Aleteia

Pe. Cido: “Não é possível ser católico e espírita ao mesmo tempo”

Katrina-Jane
Compartilhar

São doutrinas que se opõem totalmente, explica o sacerdote: ou ressurreição, ou reencarnação

O pe. Cido Pereira, que mantém uma coluna de perguntas e respostas no jornal O São Paulo, da arquidiocese paulistana, esclareceu nesta semana a seguinte dúvida de uma leitora:

Hoje respondo a esta dúvida enviada pela Conceição, da cidade de Guarulhos (SP): “Uma amiga espírita diz que os espíritos são conduzidos pelo Espírito Santo. Isso é verdade?

Conceição, não há problema em ter amigos espíritas. Também não é problema procurar entender e saber ouvir deles como vivem sua fé, mas é preciso que tenhamos muito claras na cabeça e no coração as verdades de nossa fé. E, nesse sentido, é preciso saber que é impossível ser católico e espírita, pois são duas doutrinas que se opõem totalmente.

Nós, católicos, cremos na ressurreição da carne. Jesus ressuscitou e garantiu a nossa ressurreição. Voltaremos no final dos tempos ao nosso corpo. Jesus disse: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim terá a vida eterna e eu o ressuscitarei no último dia”. Já os espíritas não creem na ressurreição. Eles falam em reencarnações sucessivas, em que a pessoa vai se purificando até a perfeição. Em nenhum momento da Bíblia se vê essa afirmação.

Continuemos: Jesus Cristo, para nós, católicos, é verdadeiro Deus e verdadeiro homem. É a segunda pessoa da Santíssima Trindade. Ele assumiu nossa natureza humana, morreu por nós, ressuscitou e garantiu que todos ressuscitaremos no final dos tempos. Para os espíritas, Jesus é um “espírito puro”, mas não é Deus.

Pior ainda, minha irmã: Jesus Cristo, para os espíritas, não morreu na cruz para nossa salvação. Somos nós que nos salvamos por meio de uma “evolução” como resultado de sucessivas reencarnações.

Então, não há por que ficar tentando explicar o que eles creem, porque certamente não baterá com o que a Igreja Católica nos ensina. Deus a abençoe, minha irmã!

Boletim
Receba Aleteia todo dia