Aleteia
Terça-feira 27 Outubro |
São Fulco
Estilo de vida

Qual é a diferença entre castidade e celibato?

Padre Angelo Bellon, o.p. - publicado em 07/07/20

A castidade é uma restrição da sexualidade? Ela é praticada somente por quem escolhe o celibato? Os padres fazem voto de castidade?

A castidade é uma virtude para todos, porque todos têm necessidade de amar de maneira verdadeira.

Já o celibato, como estilo de vida, é pedido apenas aos candidatos ao sacerdócio: é uma forma particular de castidade que favorece uma união mais profunda ao Senhor e uma doação universal.

Existe uma diferença muito grande entre castidade e celibato.

Castidade

A castidade é a virtude que protege o amor do egoísmo e o ajuda a ser puro. Sendo assim, todos têm necessidade da castidade, pois a tentação de voltar-se para si mesmo é contínua. Para a Igreja, a castidade é sinônimo de pureza no amor.

Se a castidade é isso, então podemos compreender por que todos nós precisamos ser castos. Todas as pessoas sentem a necessidade de amar de maneira pura, evitando que seus atos e comportamentos sejam uma falsificação do amor verdadeiro, do amor que é doado de forma gratuita.

Até as crianças precisam da castidade. Embora seja prematuro conversar com elas sobre a sexualidade, ensiná-las a partilhar com os outros é uma primeira forma implícita de educar no amor de maneira verdadeira.

Também os adolescentes e jovens precisam da castidade, por meio de uma educação no amor que se torna dom, com o objetivo de enriquecer a pessoa amada.

Não podemos nos esquecer da nossa tendência a considerar o outro como objeto de prazer. Em outras palavras, a nossa capacidade de amar é ameaçada por aquela realidade que São João chama de “concupiscência da carne” (2 Jo 2, 16).

A castidade é aquela liberdade interior que permite que um jovem, livre da escravidão da concupiscência, se torne dom de maneira pura.

Tudo isso comporta uma luta: a recusa de certos pensamentos, a superação da tentação de deixar-se levar pela pornografia, que sempre causa devastação interior, dependência, escravidão.

A castidade envolve também a remoção de ações que profanam o corpo humano e levam a desordens no mais profundo da pessoa.

O Catecismo da Igreja Católica ensina: “A castidade implica uma aprendizagem do domínio de si, que é uma pedagogia da liberdade humana” (CIC 2339).

Logo depois, afirma claramente: “A alternativa é clara: ou o homem comanda as suas paixões e alcança a paz, ou se deixa dominar por elas e torna-se infeliz” (CIC 2339), referindo-se a Eclesiástico 1, 28: “A violência de sua paixão causará sua ruína”.

Inclusive as pessoas casadas, de outra maneira, são chamadas a viver a pureza do amor, para defendê-lo das suas possíveis imitações. Neste sentido, a Igreja afirma que certas práticas dentro do matrimônio não são atos de amor, e sim perigosas para o próprio amor.

Celibato

Quando a Igreja fala de celibato, refere-se ao celibato sacerdotal. Isso significa manter o próprio coração indiviso para estar unido ao Senhor sem distrações (cf. 1 Cor 7, 32) e para amar a todos com total dedicação (cf. 1 Cor 9, 22).

O sacerdote é, por excelência, o homem de Deus: sua tarefa é estar unido a Deus para levar Deus aos homens e os homens a Deus.

Além disso, ele é ministro da Igreja, dentro da qual gasta todas as suas energias para gerar almas para Cristo. Dessa maneira, o celibato permite que o sacerdote exerça uma mais ampla paternidade em Cristo, para tornar-se espiritualmente fecundo, pai e mãe de muitos.

Não somente pai, mas também mãe: porque São Paulo fala de si mesmo como de uma mãe: “Filhinhos meus, por quem de novo sinto dores de parto, até que Cristo seja formado em vós…” (Gal 4,19).

Conclusão

Em conclusão: a castidade é uma virtude que diz respeito a todos, porque todos têm necessidade de amar de maneira autêntica.

o celibato é uma forma particular de ser casto; é uma espécie de virgindade permanente, porque a pessoa se abstém do casamento e do exercício da sexualidade por motivos mais altos: para estar unida ao Senhor sem distrações e por uma maternidade e paternidade mais amplas e espirituais.


ACTIVITIES

Leia também:
Leitora pergunta: “Padre, como viver a castidade num mundo tão liberal?”

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
CastidadeCelibato
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
São Padre Pio de Pietrelcina
Oração de cura e libertação indicada pelo exo...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia