Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 29 Outubro |
São Colmano
home iconEstilo de vida
line break icon

Cansado(a) das reuniões virtuais? Tente estas estratégias

WOMAN,FRUSTRATED

Shutterstock

Dolors Massot - Matthew Green - publicado em 25/06/20

Não é porque podemos fazer videoconferências que devemos usar esse recurso o tempo todo no trabalho ou com amigos e familiares

Quando a pandemia do novo coronavírus começou, as reuniões pela internet se tornaram uma alternativa para quem precisava manter os compromissos sociais, profissionais e educacionais mesmo durante o distanciamento social. Era a única maneira de “encontrar” amigos e familiares e passar do trabalho em um escritório para o trabalho em casa.

Gradualmente, os usuários do Zoom, Meet, Hangouts, Skype, Whatsapp e outras plataformas descobriram que ficam mais cansados ​​após as reuniões virtuais do que depois das reuniões presenciais. As pessoas começaram, então, a se perguntar: “Como isso pode acontecer, se estou em casa e não preciso nem me levantar para mudar de sala de reunião?”.

Um novo fenômeno

A fadiga causada pelas reuniões virtuais é um novo fenômeno da saúde mental, que já está sendo estudado. É mais comumente chamado de “desgaste do zoom” ou “fadiga do zoom”. Se você pesquisar no Google, verá muitos resultados sobre o tema.

A psicoterapeuta Babita Spinelli explica que as reuniões através do Zoom são cansativas porque geram sobrecarga cognitiva. “Ao contrário de quando estamos juntos pessoalmente, quando estamos fazendo uma reunião virtual com um grupo de indivíduos, estamos muito mais conscientes do que está acontecendo com cada pessoa na vídeochamada”, disse ela à repórter Amy Marturana Winderl, do The Healthy.

Em uma reunião normal de família ou trabalho ou em uma festa, estaríamos apenas olhando para a pessoa que está falando e, talvez, para uma ou duas outras pessoas de cada vez. Ao usar uma plataforma como o Zoom, Spinelli diz que nosso cérebro tenta prestar atenção a todos de uma vez, e isso nos desgasta mentalmente.

Além disso, temos distrações exclusivas para situações de trabalho em casa, como destacam Liz Fosslien e Mollie West Duffy, da Harvard Business Review. Animais de estimação, filhos, cônjuges etc. podem estar na sala conosco ou entrar e sair, roubando nossa atenção.

Trabalho extra para o cérebro

Outro problema que dificulta nosso cérebro nas reuniões do Zoom é o fato de não termos todos os elementos para entender o que cada participante está nos comunicando.

Podemos ver apenas metade do rosto ou, de repente, alguém olha para algo que não vemos porque está fora da tela e não sabemos se é o animal de estimação, o filho ou a tela do celular. Não podemos ver toda a linguagem corporal deles e não temos o contexto completo do que vemos. Tudo isso é um trabalho extra para a nossa mente, que faz horas extras para tentar preencher as informações, conforme explica a Dra. Jessi Gold, professora assistente de psiquiatria da Universidade de Washington em St. Louis, citada no The Healthy.

O fato de olharmos para nós mesmos nessas plataformas de reuniões também não ajuda. Como aponta o artigo da Harvard Business Review, “a maioria de nós também está olhando para uma pequena janela de nós mesmos, tornando-nos conscientes de todas as nossas rugas, expressões e como elas podem ser interpretadas”. Isso é particularmente perturbador e talvez até angustiante.

Como podemos combater o esgotamento do zoom?

Aqui estão algumas sugestões úteis resumidas nos artigos mencionados acima, com algumas outras ideias:

1Seja honesto(a)

Se você está com fadiga do Zoom, não há problema em dizer isso e procurar alternativas. Todo mundo está sob estresse incomum agora, então as pessoas quase certamente entenderão sua situação.

2Estabeleça um limite para as videoconferências

Defina um limite de tempo para reuniões virtuais e cumpra-o. Dessa maneira, as reuniões virtuais têm uma certa vantagem sobre as reuniões pessoalmente. É mais fácil digitar no chat de texto: “Desculpe, meu tempo acabou e tenho que ir, obrigado e tenha um ótimo dia”, clicar em “sair” e simplesmente desaparecer do que interromper o orador, desculpar-se, levantar-se e sair na frente de todos.

3Interações à moda antiga

Lembre-se de que nem toda chamada precisa ser uma vídeochamada; uma ligação telefônica à moda antiga comum costuma ser suficiente e oferece mais liberdade para caminhar ou relaxar enquanto você está falando com a outra pessoa. Outra opção é o email, que tende a ser mais focado e direto ao ponto do que um bate-papo por vídeo.

4O silêncio também é importante

Só porque podemos fazer videochamadas não significa que devemos fazê-las constantemente. O cérebro precisa relaxar. Tire um tempo para rezar. Leia um bom livro. Feche os olhos e ouça a música que você gosta. Você precisa recarregar as baterias.

5Não seja multitarefas

Mudar bruscamente de uma atividade para outra pode custar até 40% do seu tempo produtivo e afetar negativamente a sua memória. Portanto, não, você não deve tentar responder e-mails, navegar na internet e verificar o Instagram enquanto estiver em uma reunião do Zoom. Você não conseguirá prestar atenção suficiente à reunião e também não executará bem as outras tarefas.

6Reduza as distrações

Se você puder, altere a aparência da vídeochamada para a visualização apenas de quem está falando no momento. Isso ajudará seu cérebro a se concentrar. Não se estresse olhando constantemente para seu próprio feed de vídeo; esconda-o se puder. Se houver um apresentador por vez, verifique se todos os outros concordam em desativar não apenas os microfones, mas também o vídeo. Tudo isso dará ao seu cérebro menos “entradas” para se concentrar de uma só vez.

Enfim, as oportunidades que a internet nos oferece para manter contato e trabalhar a longa distância são uma grande bênção em momentos como esses, mas a comunicação virtual vem com seu próprio conjunto de desafios. Precisamos lembrar que as plataformas de videoconferência são ferramentas a serem usadas apenas na medida em que são realmente úteis, e nossas reuniões virtuais requerem tanta ou mais atenção e foco como as comuns.

Podemos estar trabalhando em casa, mas ainda precisamos de pausas e tempo para nós mesmos!

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
EstresseInternetPandemia
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia