Aleteia

Reconstruindo Notre Dame: nós já fizemos isso antes

NOTRE DAME
Bertrand GUAY | AFP
Compartilhar

A Revolução Francesa transformou a igreja em um Templo da Razão

Clique aqui para abrir a galeria de fotos

O anúncio da semana passada de que a Catedral de Notre Dame será restaurada em sua forma original do século XIX trouxe de volta memórias do devastador incêndio de 15 de abril de 2019, que danificou gravemente a igreja de 800 anos.

Mas o incêndio, que destruiu o telhado de Notre Dame, não foi o primeiro golpe sofrido pela catedral em sua história. A Revolução Francesa também não foi muito gentil com ela.

Aos olhos dos revolucionários, a Igreja Católica estaria envolvida demais com a monarquia, de modo que os apelos por uma maior igualdade significavam que a Igreja teria de sair de cena.

Quando a monarquia desmoronou e caiu, um pequeno grupo de revolucionários radicais que foram influenciados pelas filosofias iluministas de liberdade de religião e por uma sociedade baseada na razão viu sua chance de desautorizar a Igreja Católica.

Os revolucionários iniciaram uma campanha de descristianização, confiscando as propriedades da Igreja, tentando fazer com que todos os clérigos jurassem lealdade ao novo estado e removendo o controle da Igreja sobre os registros de nascimento, morte e administração que ela mantinha há muito tempo.

Revolução

Durante os massacres de setembro de 1792, os parisienses prenderam e mataram padres. Os clérigos foram julgados durante o Reinado de Terror. O culto público foi considerado ilegal em 1793. As pessoas despojaram as igrejas de seus símbolos religiosos.

Obviamente, o alvo mais visível foi a imponente Notre Dame de Paris. Foi aqui que Henrique VI fora coroado rei da França em 1431. A fachada oeste da catedral apresentava 28 estátuas que retratavam os reis bíblicos de Judá. Em 1793, o novo governo ordenou que os trabalhadores as removessem, e elas foram levados para a praça da catedral e decapitadas.

Mas não apenas a aparência estrutural da catedral estava sendo atacada, mas também o seu significado como igreja.

Em novembro de 1793, a catedral se tornou o local do Festival da Razão, um festival revolucionário e antirreligioso que zombou do catolicismo e sugeriu que o povo francês deveria adotar apenas os princípios do Iluminismo.

Depois que a catedral foi saqueada, tornou-se o palco de um evento público lotado, no qual uma atriz vestida de forma sedutora, representando a Deusa da Razão, era adorada no topo de uma montanha.

Bustos e estátuas de filósofos iluministas substituíram as estátuas religiosas, e as mulheres vestidas de forma sedutora dançavam e cantavam canções exaltando a revolução.

A catedral de séculos de idade foi renomeada como Templo da Razão. Quase tudo lá dentro foi saqueado.

A Encyclopaedia Brittanica nos diz que após os danos da Revolução Francesa, a igreja foi vendida em leilão a um comerciante de materiais de construção.

Quando Napoleão chegou ao poder, ele anulou o decreto de venda e ordenou que a catedral fosse redecorado para sua coroação imperial em 1804, diz a enciclopédia.

Abaixo, apresentamos uma galeria de fotos da primeira missa celebrada em Notre Dame depois do incêndio de 2019:

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia