Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 29 Outubro |
São Colmano
home iconReligião
line break icon

Padre Chico, interceda a Deus por nós!

POWOŁANIE KAPŁAŃSKIE

style-photo | DepositPhotos

Vanderlei de Lima - publicado em 29/06/20

Volto a tratar, em dois pontos, de lembranças diversas que guardo desse sacerdote, como quem fala de um pai espiritual ou de um amigo muito especial.

Dia 2 de julho, celebramos o aniversário natalício do Padre Francisco de Paiva Garcia, nosso inesquecível Padre Chico, falecido em 8 de agosto de 2017, depois de ter permanecido por 48 anos como pároco da paróquia São Sebastião, em Amparo (SP).

Tive, com a graça de Deus, a oportunidade de falar sobre alguns aspectos de sua vida em outras ocasiões: no seu jubileu de ouro sacerdotal (2006), no seu passamento à casa do Pai (2017) e na celebração do primeiro aniversário de sua morte (2018). Volto, agora, a tratar, em dois pontos, de lembranças diversas que guardo desse sacerdote, como quem fala de um pai espiritual ou de um amigo muito especial. 

O primeiro ponto é o da sua seriedade. É quase impossível a quem conviveu com o antigo pároco da São Sebastião não se lembrar de que ele tinha, na grande maioria das vezes, o semblante de um homem que levava a sua vida sacerdotal a sério. Isso poderia dar dupla interpretação: imaginar um padre fechado e, por conseguinte, desinteressado do seu rebanho ou um padre responsável pelas ovelhas que Deus lhe confiou e às quais deveria demonstrar sua elevada moral. Fico com a segunda alternativa.

Padre Chico era zeloso para com os seus paroquianos, acompanhava a cada um que o procurava com o vivo interesse de oferecer ajuda espiritual e até material; em especial, por meio dos abnegados vicentinos. Às dezenas de doentes que me pediam o padre, incluindo minha avó paterna, ele nunca deixou de atender com grande devoção. De uma das visitas que fizemos a um senhor idoso, doente e muito pobre, num sítio, guardo bem viva a imagem de, na sua saída do quarto do enfermo, dirigir-se à esposa do moribundo e perguntar: “Comadre, como está a despensa? Não falta nada?”. E a mulher, de cabeça baixa, respondeu: “Falta quase tudo, seu padre, às vezes até remédio”. De pronto, o padre anotou o seu nome e endereço. Assistiu-a por muito tempo.

Ainda no campo moral, o exterior do Padre Chico transmitia a seriedade que estava no seu coração e na sua mente. Aqui, recordo-me de minha mãe, senhora simples da área rural, mas de uma vivacidade a toda prova, que, atenta ao fato de que nem todo sacerdote, infelizmente, é tão pudico no trato com os meninos, não me deixava ir à Missa com alguns padres. Com o Padre Chico, no entanto, aceitava tranquilamente. E estava correta. Diz-se, aliás, que coração de mãe não se engana, pois – e aqui entra o meu testemunho público – nunca o nosso antigo pároco me disse, embora conversássemos bastante nas idas e voltas das celebrações, sequer meia palavra que pudesse, ainda que de longe, insinuar algo malicioso ou menos puro na linha moral. Deus seja louvado!

O segundo ponto a registrar é o conhecimento que o nosso inteligente sacerdote pouso-alegrense tinha da doutrina católica. Sim. Certo sábado à noite, fui com o Padre Chico à Missa da comunidade Nossa Senhora Aparecida, no bairro dos Pedrosos. Eis que lá chegando, já uns 15 minutos atrasado, viu que esquecera os paramentos básicos: a túnica branca e a estola. E aí: deixaria o povo sem Missa ou celebraria sem os paramentos? Visivelmente a contragosto, escolheu a segunda opção.

Nunca me passou pela cabeça que naquele ato quase inimaginável houvesse um erro de qualquer natureza. Todavia, desejava eu encontrar uma explicação plausível para o fato. Já havia lido que sacerdotes perseguidos e presos por ditaduras, especialmente a nazista e a comunista, celebravam com o uniforme de prisioneiros usando umas gotas de vinho e uma migalha de pão na palma das mãos. Circunstância especialíssima! Faltava, no entanto, a explicação teológica. Chamei, no whatsapp, estes dias, um amigo Bispo, de grande envergadura intelectual, e lhe expus o fato. Ele, em minutos me respondeu o que segue: “Normalmente não se faz isso, pois é contra as regras litúrgicas. Mas ele fez uma epiqueia, isto é, supôs um consentimento do superior se estivesse presente”. Em outras palavras, a epiqueia pressupõe uma lei a ser sempre seguida, mas que não obriga em um caso bem determinado e difícil, como foi este que acabo de narrar.

Agradeço, prezado(a) leitor(a), sua atenção e juntos peçamos que o nosso querido Padre Chico interceda a Deus por nós, hoje e sempre. Amém.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
Igreja CatólicaMissaPadres
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia