Aleteia
Quarta-feira 21 Outubro |
São Bertoldo de Parma
Espiritualidade

"Ao Santíssimo e DiVIníssimo" ou "ao Santíssimo e DiGníssimo" Sacramento?

Reportagem local - publicado em 26/06/20

É muito comum ouvir os fiéis se confundirem

Durante a Adoração Eucarística, ao ouvir “Graças e louvores sejam dados a todo momento“, como você responde?

É frequente ouvir fiéis responderem “Ao Santíssimo e DIGNÍSSIMO Sacramento“, enquanto outros respondem “Ao Santíssimo e DIVINÍSSIMO Sacramento“.

Qual é a forma correta?

A forma correta é “Diviníssimo”.

Há quem objete, corretamente, que o divino não tem graus, e, portanto, não pode ter superlativo. É divino e acabou, pois o divino é absoluto por definição. Isto é verdade.

No entanto, o uso do superlativo neste caso é o que se costuma denominar “licença poética”: uma forma inusual de expressão que tem, aqui, a finalidade de enfatizar precisamente o absoluto de Deus – e, mais precisamente ainda, a Sua absoluta presença real no Sacramento da Eucaristia.

Quanto à palavra “digníssimo”, ela não implica, em si, nenhuma heresia. É apenas o superlativo de “digno” – e Deus é digno de toda adoração; aliás, só Ele é digno de adoração.

No entanto, o termo “digníssimo” também pode ser aplicado a qualquer um de nós, humanos, já que toda pessoa humana é dotada de dignidade intrínseca – e a dignidade humana é absoluta, não relativa, porque advém da nossa própria natureza de seres inteligentes dotados de alma imortal, criada e remida por Deus.

Sim, é isso mesmo – e não se trata de falta de humildade: a dignidade humana é absoluta! Ela não depende do nosso comportamento nem dos nossos méritos (e por isso não há falta de humildade alguma em reconhecer a dignidade intrínseca de toda pessoa humana; pelo contrário, seria profundamente ingrato não reconhecermos esse dom de Deus).

Mas é crucial entender a diferença entre a nossa essência e o que fazemos com a nossa existência: como pessoas, todos somos intrinsecamente dignos por natureza; já os nossos atos particulares, que dependem da nossa vontade e do nosso livre arbítrio, esses sim podem ser muito indignos e, portanto, contrariar a nossa dignidade intrínseca de pessoas.

Em síntese: somos sempre absolutamente dignos como pessoas humanas, e toda pessoa humana deve ter a sua dignidade absoluta reconhecida e honrada; mas podemos agir indignamente, contrariando assim a nossa própria dignidade, e os nossos atos indignos devem ser corrigidos.

No tocante à adoração eucarística, ela é um “digníssimo” ato humano de reconhecimento de Deus como Deus.

A Igreja nos oferece fórmulas piedosas e belíssimas que nos ajudam a penetrar, ainda que muito pouco a pouco, no mistério insondável de Deus.

Uma dessas fórmulas é, justamente, a conhecida “Graças e louvores sejam dados a todo momento ao Santíssimo e DIVINÍSSIMO Sacramento“: uma declaração explícita da Santidade e Divindade de Deus presente e vivo no Sacramento da Eucaristia.

O Corpo de Cristo, a quem adoramos, é Santo e Divino: Santíssimo e Diviníssimo.

E, de nossa parte, é digníssimo reconhecer que o Sacramento da Eucaristia, que é a própria presença real de Cristo em meio a nós, é Santíssimo e Diviníssimo e merece, a todo momento, que lhe sejam dadas graças e louvores!

Adoração eucarística

De fato, a Igreja recomenda vivamente a prática da adoração eucarística tanto pessoal como comunitária.

A Igreja pede até que, na medida do possível e sobretudo nos centros mais populosos, seria conveniente individuar igrejas ou capelas que se possam reservar propositadamente para a adoração perpétua.

Na Exortação Apostólica Sacramentum Caritatis, o Papa Bento XVI exprimiu seu “apreço e apoio” a todos os institutos de vida consagrada, cujos membros dedicam uma parte significativa do seu tempo à adoração eucarística.

Segundo o Papa, quem se dedica à adoração eucarística oferece a todos o exemplo de pessoas que se deixam “plasmar pela presença real do Senhor”.

Além de convidar cada um dos fiéis a encontrar pessoalmente tempo para se demorar em oração diante do sacramento do altar, sinto o dever de convidar as próprias paróquias e demais grupos eclesiais a promoverem momentos de adoração comunitária. Obviamente, conservam todo o seu valor as formas já existentes de devoção eucarística.
Penso, por exemplo, nas procissões eucarísticas, sobretudo a tradicional procissão na solenidade do Corpo de Deus, na devoção das Quarenta Horas, nos congressos eucarísticos locais, nacionais e internacionais, e noutras iniciativas análogas. Devidamente actualizadas e adaptadas às diversas circunstâncias, tais formas de devoção merecem ser cultivadas ainda hoje. (Sacramentum Caritatis, 67)


POPE CORPUS DOMINI

Leia também:
10 coisas que acontecem quando você faz adoração com frequência




Leia também:
Como fazer uma boa adoração eucarística?


Corpus Domini

Leia também:
Quais são os efeitos e os benefícios da adoração?

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
dignidadeEucaristiaSacramentos
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
CARLO ACUTIS
John Burger
Como foram os últimos dias de vida de Carlo A...
violência contra padres no Brasil
Francisco Vêneto
Outubro de cruz para padres no Brasil: um per...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
SAINT JOSEPH SLEEPS
Philip Kosloski
Durma em paz com esta breve oração a São José
Pe. Gilmar
Reportagem local
Padre é encontrado após três dias desaparecid...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia