pessoas fazem isso para me machucar”, “elas querem rir de mim”, etc.

3afaste-se

Se seus pensamentos se basearem em realidades objetivas, você pode optar por se distanciar do problema para enfrentá-lo mais tarde com mais serenidade e procurar outras alternativas: praticar algum esporte, conversar antes com uma pessoa de confiança, etc.

4BOM HUMOR E SILÊNCIO

Se, pelo contrário, seus pensamentos não se baseiam na realidade, tente usar o humor ou optar pelo silêncio, que geralmente é o melhor aliado.

Se seus ataques de raiva são muito frequentes e extremos, peça a ajuda de um profissional para acompanhá-lo no caminho para aprender a gerenciar suas emoções.


BUSINESS PLAN

Leia também:
5 dicas incríveis inspiradas na psicologia da felicidade




Leia também:
Aprenda a ser seu próprio coach


WOMAN

Leia também:
O que é um trauma e como superá-lo?

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
EstresseInteligencia emocionalPecadoraivaRelacionamento
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
CARLO ACUTIS
John Burger
Como foram os últimos dias de vida de Carlo A...
violência contra padres no Brasil
Francisco Vêneto
Outubro de cruz para padres no Brasil: um per...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Pe. Gilmar
Reportagem local
Padre é encontrado após três dias desaparecid...
CHILE
Reportagem local
Duas igrejas são incendiadas durante protesto...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia